Destaques

Patrice : “Não se passou nada na Assembleia Nacional”

É a primeira frase de Patrice Trovoada, ao incidente que ocorreu no edifício da Assembleia Nacional na tarde de quinta – feira.

«Não se passou nada na Assembleia Nacional», afirmou o Chefe do Governo, para depois explicar que «Trata-se apenas de um exercício que foi planeado».

Acrescentou que foi planeado e com informação prévia a Assembleia Nacional. «As forças de segurança nomeadamente a Unidade de Protecção dos Dirigentes do Estado e a Unidade de Defesa e Segurança Presidencial, pediram primeiro a autorização a administração da Assembleia Nacional para depois das horas de expediente poderem fazer um exercício que faz parte da capacitação das forças, cuja missão é a protecção dos dirigentes e das instituições do Estado».

Patrice Trovoada, anunciou que sob a sua égide, o governo está a definir um plano nacional de segurança, e as forças de segurança têm que treinar nos locais estratégicos. «As forças têm que ir aos locais, saber as entradas, as saídas, os pontos fracos para dar mais segurança aos edifícios e as pessoas que estão investidas do poder constitucional no nosso país. Por isso não há problemas», pontuou.

Reconheceu que os deputados não foram informados sobre a realização do exercício militar na casa parlamentar, mas não há drama. «Pode ser que um ou outro deputado não tivesse sido informado. Mas, procura se informar e não há drama, é uma questão perfeitamente normal», reforçou.

O Chefe do Governo, aproveitou o microfone da Televisão do Governo, a TVS, na Vila da Ribeira Afonso, para esclarecer ao povo que a lei da defesa nacional em vigor, foi feita pelo anterior governo de Rafael Branco, e diz que quem coordena a defesa e a segurança do país é o primeiro-ministro.

Patrice, concluiu a sua reacção, dizendo que nesta altura é ele quem coordena a política de defesa e segurança do país e em período de paz. Ao povo pediu calma, porque tudo está sob o seu controlo.

Abel Veiga

 

 

    12 comentários

12 comentários

  1. Salmarçal 2

    2 de Setembro de 2017 as 19:19

    Caros leitores

    Após ter lido a declaração do Patrício Trovoada aos meios de comunicação social do país, fiquei com percepção que os governantes acham que os Santomenses não percebem nada. Erro, somos tão lúcidos como eles. A prova disso, é que o povo tem castigado, durante as eleições, os governantes corruptos e mentirosos. O actual governo, vê a falta de democracia como “nada”, vê lixos e cheiros nauseabundo como “normal”, vê corrupção como “nada”, vê desemprego, falta de comida, ou ainda, buracos nas estradas como “normal” ou nada. Todavia, quero dizer ao Patrício Trovada que tudo que foi mencionado atrás é problemas que o sr.nos prometeu resolvé-los. Só que, até hoje, nos, os sanotmenses, vemos as suas promessa como “nada” ou seja , vemos as suas promessas como “mentira” ou seja, mentir para o Sr. é normal.
    O povo está cansado e sem esperança.

  2. atonito

    2 de Setembro de 2017 as 23:43

    Essa afirmação não tem lógica, quando o primeiro ministro não participa das sessões parlamentar.
    Upde vai defender quem?

    Acho que esse exercício tinha um outro propósito e não o exercício em si.

    Primeiro ministro fla só, nana viajou Patrice terá que retomar rotina, viajar para encetar contactos, talvez mais Ruanda arruada

  3. Ralph

    4 de Setembro de 2017 as 1:41

    Gosto que o Téla Nón tem a coragem de noticiar artigos como este e trazê-los ao público. Uma imprensa livre tem um papel essencial numa democracia, servindo para pôr o governo do dia sob pressão e mantê-lo honesto. Não ficaria surpreendido se este jornal viesse sob muita pressão a não publicar vários artigos que sejam sensíveis ao ponto de visto do governo. Todas as pessoas merecem saber o que se passa, mesmo se aquilo não agrade o governo. Se uma imprensa livre não existisse, STP poderia rumar à mesma direção aos países ditatoriais como a Coreia do Norte. É nestas situações que um jornal como Téla Nón fica necessário mais do que nunca.

  4. Até que enfim

    4 de Setembro de 2017 as 4:29

    («Não se passou nada na Assembleia Nacional», afirmou o Chefe do Governo, para depois explicar que «Trata-se apenas de um exercício que foi planeado». «Pode ser que um ou outro deputado não tivesse sido informado. Mas, procura se informar e não há drama, é uma questão perfeitamente normal») PT considera nada e questão perfeitamente normal, um deputado da AN no exercício de seu dever ser: interpelado, revistado, impedido a punhais de arma, ainda mais sendo «um exercício que foi planeado»???!!!!!!
    Está tudo dito e bem explicado, um exercício planeado contra os líderes, os deputados da oposição, a ex-presidente da Rep. e a mais ninguém! Então, por que razão até então nenhum membro do governo, da presidência da República ou deputados da ADI e seus comparsas foram alvos de tal exercício planeado, classificado como nada e questão perfeitamente normal pelo PT???? Quem se esconde demais por detrás da mentira, a sua própria língua, cansada de mentir, o incrimina, é o que acontece agora com o PT, até a sua própria língua está aborrecida e cansada de tantas mentiras e falsas declarações, na tentativa de enganar e meter os dedos nos olhos do povo!!!!

  5. Antonio Rocha

    4 de Setembro de 2017 as 10:43

    Senhor Patrice, por favor chame atenção aos seus ditos jornalistas capangas bajuladores, porque eles proprios estão a dar cabo do senhor. Como pode um tal jornalista Mateus Ferreira dizer que a sua entrada em Ribeira Afonso para ibaugurar canduta de agua foui uma entrada triunfal?!?! Será que ele não sabe o que quer dizer uma entrada triunfal? Por favor, meus senhores, procurem ser bajuladores mas com medida.
    Posso dar como exemplo, quando as tropas Sirias recuperam um reduto em guerra, isto sim significa entrada triunfal.
    E neste momento que em STP o senhor esta a braços com a legalidade ou não das tropas Ruandesas em STP, essa adjetivanção de entrada triunfal pode deixar a entender outra coisa. Poranto, o senhor Mateus que tente ser bajulador lambe-botas mas tudo tem que ter medida. Basta ver para o dito programa de ciquenta minutos que ele faz. Será que aqyilo pode-se chamar de um programa de televisão em pleno seculo XXI?
    Francamente meus senhores, se não ha nada para divulgar na TVS, divulguem musica…….

    • Vexado

      4 de Setembro de 2017 as 13:04

      Não há como, estão completamente viciados em lamber botas. Única inovação será lamber o cú do homem.
      Oposição andou a criticar que há falta de isto e aquilo e o Patrício tempestade anda a implementar as sugestões da crítica.

  6. falar verdade

    4 de Setembro de 2017 as 13:30

    Muita coincidência :
    Exercícios de tropas ruandesas afetarem apenas deputados da oposição e ex-Presidente Pinto da Costa.
    ???
    Santomenses, meu povo ” Acordem de sono”
    Entenda o genocídio de Ruanda de 1994: 800 mil mortes em cem dias.
    Por que eram tão cruel?
    Ruanda é uma sociedade rigidamente controlada. O então partido governante, MRND, tinha uma ala jovem chamada Interahamwe, que foi transformada em uma milícia para realizar o genocídio. Armas e listas de alvos foram entregues a grupos locais, que sabiam exatamente onde encontrar suas vítimas.
    Como o genocídio foi realizado?
    Com organização meticulosa. As listas de opositores do governo foram entregues às milícias, juntamente com os nomes de todos os seus familiares. Vizinhos mataram vizinhos, e alguns maridos até mataram suas mulheres tutsis, dizendo que seriam mortos caso se recusassem. Na ocasião, carteiras de identidade apresentavam o grupo étnico das pessoas, então milícias montaram bloqueios nas estradas onde abateram os Tutsis, muitas vezes com facões que a maioria dos ruandeses têm em casa. Milhares de mulheres tutsi foram levadas e mantidas como escravas sexuais.
    E já se ouve falar da criação destas milícias, por tropas ruandesaas que que se encontram em S.Tomé e Príncipe!

  7. rapaz de Riboque

    4 de Setembro de 2017 as 18:03

    la vem este profeta tentar enganar o povo só acredita quem quer ou acredite que haja pai Natal , pois estamos a aproximar o Natal. Na era colonial também o senhor Gorgulho estava com muito boas intenções depois foi o que foi ou seja veio o massacre de Batepa em que morreu muita gente barbaramente assinados que manchou bem os colonos, é o que este senhor esta a preparar vamos ser colonializados de novo desta vez pelos Africanos

  8. Fernando Fernando

    4 de Setembro de 2017 as 18:25

    Nos anos 80 o povo também foi barrado várias vezes nas entradas de várias ruas, nas suas localidades pelos chamados FAPLA. Onde é que vocês tinham a boca na altura.
    Muita gente na altura sofreu também injúrias e os FAPLAS é que mandavam em todos inclusive nos militares e ministros santomenses.
    Porque na altura era o MLSTP a por estas tropas no país, tudo era legal e bonito.
    Não se esqueçam da palavra de ordem do Jorge Amado quando ele tinha a maioria na Assembleia em que ele declarou na plena Plenaria de que os cães ladravam e a caravana passava. E agora?
    Aguenta e cala
    Deus proteja STP e Governo Avante
    FF

  9. verhaverdade

    5 de Setembro de 2017 as 9:36

    queixa do eleitor ao Ministério Publico:
    condições eleitor: confirmar a inscrição na CNE entregar na Assembleia da Republica, e apresentar no ministério. estes senhores co “poder”, que infringe todas as capacidades da competência do “poder” que tenha para ser cumpridor de uma consciência do processo do desenvolvimento da nação, e complicam…! Na conclusão do mesmo pensamento vêm dizer “que não sabiam” esta desculpa que feri à verdade, esta verdade que em vez de dar a volta ao parlamento momento de ferias,deviam ir dar uma volta furando do lucumi à Riboque à ponte graça à mulundo à boa morte à o quê’l da rei à budo budo,e diversa localidade do país.

    Desenvolver a Nação!

    “O que fazer com fonte de energia que chega a toda localidade do país”

  10. Antunes Azanco

    5 de Setembro de 2017 as 9:48

    Pela preocupação levantada pelo cibernauta Antonio Rocha, gostaria de perguntar se esse tal Mateus Ferreira nao é o mesmo individuo que grachou Tome Vera Cruz para ser diretor da TVS chulando seu antecessor. Se for a mesma pessoa, o mesmo oportunista, o mesmo vira-casada, é de se lhe perguntar onde esta a casa que um tal partido politico lhe havia dado, onde esta a motorizada que um tal partido lhe havia dado e onde esta a inclusive a mulher que um tal partido politico lhe havia dado. Aqui em Londres no seio da malta, nos comeretes e beberetes de fim de semana surgiram informações de que o gajo não consegue falar com garotas, porque deve ser outra coisa, e tinha que ser um partido politico a lhe arranjar mulher.

  11. Barbas

    5 de Setembro de 2017 as 13:11

    Isto não está para brincadeira. Camarão que dorme a água leva. Acordem minha gente senão teremos uma forte ditadura neste país.

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo