Anúncios

Manifestação de Interesse para Negociação Directa de Um Bloco Petrolífero

Tendo a empresa SINOANGOL CO LIMITED, apresentado à Agência Nacional do Petróleo (ANP-STP) um requerimento solicitando autorização para negociação directa para efeitos de prospeção e exploração do Bloco 2 da Zona Económica Exclusiva (ZEE), com base no estabelecido na Lei em vigor.

ANÚNCIO PÚBLICO

Manifestação de Interesse para Negociação Directa de Um Bloco Petrolífero

A Lei-quadro das Operações Petrolíferas -Lei nº16/2009- dispõe no seu artigo 20º,ponto2 que o Governo pode celebrar Contratos Petrolíferos por negociação directa, quando seja do interesse público e sujeito as condições do Artigo 21º da presente Lei

Tendo a empresa SINOANGOL CO LIMITED, apresentado à Agência Nacional do Petróleo (ANP-STP) um requerimento solicitando autorização para negociação directa para efeitos de prospeção e exploração do Bloco 2 da Zona Económica Exclusiva (ZEE), com base no estabelecido na Lei em vigor.

Considerando que o Governo da República Democrática de SãoTomé e Príncipe entende que a referida proposta contém os requisitos básicos que permitem a sua melhor apreciação;

À luz do estatuído na supracitada lei, particularmente do Artº 21º,ponto 2 que obriga o Governo através da ANP-STP, no caso de receber uma proposta para negociação directa, declará-lo em anúncio público:

Nestes termos, convida-se as empresas petrolíferas com reconhecida capacidade técnica e financeira que o desejem fazer, para que no prazo de quinze dias a contar da data de publicação deste anúncio, declarem o seu interesse no referido Bloco.

São Tomé,  12  de Abril 2013

Pela Agência Nacional do Petróleo

Luís Alberto dos Prazeres

Director Executivo

    10 comentários

10 comentários

  1. Jose Andre

    12 de Abril de 2013 as 13:08

    Bom saber que Angola esta interessada no referido bloco. Espero que tudo corra bem e que o negocio seja muito benefico para STP porque Angola ja dispoe de diversos blocos de petroleo a serem exploraos e tem ganho muito dinheiro. STP tambem precisa de ganhar dinheiro e e necessario que as negociacoes seja bem feitas para proteger devidamente os nossos interesses.

  2. jorge desalmado

    12 de Abril de 2013 as 13:50

    UNITEL, SINOANGOL CO LIMITED, Contrabando de Navios Petroleiros, desmentido da Sonangol, visita do Pinto da Costa a Angola com ministro de Energia e Recursos Naturais (fica mais 48 horas), mais alguma coisa? Tudo isso não faz sentido dr Gabriel? Qual é o teu papel? Tás a ver passar o NAVIO, meu irmão!!! Nada pra UDD?

  3. Africano

    12 de Abril de 2013 as 14:28

    Quando é que mandam este piloto de avioneta para reforma e por lá alguém com alguma capacidade! Já la vão quase duas décadas de incompetência. STP não pode esperar mais.

  4. desta terra

    12 de Abril de 2013 as 16:46

    Estão a trocar o petróleo de STP por ninharia de dolares que veem de Angola?

  5. Carlos Mena

    13 de Abril de 2013 as 0:34

    Ao mesmo tempo que tento ler os comentários dos texto aqui colocados também as lágrimas vêm me aos olhos. A julgar pelos textos testados e castigados de erros ortográfico aqui colocados é fácil perceber em que garras se encontra o meu belo País medieval. S.Tomé promete.. E muito! Afinal em S.Tomé a Educação padecem de uma contradição atormentadora: é suposto os alunos com bolsa de estudo no estrangeiro aprenderem e assegurar um bom nível de conhecimento de forma a ajudar a desenvolver o País. A intenção subjacente à ideia da formação no exterior foi a redução das diferenças entre as classes sociais e o aumento das hipóteses de todos de ascenderem socialmente devido a uma preparação cultural abrangente a fim de poderem levar uma vida rica e plena. Para além disso, havia a esperança de a formação no estrangeiro promover o que era designado por “competências comunicativa”, significando uma maior compreensão mútua.
    Hoje em dia já é bastante pacifico afirmarmos que, a avaliar pelos resultados, o GOVERNO não ganhou, o País não ganhou e o Povo não ganhou esta disputa. Todas as avaliações comparativa dos aproveitamento para o País demostram que muitos dos alunos bolseiros no exterior acabam por ficar nestes oportunos Países- por mais diversas razões, nomeadamente o nível do desenvolvimento dos mesmos é claramente superior que o nosso S.Tomé. E ficou bem provado que mesmo aqueles que regressaram arrependem-se amargamente uma vez, que não encontram oportunidade de vida no seu próprio PAÍS. A única esperança que me resta é que os poucos corajosos que tiveram a infeliz ideia de regresar, como eu! Não paremos de lutar…Perante estes deprimentes resultados, os representantes nada fazem, por outras palavras: o feitiço consistiu na manutenção de ficções, na negação da realidade e no esforço de ignorar as evidências. Depositar alunos no estrangeiro não trouxe um retorno acentuado ao País. PONTO!! Em resumo, a educação esta num estado lastimável que a miséria permanece completamente desconhecida, visto a sua dimensão ser inconcebível,
    Tal estado de coisas deve-se ao facto de terem perdido as referências. Já não se sabe o que deve fazer, e com que finalidade. Uma vez que os antigos cânones do governo parecem ser redutores e caducos,
    Este já vai longo-e ainda tenho que ir dormir meus irmãos….

    • Carlinhos

      13 de Abril de 2013 as 13:04

      Para quem critica os outros, pelos erros ortográficos e de organização frásica,deveria estar mais atento às gralhas que reproduz, em termos de sintaxe, concordância, etc. Não atire pedras para o telhado do vizinho. Tente reler, com atenção, o conteúdo daquilo que escreveu.
      Fui

  6. Carlos Mena

    13 de Abril de 2013 as 19:58

    Mais rápido, mais curto – e mais em cima da hora o que é costume.
    Apenas para lembrar que o Carlos Mena aceita e agradece todas as opiniões, positivas e negativas, sobre os seus posts e comentários ou com qualquer assunto com eles relacionados.
    Nessa medida, o Carlos Mena reserva o direito de não entrar em discussões diretas com os utilizadores da respectiva página. No entanto, no que diz respeito aos CÂNONES LITERARIOS E O PROBLEMA DA FORMÇÂO DOS LEITORES. Permita dizer o seguinte, como sabemos, a linguagem escrita é muito mais exigente no que toca aos requisitos lógicos, ao ordenamento das ideias, à correcção da sintaxe, à estrutura do texto, ao nexo entre as frases e à plausibilidade geral. Tudo isso tem que ser laboriosamente treinado. Estes são assuntos fascinantes, e quem os entender em profundidade ver-se-á incomensuravelmente enriquecido.
    Quando no post anterior refiro aos erros ortográficos. Era por demais evidente a falta de cuidado dos utilizadores onde muitas palavras aprecem “escrevidas” em vez de escritas. BRINCADEIRA..
    Este é curto e cansado, mas feliz…

    • raposo joaquim

      14 de Abril de 2013 as 11:51

      Andas fora do pais e de contexto. Nós quando abrimos uma noticia online o nosso objetivo é ver o comentário sobre a referida noticia e não opiniões descontextualizadas.

  7. pedro

    14 de Abril de 2013 as 12:41

    VIVA PR.PINTO DA COSTA , VIVA PM G. COSTA VIVA VIVA

  8. luisó

    14 de Abril de 2013 as 20:04

    Quem são os donos desta Companhia ou quem dá a cara por ela?
    Alguém da terra sabe?
    Seria bom…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo