Economia

FAO lança projectos em STP para agricultura e produção alimentar

PARCERIA – Téla Nón / Rádio ONU

Um dos objetivos é garantir segurança alimentar; agência defende gestão de recursos para garantir sustentabilidade; representante regional identifica pressão demográfica e mercado internacional como grandes desafios.

A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação, FAO, lançou quatro projetos de apoio a São Tomé e Príncipe. Em entrevista à ONU News, o representante da agência para país, Hélder Muteia, explicou o alcance destas iniciativas.

“O primeiro tem que ver com o reforço da capacidade institucional do próprio Ministério para poder gerir os assuntos ligados à agricultura, pesca e desenvolvimento rural. O segundo tem a ver com o reforço da capacidade de produção animal, incluindo a extensão de toda a cadeia de valor não só para gerar postos de trabalho mas também para melhorar a disponibilidade de proteína.”

Prioridades

Hélder Muteia sublinha que o crescimento da população são-tomense e a forma como se gerem os recursos naturais são um dos grandes desafios para o arquipélago.FAO

A FAO vai ainda promover um projeto de hortícolas e de cad eia de valor da pequena agricultura com o objetivo de garantir a produção de alimentos nutritivos, particularmente para as crianças, e um outro para produtos florestais não lenhosos.

A partir de São Tomé, Muteia explicou a importância desta iniciativa.

“Sabemos que com a pressão demográfica, São Tomé e Príncipe está colocado numa situação de utilização excessiva de recursos florestais, um elevado índice de desflorestamento e nós queremos mudar esse ciclo, tornando esse ciclo mais sustentável, através da exploração de produtos não lenhosos, portanto, não é necessário cortar madeira para que se possa entrar no mercado ou produzir alimentos, portanto, são produtos florestais mas não lenhosos.”

Erradicar a Fome

Para além do lançamento destes novos projetos, a FAO vai também supervisionar a implementação de outras iniciativas que estão em curso, nas áreas das pescas, da economia azul e dos solos.

O representante explicou ainda a prioridade da agência naquele país no âmbito da Agenda 2030 e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODSs.

“Aquela que é a nossa tarefa principal é a erradicação da fome. Todos estes projetos visam essencialmente garantir disponibilidade de alimentos e a sua melhor utilização. E contribui também para estabilidade. Muitas vezes através dos ciclos de chuva há épocas em que os alimentos escasseiam. Estamos a garantir, por exemplo, através de sistemas de irrigação que os ciclos produtivos continuem ao longo de todo os anos. E isso garante uma grande estabilidade.”

Hélder Muteia sublinha que o crescimento da população são-tomense e a forma como se gerem os recursos naturais são um dos grandes desafios para o arquipélago.

O representante defendeu que com a população a crescer, num país insular, “é necessária uma mudança de paradigma, não só para garantir a sua sustentabilidade, mas também a sua capacidade de competir no mercado global”.

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo