Política

OGE para 2019 é de 150 milhões de dólares e pretende ser pragmático

É de urgência e de implementação pragmática. Assim o Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus, definiu o Orçamento Geral do Estado para 2019, cuja proposta foi entregue esta semana no parlamento. «Está avaliado em 150 milhões de dólares….estamos sobretudo preocupados com a implementação. Queremos que em outubro a novembro tenhamos uma taxa de execução de 80% ou próximo disso», afirmou o Primeiro Ministro.

Jorge Bom Jesus que entregou a proposta ao parlamento, disse que quer quebrar com a corrente de fraca execuçao do Orçamento Geral do Estado. «Por exemplo  o orçamento de 2018, com um valor de 155 milhões de dólares tivemos uma execução de 47,7% , portanto menos de 50%».

O Chefe do Governo, diz que a proposta do OGE, pretende promover o crescimento da economia através do investimento em sectores que produzem emprego e riqueza. «Fazer crescer o PIB que tem situado a menos de 4%. Queremos dar sinais de que o PIB possa crescer pelo menos a 5%», frisou.

O sector das obras públicas e infra-estruturas absorve a maior fatia do bolo orçamental, 23%. «Precisamos infraestruturar este país», reforçou Jorge Bom Jesus.

O sector da saúde recebe 16%, a educação 15%, e os sectores da agricultura e pescas ficam com 12%.

O OGE para 2019 exclui qualquer possibilidade de aumento dos salários na função pública.

Jorge Bom Jesus anunciou que já tem garantias dos parceiros bilaterais, para assegurar 76% do valor orçamentado para 2019, e os outros 24% serão disponibilizados pelos parceiros multilaterais. «As viagens que já fizemos a Angola, e as próximas que faremos a Guiné Equatorial, China e outros países, serão para mobilizar apoio directo ao Orçamento», pontuou.

Abel Veiga

    20 comentários

20 comentários

  1. Vanplega

    7 de Março de 2019 as 17:28

    Vamos ver a sua execução.

    Não preciso aumento salariais, mais é preciso equilibrar os salário da função pública, que andam muito desequilibrado, graças ao ADI.
    Aumentou gente do partido. Uns ganham muitos e outros muito pouco.

    Agora, vamos ver se o pau mandado, assim este orçamento em 48 horas!

    Vou estar atento a este pau mandado.

  2. MIGBAI

    7 de Março de 2019 as 19:36

    Por favor Senhor JBJ, não nos chame estúpidos que é coisa que mais dói!!!
    Então uma execução orçamental de menos de 50%, é coisa para perguntar onde estão os restantes milhões.
    Se houve superavite então o PT até que não foi mau de todo, pois não esbanjou dinheiro como nos quer fazer crer.
    E já agora, 23% para obras públicas, 16% para a saúde, 15% para a educação, agricultura e pescas 12%, PERGUNTO EU, 66% do orçamento está destinado a estas áreas, e os restantes 34%???
    Qual a fatia/percentagem do orçamento que está destinada a suportar militares gordos anafados???
    O povo quer saber por favor quanto pensa dar aos militares para eles brincarem aos soldadinhos de chumbo e aos quarteis!!!
    BRINCADEIRA!!!País de Brincadeira mesmo!!
    E pensa este senhor que todos os Sãotomenses são palermas ao ponto de não saberem como funciona um orçamento de estado.
    Meu povo vamos ter mais do mesmo tal como vaticinei HÀ muito tempo.
    Desgraçado deste povo que não consegue parir verdadeiros homens de estado!

    • luisó

      8 de Março de 2019 as 9:28

      Caro MIGBAI,
      Os outros 50% não existem porque o anterior governo não conseguiu angariar.
      Só se gasta o que se consegue arrecadar.
      Pelo que já li este OGE vai ser 100% financiado pelos doadores internacionais.
      Já há uma mudança: antes arranjava-se internamente 10 ou 15% e agora NADA.
      Estamos no bom caminho para a auto aniquilação.
      PAÍS SEM FUTURO.

      • MIGBAI

        8 de Março de 2019 as 10:50

        Caríssimo Luisó.
        Mas se não se angariou dinheiro dos outros países para suportar as despesas previstas, como podem se inscrever tais verbas no Orçamento?
        Isto tudo é uma bandalheira terrível e sem fim à vista.
        Como podemos ter alguma dignidade neste inferno de corrupção e desgovernos.
        Somos mesmo miseráveis, mais miseráveis que “Os Miseráveis” de Vitor Hugo.

    • Anonimo

      11 de Março de 2019 as 9:36

      Caro MIGBAI,
      E com muita honra responder te na parte que toca os militares gordos anafados,kkkkkkkkk.
      Me deu graça ao ver isso, olha meu caro amigo, pelo conhecimento que o Senhor tem esquecendo o senhor que em todas
      situações urgentes do país tanto interno como externo, se alguma vez o senhor como os outros compatriotas do senhor se
      alguma vez pegou em uma arma para mostrar a inteligência e tática que o senhor tem aprendido num campo de batalha.
      Esquecendo senhor quem em todas circunstância que o país enfrentava se o militares não estiveram la com todas as calmas tranquilidade e muito mas esquecendo o senhor que os militares não suportaram tudo isso até as últimas eleições, com fome sede e muito mas, esquecendo senhor que os soldadinhos de chumbo e aos quartéis não tinham familiares para sustentar, o senhor acha normal um militar com esse salario que tem consegue sustentar a familia toda em casa?
      O senhor se lembra quando os hospitais educação os tribunais fizeram graves, houve ou não houve solução pa eles em, e em momento que os militares poderiam agir, mas contudo os soldadinhos gordos estiveram aí no seu canto e tranquilo.
      Então meu caro senhor não julgue a profissão de cada um porque num país sem militar eu sei que senhor sabe, não é um país é uma bandalha autêntica é um país devastado sem rumo e sem controle.

      Mas uma ves meu caro senhor o que mais mi doi é que o antigo governo havia tido em suas mãos o bem mais precioso que são os militares havia muitas polêmicas mesmo assim os soldadinhos ali todo tranquilo mesmo assim meu senhor o que eles receberam em troca hoje………………………………………………………….

      • MIGBAI

        12 de Março de 2019 as 15:11

        Meu caro ANONIMO.
        Estive a ler o seu comentário, e como não posso deixar passar algumas afirmações suas sem o chamar à atenção ou mesmo ilucidar sobre o que não sabe, mas que pode ficar agora a saber.
        Então aqui vai BALA.
        Olhe, não posso estar mais em desacordo consigo, quando afirma que “…num país sem militar ……não é um país é uma bandalha autêntica é um país devastado sem rumo e sem controle.”
        Repare em alguns países que não têm forças armadas: Liechtenstein, Vaticano, Ilhas Marshall, Ilhas Salomão, Andorra e muitos outros. Em todos estes países não são bandalhas nem estão devastados sem rumo e sem controlo.
        Mais ainda, Países com forças armadas limitadas porque deixaram de investir nelas ou pura e simplesmente acabaram com elas, temos entre outros, Mónaco, Islândia, Costa Rica, Maurícias e tantos outros.
        Neste últimos com forças armadas limitadas, também não são países devastados sem rumo e sem controlo.
        Então meu caro ANONIMO, como é? Afinal parece que o meu amigo anda a comer gato por coelho, quem lhe disse o que afirmou sabe tanto como o ANONIMO, isto é, fala só por falar.
        Mas espere, por termos forças armadas aqui em STP não faz destas ilhas um país com rumo e com controlo.
        Estas ilhas estão sem rumo e sem controlo Hà muito tempo, e mais ainda lhe digo, quanto mais se investir nas forças armadas de STP mais sem rumo e controlo vão ficar estas ilhas, porque as forças armadas são uns comilões do orçamento.
        Assim está a ver que entrou por caminhos muito escuros e que não conhece por completo.
        Mais umas quantas afirmações suas no texto, deixam uma pessoa sem saber se o meu caro ANONIMO ou é pouco conhecedor dos meandros da política Nacional, ou então, é mais um inocente.
        Quem manda efetivamente nas forças armadas não é o que a constituição diz, mas sim as altas patentes das forças armadas.
        Assim temos o seguinte cenário para os nossos soldadinhos de chumbo
        As nossas forças armadas estão quietinhos nos quarteis, porque as altas patentes sabem que um golpe de estado, tentado pelas mesmas, daria cabo das ajudas internacionais, que nunca iriam suportar um governo militar que tenha ocupado o poder pelo uso da força.
        Assim, seria dar um tiro nos próprios pés, e como tal, o melhor é continuar quietos com as tropas nos quarteis, pois uma intervenção militar daria obrigatoriamente 2 cenários, ou tomavam o poder e perdiam a ajuda internacional e como tal perdiam as mordomias que possuem, ou o segundo cenário, levariam com uma intervenção militar dos países com os quais existem acordos militares, e estou convencido que tanto Angola como Portugal iriam intervir militarmente.
        Pelo exposto, deverá estudar um pouco mais e bem assim alterar a sua postura.
        Entretanto, vamos perdendo milhões dos doadores, em alimentação de engorda das altas patentes militares que nada produzem para o país.
        E assim o orçamento vai levando uns rombos bem grandes por parte dos militares.
        Um abraço.
        MIGBAI

  3. Zagaia

    7 de Março de 2019 as 19:56

    Quando é que esse paīs será auto-suficiente???

    • MIGBAI

      8 de Março de 2019 as 10:56

      Caro “Zagaia”
      O país vai ser auto suficiente no dia de “São Nunca à Tarde”.

  4. Renato Cardodo

    7 de Março de 2019 as 19:59

    Sejamos sérios.
    Após as visitas que vão fazer a Malabo e, Pequim…
    Mas outro exercício orçamentário inglório…

  5. Justiça

    8 de Março de 2019 as 1:43

    Santomenses,

    O Silva Cravid está a cometer várias ilegalidades desde que voltou ao poder.
    Não respeita o direito e faz o que quer dos tribunais e da justiça.

    Que grande tristeza, que injustiça.
    Volta Patrice Trovoada

  6. Rodrigo Cassandra

    8 de Março de 2019 as 8:40

    Fala-se por ai que o país esta muito individado será que com este orçamento o país vai pagar as dividas todas para tornar credivél junto dos fornecedores.
    Em 2018 só houve um desempenho de menos de 50% foi por falta de dinheiro ou por imcopotencia dos governos.
    Continuo a pensar que tudo aqui neste país é cópia e este orçamento na minha perspectiva não passa de ser cópia dos anteriores o país não pode ter o orçamento que tem ,deveria ter sim um orçamento menor adaptado ao seu contexto financeiro, vamos esperar para ver e crer quanto vamos conseguir arrecadar e qual vai ser o nivél de execussão.
    Gostaria sinceramente de ver meu país mas realista, e com menos sonhos irrealizavéis.
    Não tenho duvidas nenhuma que um dia um primeiro ministro vai sonhar e dizer vamos pôr uma nave no espaço, haver vamos.

  7. SAMPONHA

    8 de Março de 2019 as 11:04

    Uma Auditoria Urgente a Reitoria da Universidade de S.Tomé e Príncipe e os alunos agradecem ao senhor Primeiro Ministro e Chefe do Governo Dr. Jorge Bom Jesus e porque nã uma visita as Instalações dos Pólos Universitários que nem aparelhos de ar condicionados têm,enquanto os alunos consoante os cursos pagam 500,00,525,00,550,00, 350,00 respectivamente.

  8. A miragem da reforma salarial vs ninhos dos marimbombos

    8 de Março de 2019 as 11:47

    O XVI governo do ADI exibiu a lista dos salários milionarios e fez nenhum para alterar a situação dos salários miseraveis da função pública.
    Este XVII governo anunciou uma reforma nos salários, cuja comissão deveria apresentar uma proposta de reforma mesmo antes da apresentação do OGE de 2019, e no fim das contas, apercebe-mo-nos há dias nos média que as autoridades não farão ajustes nenhuns de salários na função pública em 2019…. e não disseram em que ano iriam fazer, ou seja a musica continua na mesma, só mudaram os musicos que continuam com medo de mexer no ninho dos marimbondos.

  9. João Lourenço II

    8 de Março de 2019 as 22:04

    A saída deste país é o presidencialismo com um presidente de perfil como João Lourenço.

    • MIGBAI

      9 de Março de 2019 as 5:11

      Então é que o governo passava a deixar de ser controlado definitivamente, e a corrupção tomava proporções nunca vistas.

  10. Injustiça

    9 de Março de 2019 as 18:00

    Meu amigo,

    O Juiz Silva não quer saber da justiça para nada. Esse Senhor só quer gerir o dinheiro existente nos cofres dos tribunais. Quer saber sobre as muitas viagens que faz para o estrangeiro com o dinheiro do Estado.
    Pergunta-lhe o que ele faz com o subsídio de viagem?

    Pergunta-lhe porque razão ainda não abriu o inquérito para apurar responsabilidades no caso “envelope de dinheiro”?

    Pergunta o Nelson Aguiar o que ele tem passado na mão do Silva, por causa do ódio e má fé?

    Pergunta os funcionários da justiça sobre a limpeza e perseguição que ele anda a fazer por causa de questões partidárias?

  11. Pedro Alves

    9 de Março de 2019 as 18:09

    As vezes contribuímos para trazer desgraça para a nossa casa. Quando o PT fez o que fez, ficamos revoltados e até falamos do PT. A culpa disso não é do Silva, é do povo que se deixa manipular por gente medíocre e preguiçosa.

    Só quem está de fora e que fala bem desse incompetente. Enquanto os destinos do Tribunal estiverem nas mãos desse petulante, o povo terá essa justiça.

  12. TonyexMk

    10 de Março de 2019 as 4:14

    Sempre a pedir, vergonha

    Stp não tem nem nunca teve capacidade para ser um País independente, não tem habitantes, não tem condições financeiras, é mau para investimento. Isto devia ser uma região/província autônoma de um outro qualquer País.

    Stp não tem saída

  13. TonyexMk

    10 de Março de 2019 as 4:16

    150 milhões é o orçamento de um pequeno município em Portugal

    Vergonha

    Não é País

  14. Francisco santos

    10 de Março de 2019 as 9:44

    De facto essa questão do Silva Cravid é uma vergonha. Não admitir o concurso do juízes só porque foi organizado por outros.O País a ser gerido por ódio não vai a lado nenhum. Quanto ao orçamento é cópia dos anteriores. Nenhum País sério vai dar dinheiro a esta bandalheira.fui

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo