Política

17 observadores eleitorais da CPLP foram espalhados pelo país

A Missão de Observação Eleitoral da CPLP, chefiada pelo antigo Ministro dos Negócios Estrangeiros da República Democrática de Timor-Leste, Dr. Zacarias da Costa, cobre as eleições Legislativas e Autárquicas de hoje (dia 7) com 8 equipas, distribuídas pelos 6 distritos de São Tomé.

A Missão conta com um total de 17 observadores, entre os quais diplomatas e deputados  da Assembleia Nacional de Angola e da Assembleia da República de Portugal, que vão acompanhar o dia das eleições, desde a abertura ao encerramento das urnas.

A Missão reuniu com representantes das candidaturas dos partidos políticos com assento parlamentar, com o Presidente da Comissão Eleitoral Nacional e com as Missões Diplomáticas dos Estados-membros.

A Missão de Observação eleitoral da CPLP apresentará, publicamente, uma Declaração Preliminar na terça-feira, dia 9.

Zacarias Albano da Costa,  Além de ter exercido funções como Ministro dos Negócios Estrangeiros, entre 2006-2012, foi, ainda, ainda Membro do Conselho de Estado (até 2016) e Membro do Conselho Superior de Defesa e Segurança (2006-2012). Foi Presidente do Partido Social Democrata – PSD (2008-2012) e Deputado ao Parlamento Nacional (2006).

Antes da Independência de Timor-Leste, era o Representante da Resistência Timorense junto das instituições Europeias, em Bruxelas (1995-2000) e membro da Comissão Coordenadora da Frente Diplomática.

A CPLP detém um vasta experiência em observação eleitoral, tendo participado no Referendo sobre a Autodeterminação de Timor-Leste e em inúmeras eleições presidenciais e legislativas nos seus Estados-membros, estando actualmente com uma outra Missão em Moçambique, a propósito das eleições autárquicas do próximo dia 10 de outubro.

Fonte : Departamento de Imprensa da CPLP

    4 comentários

4 comentários

  1. Antonio Nilson

    7 de Outubro de 2018 as 10:40

    Depois de 43 anos de independência porque razão se precisa de observadores internacionais? Será que não temos integridade e maturidade suficiente para tratarmos das nossas eleições de uma forma honesta e pacífica sem intervenção de fora? “A Missão de Observação eleitoral da CPLP apresentará, publicamente, uma Declaração Preliminar na terça-feira, dia 9? Porquê? Ficamos todos bebés, assim como adultos crianças-Uma pena…uma vergonha… Nós temos que refletir sobre essa situação triste: temos entretanto que mudar deste hábito e começar a organizar as eleições por conta própria, sem intervenção externa a partir do próximo ciclo eleitoral.

    • Nuno Menezes

      7 de Outubro de 2018 as 12:57

      Antonio Nilson

      Senhor Antonio nao ‘e bem assim, os mesmos servem como testemunhas, se existir algo de errado os mesmos servem como testemunhas,se haver desonestidade na votacao os mesmos servem como testemunhas,No sentido da Declaracao Preliminar apenas na Terca Feira dia 9, isso agora tem haver concerteza com o estilo de trabalho e outras coisas mais dentro de Sao Tome and Principe,normalmente na europa aonde vivo as urnas fecham as 22:00pm e continuam a trabalhar pela noite fora ate o proximo dia e a fazer horas extras, se consegue ver mais ou menos ver as estatistica quem esta a frente para assim ganhar as eleicoes do ano 2018, e tudo isso necessario como esta a economia de Sao Tome and Principe se esta em condicoes para assim concretizar essa mesma situacao, necessario fazer horas extras de trabalho e mais se ganha neste dia, o turno da noite ‘e um turno que se ganha mais,’e necesssario fazer mais de 16 horas neste dia sempre a trabalhar e fazer update para os jornalista da Televisao para assim os mesmos fazerem update tambem para a populacao acompanhar na televisao, e esse trabalho necessario tambem os jornalista da Televisao de Sao Tome and Principe tambem fazer horas extras e estar no air neste dia mais de 16 horas sempre a fazer update e informar a populacao quem esta a frente para ganhar as eleicoes se ‘e ADI ou MLSTP ou outro partido e tambem fazer lembrar a populacao ao ler que ano passado o ADI ganhou com cerca de 4 pontos e outras coisas tecnicas que assim se fala, tambem necessario a Televisao de Sao Tome ter equipamento com graficos no chao e o jornalista mulher ou homem com cerca de 50 kilos todos elegantes e bem vestidos neste dia a andar no meio de graficos dentro do estudio a explicar a situacao, tudo isso se chama infraestreturas e existe outras coisas mais importantes para assim resolver com urgencia primeiro e depois para acontecer tudo isso dentro de Sao Tome and Principe.
      E Tudo isso leva o seu Tempo e concerteza nao sera nesta nossa geracao que vai acontecer.

      Nuno Menezes
      Reino Unido,Lincoln

    • Troló

      9 de Outubro de 2018 as 15:05

      Chama-se credibilidade.
      Tem que ter, senão não vem mais dinheiro para STP.
      Entendeu isso?

  2. Matrusso

    7 de Outubro de 2018 as 12:18

    Isto acontece prq j não há confiança.

    Oxalá não tenham sido manipolados pelo Miguel…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo