Política

Rafael Branco na presidência da missão da UA nas eleições da Guiné Bissau

Ex-Primeiro Ministro de São Tomé e Príncipe, Rafael Branco, lidera a missão de observação da União Africana às eleições legislativas deste domingo na Guiné Bissau. Falante da língua portuguesa, e natural de São Tomé e Príncipe, país de língua portuguesa como a Guiné Bissau, Rafafel Branco, foi escolhido pela União Africana para Presidente a sua equipa de observadores composta por 40 elementos.

Os observadores da União Africana, distribuídos pelo território da Guiné Bissau, trabalharam no último domingo sob a coordenação de um Presidente, oriundo de um país, São Tomé e Príncipe, que para além de ter laços históricos com a Guiné Bissau, é referência africana em matéria de organização e realização de eleições livres, justas, pacíficas e transparentes.

Através de Rafael Branco, São Tomé e Príncipe foi destacado pela União Africana, na observação de uma das eleições mais disputadas, da Guiné Bissau.

Em declarações à imprensa neste domingo e durante o acto eleitoral na Guiné Bissau, Rafael Branco, destacou a tranquilidade, o pacifismo e a maturidade democrática manifestada pelo povo guiniense durante o acto de votação.

Antes das eleições deste domingo, o Presidente da missão de observação da União Africana, reuniu-se com membros do Governo guiniense, da Comissão Eleitoral, assim como os partidos políticos, e actores da sociedade civil da Guiné Bissau.

Rafael Branco iniciou a sua carreira diplomática no Ministério dos Negócios Estrangeiros, como embaixador de São Tomé e Príncipe, nas Nações Unidas em Nova York, nos Estados Unidos da América, no Canada e no Brasil.

Durante a sua missão nas Nações Unidas foi eleito Vice-presidente da Assembleia Geral e membro da Comissão dos Direitos Humanos com sede em Genebra.

Em 1996 com a criação da CPLP foi eleito Secretário Executivo Adjunto da Organização tendo interrompido o segundo mandato para exercer a convite do então Presidente Miguel, Trovoada, a função de Ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação no Governo chefiado por Guilherme Posser da Costa.

Em 2008 enquanto Presidente do partido MLSTP, foi nomeado Primeiro-ministro e Chefe do Governo num mandato que terminou em 2010, após a realização das eleições legislativas.

Veja em vídeo as declarações de Rafael Branco em Bissau :

 

Abel Veiga

    2 comentários

2 comentários

  1. Antonio Vaz (Nini, Nilson)

    11 de Março de 2019 as 3:05

    In these kinds of circumstances, remaining calm, staying positive and diplomatic are critical and very helpful in maintaining peace and stability with honest and open dialogue and collaboration among all parties involved in this process. Rafael Branco has demonstrated one of many good qualities that I like about most people in São Tomé and Principe; leve-leve, blu blu bu na sa luta fa, kua cu sa, cu kada, sa jeto cu respeto. Guiné Bissau país irmão, vamos ver se o povo Guineense tirara proveitos (benefícios) positivos depois desta eleição. Pacifismo, unidade, honestidade, disciplina e trabalho são algumas vias pelas quais a África ou o continente Africano poderá eventualmente recuperar…

  2. Seabra

    13 de Março de 2019 as 15:21

    Creio que STP está com mais necessidade de ser controlado, apoiado e de lutar contra a corrupção e o crime mais do que a Guiné Bissau.
    O senhor Rafaël Branco, deve é ser útil no país STP,está-se mal e muito mal….há muitos processus e julgamentos criminosos em atraso …..

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo