Cultura

Hoje e sempre ao serviço da cultura – Em homenagem a Amorim Diogo

Para agravar ainda mais os transtornos que nos vêm amargurando a vida, eis que chega, súbita e abrupta, a notícia: morreu Amorim Diogo!

Pela carga de emoção de que esta se revestiu, foi como se algo de deprimente nos remetesse para o importante papel que Amorim Diogo assumiu como um compositor e cantor que se destacou sobremaneira na música santomense, pelo cuidado e arte de que soube envolver as suas composições, bem forjadas no ritmo, é certo, mas enviando, em simultâneo, mensagens de uma impressionante acuidade, próprias de quem, investido de tal oportunidade, se preocupa com os graves problemas sociais com que se debatem sobretudo os sectores mais carentes do seu povo.

São disso exemplos, para somente citar alguns, temas como “Amolim, deçá mundo flá dê”, “A ska ganá non ku doxi” “Madalena muê”, “Gêlu petloli na ka da pa tudu nguê fa”, os quais irão sobreviver ao autor ora desaparecido, que lá onde estiver se rejubilará com o apreço, a fraternidade e o respeito que prosseguiremos a devotar aos seus trechos musicais.

 À família enlutada e aos numerosos amigos e apreciadores do talento musical de Amorim Diogo, a UNEAS remete as suas mais profundas condolências, associando-se à dor e ao desalento provocados por momento de tamanha consternação.

UNEAS, S. Tomé, 7 de Setembro de 2022

O Presidente,

Albertino Homem Bragança

2 Comments

2 Comments

  1. Andorinha

    9 de Setembro de 2022 at 19:28

    Têm que começar a homenageiar os nossos cantores em vida e apoia-los passam muitas dificuldades e estado nunca esta presente.

  2. Senhora Anônima

    11 de Setembro de 2022 at 6:15

    Temos que deixar de depender do estado para fazer tudo para nós

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top