Economia

BirdLife avança com plano de emergência para proteger as populações mais desfavorecidas

A crise sanitária e económica desencadeada pela pandemia global de VIDOC19 não poupou São Tomé e Príncipe. No arquipélago, vários sectores de actividade têm sido particularmente afectados por um abrandamento, ou mesmo paralisia, da sua actividade, em especial o sector do turismo.

Neste contexto, a delegação da BirdLife International em São Tomé e Príncipe, uma ONG para a conservação da natureza e da biodiversidade e coordenadora do projecto ECOFAC6-Ecossistema e Biodiversidade , financiado pela União Europeia, elaborou um plano de apoio de emergência para responder à situação da COVID19 em São Tomé e Príncipe.

Este plano de emergência inclui 14 iniciativas cujo objectivo é ajudar a mitigar os efeitos da crise económica e propor actividades alternativas para manter os meios de subsistência dos grupos sociais mais sensíveis, especialmente ao redor das áreas protegidas, promovendo uma transição ecológica para uma economia responsável.

Entre estas iniciativas, a reabilitação e manutenção de percursos pedestres no Parque Natural do Obô de São Tomé (PNOST), por mais de 25 eco-guias da Associação Monte Pico, em curso desde março do corrente ano, é uma história de sucesso que tem assegurado uma fonte de rendimento para os eco-guias, cuja actividade foi paralisada pela ausência de turistas.

Leia na íntegra o documento que detalha as 14 iniciativas que estão a ser implementadas pela BirdLife em São Tomé e Príncipe, para conter o impacto da Covid-19, sobre as populações mais pobres : Apoio da Birdlife aos ecoguias-Comunicado de imprensa

 

    1 comentário

1 comentário

  1. Dádiva

    15 de Maio de 2020 as 19:59

    Manos guias turísticos não perca esperança haja esperança, apesar da incerteza do fim deste do fim.
    Esperamos que os bons tempos virão

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo