Economia

“Medidas duras, de impacto social grande”

É a garantia dada aos são-tomenses pelo Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus. Cada cidadão são-tomense vai pagar caro pelo resgate da situação económica e financeira, marcada por desequilíbrios macro-económicos, dívida pública insustentável, incluindo as ocultas que atingem 3% do PIB(segundo a denúncia feita pelo FMI).

A nível interno a comunicação do governo, e a informação das populações, sobre esta situação, são praticamente nulas. O défice de comunicação no país por parte do governo junto às populações, para que compreendam o que está a acontecer, e se preparem para o pior que está por vir, contrasta com o a vontade do Governo em falar para os cidadãos da diáspora, sobre os choques que se avizinham.

Em Portugal, o primeiro Ministro Jorge Bom Jesus, detalhou para a comunidade imigrante, o que de facto vai acontecer brevemente connosco. «São algumas medidas duras de impacto social grande. Mas, não temos outra solução perante o volume da dívida, e tudo que teremos que fazer para o saneamento das finanças públicas, e melhorar o desempenho económico», afirmou o Chefe do Governo.

Jorge Bom Jesus foi mais preciso, na definição das medidas duras. «Uma dessas medidas é podermos vir a aumentar o preço dos combustíveis, a gasolina, o gasóleo e o petróleo».

A última missão do FMI realçou a necessidade de se por fim a subvenção do preço dos combustíveis. O preço praticado actualmente em São Tomé e Príncipe, já é insuportável para a população. A previsível subida do preço dos combustíveis pode sufocar a vida no arquipélago, pois em consequência, explodirá a subida de todos os bens e serviços.

Como se não bastasse, é urgente a implementação do imposto sobre o valor acrescentado. Trata-se do IVA, que segundo o Primeiro Ministro tem que ser de 15%. «Em relação ao IVA já aprovamos na generalidade na Assembleia Nacional. Temos que finalizar o trabalho na especialidade. A meta é de 15%, e o que foi aprovado na Assembleia Nacional é de 10%. Já prometemos ao FMI, que na especialidade vamos ter um diálogo com os deputados, no sentido de elevar para 15%. É a única forma que temos para colmatar o deficit», explicou o Primeiro Ministro aos são-tomenses que vivem em Portugal.

Medidas duras de impacto social grande, que têm que ser aplicadas. Caso contrário não haverá acordo de facilidade de créditos com o FMI. Um acordo fundamental, para a sobrevivência do próprio país, que depende em 97% da ajuda financeira internacional. «Nós ainda não fechamos o acordo com o FMI. E estamos a fazer tudo para que este acordo se concretize no mês de Setembro. Sem o qual teremos quase todas as portas trancadas, desde o Banco Mundial passando pelos membros do Club de Paris, e possivelmente o próprio Banco Africano de Desenvolvimento, também trancará as suas portas», pontuou o Primeiro Ministro.

A nível nacional, a maioria da população, não entende as causas deste aperto cada vez mais severo, e não está preparada ou informada, para enfrentar o impacto que está a porta. Mas os são-tomenses que vivem em Portugal, tiveram a oportunidade de escutar tudo, e conheceram as medidas compensatórias que o Governo está a negociar com os parceiros internacionais, nomeadamente o Banco Mundial, para tentar diminuir os danos colaterais do impacto que se avizinha.

«Há medidas compensatórias, e com o Banco Mundial estão a ser estudadas para mitigar o impacto. Já há 2500 famílias que estão a ser atendidas. Há também uma componente de empreendedorismo, e outra de desenvolvimento do turismo», sublinhou Jorge Bom Jesus.

Abel Veiga

    27 comentários

27 comentários

  1. Pascoal Carvalho

    9 de Setembro de 2019 as 23:33

    Certamente falou na diáspora pela oportunidade que teve e, respondendo solicitações desta plateia.
    Entretanto essas medidas duras, terão certamente mais que impacto social grande, uma vez que não tem sempre que ser a sociedade pequena a sofrer com elas.

  2. MIGBAI

    10 de Setembro de 2019 as 7:24

    Porque não pedem aos chineses para suportarem as dívidas. Eles até parecem ser nossos grandes amigos, ao ponto de rompermos as relações com Taiwan por causa deles e da nossa incompetência para sermos independentes.
    Vão agora pedir-lhes dinheiro para nos mantermos e deixem o povo em paz, povo este, que não foi chamado nem ouvido para a miserável independência que nos foi imposta não tem que pagar aos independestistas os seus desvanecidos e loucuras.

    • Referendo pela Autonomia com Portugal

      10 de Setembro de 2019 as 16:31

      Concordo plenamente contigo. Por isso, sou a favor de um referendo para autonomia. Defendo que seja Portugal, mas estaria de acordo que fosse com qualquer outro Estado, desde que se consiga tirar esses independentistas do poder. Dizem que lutaram para independencia total e completa e ha mais de quarenta e quatro anos que o pais so conseguiu alcançar a independência política para eles e suas familias. O resto continua dependente dos políticos e o resto é o que se vê, país pobre e de rastos. nem sequer conseguimos pagar o pão que comemos. Mas eu digo, a comunidade internacional é culpada, pois ela não pode continuar a sustentar essa meia duzia de homens em nome de São Tomé e Principe.

  3. MIGBAI

    10 de Setembro de 2019 as 7:25

    Desvaneios

  4. Libreville

    10 de Setembro de 2019 as 8:41

    Sr. Primeiro Ministro só pode estar a brincar com esse povo.
    Sr. para chegar no poder soube e bem confundir a cabeça do povo e mentiu ao povo, aonde esta agenda de governação que Sr. apresentou durante a campanha eleitoral?
    Mentiu dizendo que iria baixar todo porque o povo estava sufocado e a sofrer e agora vás acabar por matar-nos todos?
    Cortes nas Horas Extras, porquê?
    Agora vem aumentar e endurecer a vida da população?
    Isto que é governar?
    Pior politico que já conheci na minha vida.
    Sr. diminui rendas das famílias e aumenta custo de vida.
    Achas que o valor que as 2500 famílias estão a receber serve para alguma cisa, elas não merecem mais?
    Politicas populistas e com mentiras. Sr. tem dias contados, somente nas horas extras que pretende cortar.

    • Generosa

      10 de Setembro de 2019 as 11:07

      Este carrasco do libreville deve estar a brincar. Senhores deixaram PT fazer dividas por tudo que é canto e agora está exigir impossivel ao Jorge Bom Jesus?
      Acha que ele tem milagres para resolver o que vs andaram a fazer. Santo Deus

      • Jose Castro

        10 de Setembro de 2019 as 15:05

        Nao ha desculpa para o PM Jorge bom Jesus que tinha prometido tudo de melhor ao povo antes de chegar ao poder: o PM prometeu a reducao de impostos, aumento de salario, diminucao do preco dos combustiveis e tudo mais de melhor ao povo. Se desconhecia a realidade economica do país antes de subir ao pode que nao fizesse promessas miraculosas. Agora exigimos que o PM cumpra com todas as promessas e nāo iremos aceitar a continuacao da degredacao da nossa qualidade de vida ja de si extremamente precaria.
        Peco a/o senhora/senhor Generosa que va tomar banho e que deixe o melhor PM que STP alguma vez teve em paz. Ataque o PM JBJ que nada tem feito pelo pais e que nos afundado cada vez mais.

        • ONDE MESMO?

          10 de Setembro de 2019 as 15:43

          Uma coisa é conhecer a situação real do paóis e Jorge B. Jesus conhecia bem. Outra são as dívidas escondidas que nem o FMI, o Banco Mundial e o BAD conheciam. O Pinta Cabra andou por aí a comer dinheiro e vocês nunca falaram nada e agora pede ao Bom Jesus para fazer milagres? Aguenta.

          • Jose Castro

            11 de Setembro de 2019 as 14:11

            Se o Primeiro Ministro, Jorge Bom Jesus, conhecia a situacao real do país, como diz o bandido “ONDE MESMO”, e consequentemente tendo pleno conhecimento de que vivemos a quase 100% dependentes da ajuda international, pela ausencia de meios e recursos financeiros, para responder as necessidades mais elementares do país, mas mesmo assim andar fazendo promessas miraculosas, a ser verdade, o PM Jorge Bom Jesus tera que deixar imediatamente o cargo de PM por falta de lealidade para com todos aqueles que se deixaram levar pelas suas mentiras.

    • ONDE MESMO?

      10 de Setembro de 2019 as 15:39

      A culpa não é deste primeiro ministro mas sim do teu o PINTA CABRA.

  5. Vanplega

    10 de Setembro de 2019 as 9:04

    Fala serio senhor 1 Ministro.

    Antes medidas drastiga que vai tornar nossa miseria ainda mais profunda. O senhor, devia ver outra forma ou mesmo dar exemplo.

    Veja a tua casa em 1 lugar

    Exemplo: e obrigatorio cortar nos salaries dos deputados da assembleia da repubblica.

    E necessario cortar nos gastos no palacio cor de rosa. A final sequel local tem muito dinheiro.

    Cortar nas reforma dos politicos. Esta parte absolve um grande precursor.

    Cortar salarios dos directors de EMAE, ENAPOR, ENASA e muitos outros

    Todos is politicos ladroes, que roubaram a seu pelo prazer, devem reporters
    A justica com ele

    Por ultimo o povo pequeno, que deve ficar de fora. Sabemos nos, que o estado e o povo e, boss contruicao e necessaries

    Senhor 1 Ministro, por os miseraveis a pagar para depois os senhores roubaram
    NAO ESTA CERTO

    • Cobra branca

      11 de Setembro de 2019 as 11:42

      Melhor privatizar esas empresas.

  6. JACA DOXI

    10 de Setembro de 2019 as 10:54

    Entendo que o governo precise de tomar medidas para fazer face aos problemas económicos que o país tem atravessado nos ultimos tempos mas, acredito existir outras alternativas que podem ser adoptadas sem que as populações que já são pobres e em alguns casos vivem numa miséria deprimente, tenha que sofrer ainda mais do que já sofrem. Envez de adoptar essas medidas, que tal se:
     O governo criasse um maior equilíbrio nos salarios praticados, através da revisão da política salarial do topo a base?
     Os Ministros, Directores, Juízes tivessem uma vida mais modesta de acordo com a realidade do país ao envez do luxo sustentado pelo governo? Certamente que isso já contribuiria grandemente para reduzir as despesas públicas.
    Não é justo que a classe mais desfavorecida da população sofra as consequências de um problema que todos nós criamos; os políticos por roubarem e a população por mermitir que o fizessem. Se temos que sofrer as consequências, que soframos todos, também.

    Relativamente a medidas que possam atenuar o problema, que tal se:
     O governo dotasse o sector privado de meios e exigisse dos mesmos resultados, ao mesmo tempo que disciplinasse os critérios de investimento externo de modo a criar um maior equilíbrio na balança comercial?
    Para que o empreendedorismo seja uma solução viável para o país, é preciso que os jovens tenham meios e conhecimentos; é preciso orientar a produção interna para a exportação, visto que o país precisa de arecaudar divisas do exterior; é preciso que o estado abra caminhos para que as empresas nacionais internacionalizem porque o mercado São-tomense está literalmente falido.

    • Referendo pela Autonomia com Portugal

      10 de Setembro de 2019 as 16:45

      Jaca Doxi, esses dirigentes deste país estão nas tintas para isso. Querem la saber. Eles vivem a grande e a francesa, enquanto o povo sofre e sofre. Um país como São Tomé e Príncipe precisa de todos esses dirigentes. Queres um exemplo, que estão nas tintas para o povo, o país não tem um tribunal de trabalho para dirimir conflitos laborais, mas tem um tribunal constitucional para ajudar os politicos no caso da rosema. Por isso, digo referendo já. Queremos referendo, estamos cansados destes larápios, sanguessugas, desgraçadores.

  7. Coerência

    10 de Setembro de 2019 as 11:50

    A forma como a notícia foi desenvolvida, acho uma brincadeira de mau gosto o Sr. PM falar de um assunto tão relevante apenas para os nossos irmãos concidadãos residentes em Portugal. Isto diz respeito à toda a nação, a todos os são Tomenses e, o Sr PM tem que ter a coragem de falar do assunto para todos os cidadãos, quer os da diáspora como os residentes em STP. O país está mal, temos problemas de fundo e, temos que falar do assunto de forma nua e crua e não andar aí com manobras fúteis, como por exemplo, dizer que a maioria dos São Tomenses não percebem do assunto. Isto é brincadeira de mau gosto. Não se brinca com um assunto de tamanha responsabilidade. Há reformas estruturais financeiras que obrigatoriamente tem que ser feita, todo por causa da má gestão desde a independência do país e, agora vamos todos pagar caro por isso. Isto não é assunto de se estar a falar as escondidas ou de forma cuflada pois, são as famílias e os cidadãos que vão sofrer na pele.

  8. S.Tome

    10 de Setembro de 2019 as 12:12

    Sr. Primeiro Ministro,

    Realmente, é de estranhar que Nós como um País tão pequeno chegamos a este ponto. Mas já que estamos no fundo do poço,( repara bem eu disse nós Santomenses estamos no fundo do poço não só povo pequeno). Então o que fazer?
    Segundo o senhor, vais se aumentar os preços de combustíveis, que automaticamente fará aumentar o preço de outros bens essenciais (para nós os Santomenses, não só o povo pequeno) por tela non.

    Solução:
    1.º Ajuste salarial ao nível do País para todos os Santomenses.

    Começo por sua Exc.o Presidente da República,o senhor Primeiro Ministro e o seu elenco que seja revisto alguns subsídios que não se enquadram por não estar a ser usado, e que o receba se se justificar,( isto porque o País esta no fundo do poço,e vocês teriam que ser os primeiros a darem o exemplo.

    2.º Ao nível dos nossos deputados ( qual a função dos deputados e porque estão lá, estão lá para trabalharem para o povo, postos lá para isso, diminuição do salário drasticamente, trabalha para o povo quem quer, se não quiser, que deixe, que a quem queira, e para fazer melhor.
    3.º Ao nível dos seguintes sectores: Banco Central, Ministério das Finanças, Enasa, Inac, Emae, etc, revisão urgente da grelha salarial, isto porque não têm ajudado em nada o país, e são insustentáveis.

    4.º Proponho reestruturação Administrativa do País, como? diminuição de deputados de 55 para 14 ou seja que seja eleito 2 por Distrito e dois na região autónoma, Redução de Ministros para 5 junção de Ministérios.

    5.º Força Armada, Força Presidencial, Polícia Judiciária, Policia Nacional, até parece música, procurar melhor junção e diminuição drástica destas forças.

    6.º Bens do Estado: Venda de todos os carros topo de Gama compradas pelo seu Governo e o anterior e compra de uma frota de carros simples para O ESTADO ( estamos no fundo do poço então não justifica dizer que estamos mal e vcs andam a gozar deste povo com esses carros, pensando que são vossos)

    7.º Concurso público Internacional e Nacional para exploração das nossas empresas agrícolas, cuja mão de obra terá que ser em 70% Santomenses)

    É tudo por agora,

    Boa tarde.

    Sebedo
    2.º

  9. Cidadão Filho da Terra

    10 de Setembro de 2019 as 13:12

    Muito obrigado Sr.º Primeiro Ministro por conseguir enganar este povo.
    O Sr.º quando estava fora das 4 linhas disse que é bom jogador e que iria marcar muitos golos… disse que vai baixar tudo, disse que o povo está na miséria, não pode este povo sobretudo os que deram toda a sua vida para este país viverem na miséria, em ter que ir para o Hospital e pagar tudo, enfim enfim… Sr. Primeiro-ministro.
    Quem te viu quem te vê. Apenas está a fazer o papel do palhaço e é safado.
    Mas, como sou o cidadão de São Tomense e não estou aqui, só para criticar, entretanto quer e estou disposto a contribui com o meu modesto saber para que na verdade façamos uma verdadeira reforma das finanças públicas e da administração pública em geral.
    Reúne toda a sociedade civil ( Empresários nacional e estrangeiros, jovens empreendedores, estudantes, funcionários públicos e privados, ONgs, entidades locais e regionais, corpo diplomático, parceiros internacionais, dirigentes, directores, chefes, todos mais todos sem excepção para sentarmos e debatermos em Mesas Redondas os problemas económicos e financeiros do País, cada um no seu dia conforme o programa e veremos depois, se daí todos não havemos de encontrarmos uma soluções sustentável para esse nosso belo e maravilhoso País de nome santo. Desafio-lhe Sr.º Primeiro-ministro).
    Muito obrigado.
    Estou disponível.

  10. silvio antonio

    10 de Setembro de 2019 as 14:06

    Agora é que eu estou a ver Abel. Hoje não há comunicação interna sobre esta matérias. No entanto o Sr. Primeiro esqueceu do seu discurso quando ai assumir o poder. Andava a dizer que iria baixar tudo. Malandros só sabem enganar as pessoas. Resolver o problema é simples basta diminuir as regalias de todos os titulares de cargos públicos incluindo o senhor. Deixarem de comprar grandes viaturas e ajudar a enriquecer a CIEM e a CFAO, que as coisas se resolvem. Também podem vender as grandes viaturas e comprar as mais modestas. Os primeiros ministros são nomeados para resolverem os problemas da nação. Neste caso o Jorge apenas anda a chorar e lamuriar…ainda por cima andou a perseguir os bons quadros na administração pública.
    Querem pisar os coitados enquanto os senhores andam no banquete toda a hora. Só os pequenos é que pagarão por isso.

  11. Equilibrio Geral nos salários

    10 de Setembro de 2019 as 17:30

    Aqui não vai haver medidas duras coisa alguma,esse povo,os funcionários públicos já vivem na miséria,então os senhores têm que fazer corte a começar de vocês,desde o Presidente da República,Ministros,Directores,existe em S.Tomé uma República a parte com 16 ou mais salários,chamado Banco Central de S.Tomé,EMAE,ENASA,ENAPORT,Universidade de S.Tomé e Príncipe, Institutos, e empresas públicas, INAC Alfândega, impostos.
    Estes lugares que eu citei vivem e muito bem mas o resto do povo na miséria,então têm que haver cortes ,mas cortes nesses lugares imediatamente,ou vivemos todos bem ou vivemos todos mal,sem excepçao alguma,os Ministros têm que parar de viajar e gastar dinheiro dos contribuintes.Ou vivemos todos ou morremos todos,poxa pa

  12. Vanplega

    10 de Setembro de 2019 as 18:24

    Senhor 1 Ministro

    Tributa os Santomenses, que roubaram e depositaram no estrangeiro. Aqueles que roubaram e compraram apartamentos, Quintana e vivendas

    Com dinheiro roubado.

    Corta os salarios, dos chefes militares, dos directores das empresa, dos deputados, nas reformas milionarias dos politicos.

    Senhor 1 Ministro, da exemplo, cortando nos seus gastos e teus companheiro do governo.
    Ainda nao deste examples

    Nao pode ser os mesmo apagar. Nao temos energia estavel. Vao tira o que?

    Isto precisa duma grande revolução

    O povo tem que fazer justiça, contra esses ladrões.

  13. Barão de Água Izé

    10 de Setembro de 2019 as 20:07

    Para quando o fim das nacionalizações?
    Privatizar, reprivatizar. Deixe-mos-nos de preconceitos ideológicos. Fim das concessões parasitas.
    Atrair investimento estrangeiro. Reactivar a agricultura e agro-pecuária.

  14. silvio antonio

    11 de Setembro de 2019 as 7:39

    Enfim a somar as medidas que muitos comentadores fizeram referência aqui neste forúm sobretudo quanto as regalias dos titulares de cargos politicos que deviam baixar e que o sr. primeiro ministro parece não ver que só traz encargos para o pais, se devia diminuir o número de dias feriados em São Tomé e Principe a começar pelo 30 de Setembro. Essa comemoração não faz sentido uma vez que as roças estão abondonadas. É um insulto comemorar esta data. Deve-se trabalhar e privatizar o deve ser privatizado. A nacionalização das roças nos tempos que correm nem faz sentido sequer ser abordada. Além disso deve-se acabar com muitas festas de zona que só trazem mais consumo de alcool, prostituição, lixo, poluição sonora, problemas de circulação do trânsito e outros. fui….

  15. jordão fernandes

    11 de Setembro de 2019 as 8:06

    Este primeiro Ministro e os membros do seu medíocre governo têm mesmo a cara dura para andarem a pregar este tipo de falácias.
    O país está em crise?
    O senhor está a pagar a um seu amigo dito advogado Aragão oito mil euros por mês sem fazer nenhum e o senhor diz que o país está em crise? Estes oito mil dólares temos o conhecimento que uma parte é para sí, ou seja é entregue por este advogado ao senhor todos os meses.
    O Diretor da EMAE deixou de utilizar a carinha da própria EMAE que transportava os trabalhadores e agora é a viatura Hiace do Director que cobra uma soma de 100 euros diários para transportar os trabalhadores da EMAE e o senhor diz que o país está em crise?
    Os salários enormes de mais de 4 mil euros mensais recebidos pelos directores da ENAPORT, EMAE, INAC, ENASA entre outros, e o país está em crise?
    O senhor a primeira coisa que fez foi aumentar os salários dos deputados com valores astronómicos e vem agora dizer que o país está em crise?
    Se considera que o pais está em crise e que o senhor não consegue resolver o problema da população, porque é que não põe o seu lugar a disposição. O senhor não está a cumprir com nada que prometeu, então porque é que não propõe eleições antecipadas, livres e honestas para ver se o povo confia em sí. Isto porque o senhor está no poder, não pelo mandato popular mas sim devido a geringosa que criaram. O partido mais votado foi o ADI e continua a merecer a confiança do povo. Se não querem acreditar então convoquem as eleições já.
    Bem Haja STP

  16. Descamizado

    11 de Setembro de 2019 as 9:34

    Meus senhores. Penso eu na minha opinião, que os verdadeiros Santomenses só tomaram realmente o conhecimento da situação débil e drástica no campo financeiro e económico quando o próprio FMI (Fundo Monetário Internacional informou à todos através da Comunicação Social no encontro com o seu responsável com Sua excelência o Presidente da República da Dívida oculta escondida e camuflada pelo anterior Governo que nem se quer deixou os grandes Dossiers ao actual Governo. Vamos ser sérios, apresentando soluções ao Governo através de um debate sério no cinema Marcelo da Veiga ou na Assembleia Nacional. Se formos sérios não estaríamos a culpar as possíveis medidas que o Governo possa tomar. São regras do FMI num País que vive de ajuda externa que é S.Tomé e Príncipe. Recordo ainda, quando o senhor Ministro da Defesa senhor Óscar de Sousa disse que o Estado não está em condições actuais para ajustar os salários dos Militares. Qual foi a reacção dos próprios militares e do Partido da Oposição ADI? Que este Governo tem e deve pagar aos militares do compromisso deixado pelo senhor Patrice Trovoada e a chefia Militar, inclusive tentaram impedir a entrada do Ministro da Defesa no Quartel General.Em vez de quem está a trabalhar preocupar-se com o aumento da produção e da produtividade,fica 8 horas no trabalho na fofoca. Pergunto eu, se ao apresentarmos soluções, quais foram os produtos que o País exportou para desenvolvimento de S.Tomé e Príncipe? Qual foi o nível do Produto Interno Bruto, destinado a exportação.Então o Governo deixa de Importar os produtos, obrigando aos Santomenses o uso de produtos Locais, para diminuir as despesas. Sinto-me satisfeitos se o Governo baixar as regalias que têm os senhores directores da EMAE;ENASA, ENAPORT e outras para a contenção das despesas. Assim evitaria os fulufulos em que toda a gente só quer ser directores.

  17. STP Terra linda e gente boa

    11 de Setembro de 2019 as 11:32

    Essas medidas não é estranho para ninguém, o nosso país viveu sempre em crises. Viram alguém a morrer de fome em STP? Os recursos que temos sempre nos deu algo para comer e estamos a engordar mesmo assim. Onde é que há novidades nisso? O que o shr 1°ministro devia esclarecer aos Santomenses na Diáspora, é o acordo que fizeram com a Ceiba e que até agora ninguém está ver nada de concreto. Os bilhetes de passagem estão caríssimos e todos de bico calado. Onde é que anda o shr ministro Osvaldo Abreu que falou tanto sobre o acordo. Vão todos plantar batatas, é só blá blá blá para brilhar o discurso mas na prática é zero. Incompetência total.

  18. Rafaela Sobral

    11 de Setembro de 2019 as 12:15

    Tive o prazer de ter estado como convidado neste evento em Portugal.

    Não confiaria 1€ sequer a esta cambada de ladrões, não inspiram nenhuma confiança, apenas e só estão desesperados por se manter na aventura independentista e, em final de linha, manter os seus confortáveis lugares de governo/ presidência. Povão não interessa.

    Todo o discurso do presidente tresandou a miserável iniciativa de coitadinho perante os emigrantes são tomenses em Portugal para que enviem as suas poupanças para as suas famílias em STP de forma a que não sintam o que aí vem de cortes e salários em atraso. O que foi dito pelo Presidente foi muito grave e temo pela minha família que ainda lá está.

    Preparem-se que não receber salários nos próximos longos meses.

    Deixo aqui o meu testemunho para que os são tomenses irmãos saibam o que os espera no futuro próximo.

  19. Ralph

    13 de Setembro de 2019 as 6:19

    Isto é o que acontece quando se gasta dinheiro que não tem por demasiado tempo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo