Economia

Príncipe recebeu apenas cerca de 4% da verba do investimento público no ano 2013

A execução do Orçamento do Governo Regional no ano 2013, foi a mais fraca dos últimos 7 anos. Denúncia feita por José Cassandra. O Governo Central só enviou para o Príncipe 4% do valor do investimento público, agendado para 2013.

«Estou cá há 7 anos e foi o pior ano de execução orçamental», declaração do Presidente do Governo Regional do Príncipe, no balanço do ano económico de 2013. Segundo José Cassandra o orçamento da Região Autónoma para 2013, definiu o valor de 147 mil milhões de dobras, para investimento público. «Só conseguimos executar cerca de 6 mil milhões de dobras foi a transferência que nos fizeram, cerca de 4%.», frisou.

Com apenas 4% do valor orçamentado para o investimento público, o Governo Regional considera que praticamente nada foi feito na ilha do Príncipe no ano 2013.

No que concerne as despesas correntes, a ilha quase que naufragou. «Tínhamos orçamentado cerca de 42 mil milhões de dobas só conseguimos realizar na ordem de 31 mil milhões de dobras», acrescentou.

O mais grave segundo José Cassandra, é o que dos 31 mil milhões de dobras que o Governo Central transferiu para financiar as despesas correntes na ilha do Príncipe, 2 mil milhões de dobras foram aplicados no pagamento de despesas com a evacuação de doentes para São Tomé. As despesas com salários na administração pública do Príncipe, consumiram  42 mil milhões de dobras.  Um défice de mis de 10 mil milhões de dobras. «Foi um ano difícil», reclamou.

José Cassandra, defende que a ilha do Príncipe deve batalhar no sentido de criar a lei das finanças regionais, que deverá ser publicada na constituição política.

Considera também que os parceiros internacionais que financiam projectos de desenvolvimento no país, casos do Banco Mundial, o FMI, o BAD e outros, devem ser convencidos a aplicar os seus fundos directamente na ilha do Príncipe, se passar pelas mãos dos Governo Central. « Porquê que temos que receber uma delegação do governo central para podermos autorizar benefícios fiscais nos investimentos que são feitos no Príncipe? Acho que não. Não precisava receber uma delegação do Governo Central, para fazer isso. Essa é uma acção que decorre do Governo Regional porque o investimento está a se feito no Príncipe», desabafou o Presidente do Governo Regional, defendo assim o reforço da autonomia administrativa e financeira da ilha que tem pouco mais de 6 mil habitantes.

Abel Veiga

    10 comentários

10 comentários

  1. Leitão

    6 de Janeiro de 2014 as 10:41

    Tem que haver Justiça na repartição dos recursos que chegam ao país. Não pode ser sempre a mesma classe de políticos e privilegiados a comerem o bolo e os outros a sofrerem. São sempre os mesmos do MLSTP, do PCD e ADI a comerem tudo enquanto o povo passa miséria.

    • Flor

      6 de Janeiro de 2014 as 11:35

      Estes governantes do governo central só sabem comer dinheiro. São sempre os mesmos que comem tudo que chega a S.Tomé. E ainda por cima não se nenhum resultado alcançado com tanto dinheiro cá na cidade capital. O senhor Tozé Cassandra tem razão. Se ele está a fazer um bom trabalho lá no Príncipe ele tem que ser premiado com mais condições. Ele já deu provas que está a utilizar bem os bens públicos. Deve-se premiar aqueles que fazem as coisas bem feitas e não andar a premiar aqueles que são esbanjadores e corruptos. Se o homem tem feito obras e tem servido a sua população criem condições para o homem fazer mais e melhor. Todo o país sai a beneficiar com isto. Agora andarem a mamar todo o dinheiro para meia dúzia de pessoas acho muito mau. São sempre os mesmos de sempre.

      • jonas

        7 de Janeiro de 2014 as 7:51

        ò Flor, Conheceste Príncipe?
        Conheces príncipe?
        Entao deixa de falar Besteira, as coisas estao a cumplicar. para o que Tozé recebeu durante o seu mandato deveria fazer mais, o que ele fez é uma Migalia. para nao dizer que nao fez nada. é só falacia, falacia.
        Visita o Príncipe, é só propaganda politica.
        Deixam de falar o que voces nao sabem. Príncipe esta pior que Angola e Guine Equatoria, só sai Informação que o poder quizer para sair. Mas com tempo tudo isso a de Mudar.

        • António Menezes

          10 de Janeiro de 2014 as 18:20

          Credo, comparar Príncipe com Guiné Equat ou Angola, é não saber nada dessa nossa África. Não me admira, estamos aí só para dar boca gosto… O Governo Regional tem feito sim coisas, muito mais que S.Tomé. Disso se alguém tem duvidas apresente dados. O que sabemos é inveja, pois muitos passaram do Príncipe , nada fizeram, só comeram e engordaram. Faça comparação e nada mais. Vamos trabalhar e o Governo Regional continue a trabalhar.

  2. haja paciência

    6 de Janeiro de 2014 as 10:58

    é verdade, a fé que me move é que um dia esta porcaria há de mudar………..

    • jonas

      7 de Janeiro de 2014 as 7:53

      Isso nunca vai Mudar, enquanto o Toze continuar, assim com os seus. Porque que nao fizeram confusao? quem falou?
      Ninguem, Ninguem. Porque todos sao compadres e comadres.

  3. STP de todos nós

    6 de Janeiro de 2014 as 14:42

    Acho que os factos falam por si. É para se saber o tipo de governo que temos. Com essa gente no poder, não se pode esperar outra coisa! Mas não sei o que quer mais a população saber dessas gentes para duma vez por todas lhes tirar a confiança!! Neste ano 2014 o povo de STP tem uma oportunidade para escorraçar essa gente do poder, que lá está agarrado há mais de trinta anos, fazendo o povo de refém das suas aventuras, dos seus caprichos e sonhos! Temos que dar um basta nisso!

  4. António Menezes

    6 de Janeiro de 2014 as 18:27

    O Governo regional deu provas que gosta da ilha do Príncipe. Força que Príncipe irá desenvolver. Faça pressão sim, pois cá em S.Tomé tudo está mal.

  5. marlene

    7 de Janeiro de 2014 as 8:48

    o príncipe com 4% fez mais do que s.tomé com 96%. também não é de admirar, os ladrões desta terra vivem todos cá em s.tomé

  6. maria sousa

    28 de Janeiro de 2014 as 9:14

    Povo de Principe chega de dormir e pensar que tudo o que faz o governo comandado pelo Tó Zé é certo.Porque vejamos o Tó Zé no seu primeiro mandato fez algo que realçasse, depois os momentos posteriores nada se vê senão viagens e viagens e mais viagens. E o que traz delas? Sabemos? Não. Príncipe deveria estar mais desenvolvido com os apoios além do OGE. Mas, não se vê nada nada.Faço parte do grupo que quer ver todos esses membros fora porque depois de dois mandatos chega senão vamos entrar num beco sem saida obviamente já não terão nada a fazer senão reclamar o pouco dinheiro que governo central põe à disposição e, roubar e programar os seus futuros. Porquê que se vende tudo que são imobiliários no Principe? Porque o governo regional não cria uma lei que possa estagnar esse tipo de negocio e rumo a outro? O HBD, tudo bem está sendo uma grande ajuda com os fiscos que paga. Onde entra todo esse montante de receita de fiscos? Principiences temos que ver realmente qual o rendimento desse governo. Mudar acredito que sim. Tó Zé já deu o que tinha a dar e para que ele saia bem na fita é bom que anteceda e por si mesmo. Não acredito que ele queira ficar aí como tem acontecido nas nossas paradas africanas. Alguém dizia-me que o Príncipe teve desenvolvimento macroeconómico sim tudo bem e resto? Eu não percebo disso quero é ver coisas que os olhos veêm. Força principiences!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo