Economia

ONU e BM dizem que tempos difíceis se avizinham para STP

À luz da crise financeira e do desequilíbrio macro-económico que São Tomé e Príncipe regista neste momento, a Organização das Nações Unidas(ONU) e o Banco MUndial(BM), emitiram um comunicado conjunto.

No comunicado que foi enviado à redacção do Téla Nón, as duas instituições, dizem que tomaram conhecimento da conferência de imprensa dada pelo Ministro das Finanças Osvaldo Vaz, «após a reunião com os parceiros de desenvolvimento realizada a 7 de junho do ano 2019», lê-se no comunicado.

ONU e o BM, citam as palavras do ministro das finanças na conferência de imprensa. «A situação financeira do país é extremamente difícil e exige acima de tudo o empenho e a colaboração de todos os são-tomenses».

ONU e BM, dizem no comunicado, que « felicitam o Governo de São Tomé e Príncipe, pela sua análise e reconhecimento da situação crítica em que o país se encontra».

As duas instituições que apoiam São Tomé e Príncipe na execução de vários projectos de luta contra a pobreza e desenvolvimento sustentado, acrescentam que «este momento exige reformas profundas que assegurem com que o país esteja num caminho de desenvolvimento sustentável».

Crescimento sustentável que só será possível, segundo os dois parceiros internacionais, com a recuperação da estabilidade macro-económica. «Parabenizamos o governo pela busca de um acordo com o FMI que pode ser o primeiro passo para se dar inicio às reformas necessárias e o apoio internacional», referem a ONU e o Banco Mundial.

As duas instituições, põem as cartas na mesa, sobre o que está para vir. «A ONU e o Banco Mundial, reconhecem os tempos difíceis que se avizinham e reiteram o compromisso de apoiar as medidas de protecção social através dos instrumentos em curso que irão proteger as pessoas que se encontram em situações de maior vulnerabilidade».

Tempos difíceis se avizinham para São Tomé e Príncipe, e os parceiros internacionais pedem empenho e esforços contínuos a todos os serviços e equipas da administração pública, para que seja corrigido o défice primário que subiu para 4,2%, quando o limite fixado pelo FMI, era de 1,2%.

Abel Veiga

    6 comentários

6 comentários

  1. Vanplega

    27 de Junho de 2019 as 18:58

    Eu como Santomense, não dou parabéns a esse governo.

    1- muito se falaram do vombste a corrupção. Até agora, nada foi feito.

    Como se explica que ex-1 ministro não se encontra no pais para dar explicações?

    2- todos que roubaram, ainda não devolveram o roubo da coisa pública

    3- muitos são do partido do MLSTP, por isto, a corrupção ficou a meio

    4- Se o povo não cortar pescoço a esses políticos ladrão o país, não vai lá

    5- já sebpassaram alguns meses que o orçamento de estado foi aprovado. É tempo de monstrar serviços

    6- Como o pais vai lá, se os deputados que ganham 1000€ em São Tomé e Príncipe. País que não profuz nada e esses senhores, que não mostram trabalho, wue não trabalham, querem casa nova e mais confortou

    Isto é uma aberração a sociedade
    Pessoas que trabalharam uma vida, a servir estado, depois dá reforma, recebem 250 dobras.

    Quantos recebem esses políticos? Alguém sabe responder

  2. Revoltado

    27 de Junho de 2019 as 19:20

    Isto revolta me! Então essa mesma senhora andou a dizer que estava tudo bem com as contas. É agora vem dizer que está tudo mal? O mesmo FMI, a mesma chefe de equipa???
    O governo devia instar o Conselho de Administração do FMI a explicar o que se passou. Será que ela bebeu o chá do PT, ficou zonza, não viu bem os números? Ou é um complô agora?
    Este é o fim dos tempos. Até FMI!!! Coitada da minha terra.

  3. Púmbú

    27 de Junho de 2019 as 20:08

    Desculpem lá, mas digam-me uma coisa: nos últimos 40 anos, quando é que não tivemos tempos difíceis???

  4. Rosa dos Santos

    27 de Junho de 2019 as 20:11

    Meus Caros
    O FMI é igual a um Leão. O Leão quando vai a caça, ele procura na manada o animal mais fraco e logo inicia o seu ataque sobre este animal.
    Isto passa nas negociações do FMI com os países. Quando o FMI dá conta que o Ministro das Finanças do país parceiro é um fraco, e sem capacidade para o cargo, e que esta instituição não encontra no mesmo um interlocutor válido, neste caso o FMI faz o que quer. E o que é que o FMI quer. O seu programa de Ajustamento Estrutural. Neste caso, vamos ter que comer o pão que o diabo amansou pela falta de capacidade dos actuais dirigentes. O FMI para desbloquear 6 milhões de dólares que é mais ou menos 4% do orçamento de 2019 do país, o FMI vai por dezenas das suas condições duras e os dirigentes SOBE SÓ, vão subir, porque querem ser bons alunos. Temos exemplo nos inicios da década de 90 com um Ministro das Finanças do PCD que também na altura lhe chamavam Ministro Yes. Hoje temos vários Ministros YES e vamos ter que aguentar.
    Cada Povo tem os dirigentes que merecem.
    Então Aguentem só e não reclamam. Os brasileiros dizem: PROCUROU, ENCONTROU
    Viva STP

  5. Nuno Menezes

    28 de Junho de 2019 as 6:01

    ONU e BM dizem que tempos difíceis se avizinham para STP. Acredito!!!

    Ao ler esse titulo alguns ficam contentes tambem…

    Quem sabe podemos ter uma pessoa nascida em Sao Tome and Principe radicado em Europa e ser Milionario igual a BILL GATES e comecar a investir dentro de Sao Tome and Principe.

    Temos que criar uma area como a Republica Portuguesa de Portugal INTENDENTE com a profissao mais antiga do mundo, e tudo isso ajuda na economia.

    Nuno Menezes
    Lincoln,Reino Unido

  6. Pequeno

    28 de Junho de 2019 as 9:43

    Vocês têm mente curta mesmo, objectivo do FMI é negócio apenas para tirar proveito com os seus empréstimos de resgate a economia em países com dificuldade financeira como STP.
    Durante a legislatura do XVI Governo Constitucional a mesma equipa disse publicamente que estava todo bom e deu nota positiva pelo desempenho do Governo. Hoje a mesma equipa diz que esta todo mal????
    Senhor Ministro sabe que STP sobrevive das ajudas externas para financiar OGE. Ajudas essas que grande parte vem para serem executadas no sector social, como pode o mesmo dizer que esta todo mal???
    Senhor Ministro esqueceu que o Pais não é industrializado, receitas primárias são insuficientes para relançar a economia. Estas afirmações são abusivas e tendenciosas porque o povo sabe o tipo de economia o Pais tem, motivos que os sucessivos governos utilizam a via de pedir ao exterior para executar o OGE e o seu governo não foge a regra, agora é deixar de reclamar e por mãos a obra. Trabalhar, deixar de lamentar, lamentar e lamentar já sabemos que as vossas promessas de campanha sérvio apenas para chegarem ao poder, não vão cumprir nada.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo