Economia

BAD e a CPLP assinam declaração para promover desenvolvimento económico nos PALOP

“Compacto” procura atrair maiores oportunidades de investimento privado

Santa Maria, Ilha do Sal, Cabo Verde, 19 de julho de 2018 – O Banco Africano de Desenvolvimento e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) assinaram uma Declaração para apoiar o “Compacto para os países Africanos falantes da língua portuguesa”.

O Dr. Akinwumi Adesina, Presidente do Banco Africano de Desenvolvimento e Maria do Carmo Silveira, Secretária Executiva da CLPL, assinaram a declaração na quarta-feira às margens da 12ª Cimeira dos Chefes de Estado e de Governo da CPLP em Santa Maria na Ilha de Sal, Cabo Verde.

“Há grandes oportunidades de aproveitar os laços históricos, lingüísticos e culturais entre esses países, bem como com o Brasil e Portugal, para formar parcerias que possam acelerar o crescimento económico, impulsionar o desenvolvimento do setor privado e assegurar uma transformação económica mais rápida”, disse Adesina durante a Sessão Plenária da Cimeira.

O Compacto fortalecerá o papel do setor privado na promoção do desenvolvimento sustentável e inclusivo nos países africanos de língua oficial portuguesa (PALOPs). Um de seus principais objetivos é atrair investimentos para ajudar os PALOPs a agregar valor às commodities e recursos naturais locais, impulsionar a industrialização, criar empregos e aumentar o crescimento sustentável.

“O Banco Africano de Desenvolvimento reconhece que os países africanos de língua portuguesa não formam espaços económicos contíguos semelhantes às zonas de língua francesa ou inglesa. Eles, portanto, tendem a ser marginalizados ”, observou Adesina durante seu discurso.

Com 267 milhões de habitantes em todo o mundo, os países de língua portuguesa possuem vastas reservas de petróleo e gás, agricultura, turismo e recursos marinhos para a economia azul. Juntos, eles formam o quarto maior produtor de petróleo do mundo.

Apesar das características semelhantes que ligam esses países, “a situação em cada um dos países africanos de língua portuguesa difere de um para outro”, disse Adesina. “Não existe uma solução uniforme para todos. O Compacto não vai duplicar as iniciativas existentes.”

Adesina anunciou em seu discurso que, pela primeira vez em seus 54 anos de história, o Banco terá um vice-presidente de um PALOP.

Adesina também participou de reuniões bilaterais com Filipe Nyusi, Presidente de Moçambique; Joao Lourenco, Presidente de Angola; Ulisses Correia e Silva, Primeiro Ministro de Cabo Verde; Teresa Ribeiro, Secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação de Portugal; Stefano Manservisi, diretor geral da Comissão Européia para cooperação internacional e desenvolvimento. Ele discutiu os próximos passos do Compacto e as oportunidades entre os países da CPLP e o Banco Africano de Desenvolvimento.

A Cerimônia de Abertura da Cimeira marcou o fim da presidência de dois anos do Brasil na CPLP, e a transição da presidência para Cabo Verde.

A assinatura do Compacto está prevista para acontecer durante o Fórum de Investimento da África (FIA), que será realizado de 7 a 9 de novembro de 2018 em Joanesburgo, África do Sul.

 FONTE – BAD

 

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo