Política

MDFM-UDD: “ ADI pretende destruir as alavancas”

A União MDFM-UDD, garante que o partido no poder a ADI e o seu Governo, liderado por Patrice Trovoada como Primeiro Ministro e Presidente do partido, estão juntos a preparar o desmoronamento da democracia em São Tomé e Príncipe. «O ADI e o seu Governo pretendem destruir as alavancas da democracia tentando implantar um Tribunal Constitucional que lhes facilite a vida aquando da realização das eleições e não satisfeitos com isso, avançam com um projeto de Lei com vista a criação de uma Comissão Eleitoral Nacional desenhada a sua imagem e semelhança», denunciou a União MDFM – UDD, após reunião da sua comissão política de 27 de Dezembro último.

A união partidária recorda que na véspera do dia da sua comissão política, o Presidente da República, Evaristo Carvalho decidiu surpreender o país. «Os santomenses foram na noite de ontem surpreendidos com a promulgação pelo Presidente da Republica, da Lei que implementa o Tribunal Constitucional, sem que antes se conheça a decisão por parte do Supremo Tribunal de Justiça, nas vestes de Tribunal Constitucional, relativamente ao requerimento de apreciação da constitucionalidade de algumas normas do referido diploma, introduzido por um grupo de deputados a Assembleia Nacional», sublinhou a União MDFM-UDD.

A degradação social e política é evidente no país, refere a União partidária. «Os jovens estão completamente desanimados e desiludidos com o ADI pelas promessas feitas em 2014, pois o desemprego tem vindo a aumentar, o custo de vida encarece todos os dias e o Governo apresenta como solução a asfixia das empresas com uma subida desastrosa dos impostos, quando deviam receber incentivos por parte do Estado, e quando este devia adotar medidas conducentes ao corte das despesas supérfluas do Estado», frisou.

MDFM e UDD, exigem a intervenção do Ministério Público, para o devido esclarecimento da denúncia feita por João Tavares, líder da maior central sindical do país, de que os fundos da segurança social, se transformaram num saco azul do Governo de Patrice Trovoada. « Insurgir com a ação do Governo denunciada pelo líder da Central Sindical, Sr. João Tavares, como vem noticiado no Jornal Vitrina online datado de 24 de Dezembro de 2017, quando afirma que os fundos da Segurança Social se transformaram num saco azul do Governo, num ato ilegal que compromete o futuro dos trabalhadores e insta o Ministério Publico e outros Órgãos de Fiscalização do Estado a investigarem e apurarem a veracidade dos factos», concluiu.

Abel Veiga

    3 comentários

3 comentários

  1. Maria Silva

    3 de Janeiro de 2018 as 19:04

    A solução é simples: esquecer as cores políticas, filiações partidárias e unirem forças para arrancar o pinta cabra do patrice trovoada do poder e de STP de uma vez por todas , nem que for ARRANCAR a ferro !
    Esquecer absolutamente todo, e focar única e exclusivamente neste pinta cabra ,caso contrário já era para STP!

  2. Bom

    3 de Janeiro de 2018 as 19:47

    Vamos tds defender a nossa jovem democracia, não podemos admitir que um indivíduo que nem no partido dele tem voz, para vi mandar em todo povo santomense, se o presidente da República não tem voz no adi, vem mandar no país, com gente de td partido, no povo inclui gente de mlst, gente de adi, gente de pcd, gente de udd, gente do mdfm, gente do codo, gente do partido trabalhista, gente k não tem partido, vem aceitar um pau mandado, um assina só, um…. Kkkkk, força oposição o povo está convosco

  3. Lesada do ADI

    4 de Janeiro de 2018 as 19:56

    Deixem o governo trabalhar.

    No ano passado tínhamos uma diferença de 5 horas em relação ao Dubai este ano só temos uma diferença de 4 horas

    Prometeu arroz a 13 000 dobras, mas em 2018 arroz custa cerca de 2 500 dobras (dois mil e quinhentas doras), muito menos dobras

    E dizem que o governo não esta a trabalhar bem!

    Kidaleooooo Patrice

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo