Política

Roldão Boa Morte – Novo Comandante Geral da Polícia Nacional de STP

A decisão de nomear o Superintendente Roldão Boa Morte como Novo Comandante Geral da Polícia, foi aprovada na reunião do conselho de ministros de quarta – feira 26 de Dezembro.

No comunicado enviado a redacção do Téla Nón, o Conselho de Ministros anuncia que foi aprovada uma resolução que exonera o Comandante Geral e o Segundo Comandante Geral da Polícia Nacional, assim como o comandante da Polícia Fiscal e Aduaneira e o Director do Serviço de Migração e Fronteiras.

Imediatamente foi aprovada a proposta de nomeação do Superintendente Roldão Dias Boa Morte, como Comandante Geral da Polícia Nacional, e para o cargo de segundo comandante geral, o Intendente Aurito Vera Cruz.

Roldão Boa Morte, de 41 anos de idade regressa ao comando geral da polícia nacional, depois de ter sido nomeado em 2011 pela primeira vez como comandante geral da polícia nacional de São Tomé e Príncipe. Na altura tinha 34 anos de idade. Formado na escola superior de polícia de Portugal, exerceu no passado o cargo de comandante da Polícia do Distrito de Mé-Zochi.

Em 2014, foi exonerado do cargo de comandante geral da polícia nacional, e aproveitou para elevar o seu nível de conhecimento com a realização do curso de mestrado no domínio de investigação criminal.

No quadro da reforma do sector de segurança, o conselho de ministros nomeou a superintendente Maria Lisete Maria Fernandes Benguela como Directora do Serviço de Migração e Fronteiras. E para o comando da Polícia Fiscal e Aduaneira, o superintendente Carlos do Sacramento José.

Abel Veiga

    3 comentários

3 comentários

  1. Rapaz de reboque

    28 de Dezembro de 2018 as 12:07

    Desejo as maiores felicidades no seu novo cargo , que tenha pulsos para termos uma policia eficaz , na area da criminalidade , e no transito, para acabar com este caos dos motoqueiros e condutores indisciplinados.

  2. Metido a Besta

    28 de Dezembro de 2018 as 14:31

    Excelente decisão já que o anterior Comandante Geral da Polícia imiscue na decisão de tribunal no caso Cervejeira Rosema.

    Nunca se viu uma forca policial atuar a revalia de ordem Judicial.

    Falhou no exercício básico das suas funções de manter a lei e nao estar a margem dela

  3. Euclides

    29 de Dezembro de 2018 as 22:43

    Tanta coisa se disse em relação aos Juizes e veja-se o que os juizes que agora deixaram o lugar fizeram.

    Em cerca de 6 meses, fizeram mais do que 10 viagens ao estrangeiro, umas vezes, em trabalho outras….
    Receberam milhares de euros em salários e os diversos subsídios.

    Receberam milhares de dobras só para realizar um concurso para admissão de novos juizes, onde tudo se passou de forma ilegal e imoral, cujo o objetivo, não visava outra coisa se não, justificar o recebimento de avultadas quantias.

    Em pouquíssimo tempo, encheram o STJ de familiares e amigos.

    Gente sem escrúpulos, corruptos. Deveriam devolver ao estado os valores que receberam de forma ilegal. Alguns foram para lá sem serem juizes e ainda portavam-se mal.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo