Política

Embaixada do Brasil realiza acções “benévolas”

A Biblioteca Nacional e a Comunidade Religiosa do país (Católica e Mocidade Para Cristo) foram alvo esta semana de uma acção benevolente da Embaixada do Brasil em São Tomé e Príncipe, com recepção de livros e donativos (peças de roupas, carrinho de roda e outros materiais), respectivamente, acto enquadrado na visita do Navio Patrulha Oceânico “Araguari” da Marinha do Brasil, ao Porto de São Tomé.

O gesto de ajudar é um acto que deve está sempre presente no seio de todos, mas não é assim que se processa na realidade, com muitos a praticarem o contrário.

Porém, ainda existem instituições que fazem do gesto de solidariedade, uma das práticas regulares.

Nesta lista, destaca a Embaixada do Brasil que vem já a longa data promovendo acções benevolentes, entregando género alimentício (angariado nas celebrações das tradicionais festas Juninas) as instituições que cuidam de pessoas carenciadas e alguns jardins-de-infância.

Mas desta vez, o gesto foi outro [em parceria com a Marinha do Brasil que facilitou o transporte dos utensílios], apetrechando a Biblioteca Nacional, com novos livros, desde o literário até os académicos, deixando radiante o Director interino da Biblioteca, Alcindo Sousa, que não escondeu a emoção nas suas palavras.

“A Biblioteca de São Tomé e Príncipe agradece a Embaixada da República Federativa do Brasil pela entrega dessas obras valiosas que vêm de certa forma enriquecer o nosso acervo bibliográfico. Sem o livro não existe a biblioteca, portanto estas obras acabam por ser a mais-valia para a nossa casa. O público leitor agradece”, finalizou-o.

Em seguida, numa outra cerimónia, no auditório do Centro Cultural Brasil-São Tomé e Príncipe, a Embaixada agraciou à Comunidade Religiosa, numa cerimónia que contou com a presença do Ministro do Trabalho, Solidariedade, Família e Formação Profissional, Adlander Matos, que reconheceu a importância do gesto da instituição brasileira com à comunidade que posterior irá fazer a distribuição criteriosa destes artigos.

“É um gesto que deve continuar e ser seguido por outras pessoas. O que acabam de entregar vai ajudar muito os destinatários, que agradecem a Embaixada por esta iniciativa. Eu espero que não parem por aí, contagiando as outras instituições a seguirem a mesma linha”.

Seguindo a linha do titular da pasta do Trabalho, estiveram os dois líderes religiosos, Dom Manuel António e Yath’anderson Borges de Lima.

“Eu creio que o importante é acreditar na solidariedade uns com os outros, afirmando exactamente esta solidariedade como gesto de construção da sociedade que todos gostaríamos que existisse, uma sociedade de mãos dadas e mais preocupada em ajudar os outros, o mais pobre”- Bispo da Diocese de São Tome e Príncipe, Dom Manuel António.

“Não podia deixar de agradecer este gesto que vai mudar a vida do nosso pequeno Marcelo, um menino que antes da nossa chegada não tinha horizonte, mas hoje, ainda mais com esta cadeira de roda, o nosso amigo terá uma outra perspectiva. Estamos juntos para as próximas oportunidades fazer muito mais e alcançar novos Marcelo`s”- líder da Mocidade Para Cristo em São Tomé e Príncipe, Yath’anderson Borges de Lima.

Em nome da Marinha Brasileira, o comandante do Núcleo Naval do Brasil no arquipélago, Leonardo Machado, aproveitou a ocasião para reiterar a total disponibilidade da marinha em poder ajudar não só na formação do pessoal, mas também em acção que visa trazer o lado social.

“É uma satisfação muito grande saber que a gente está participando não só na formação do pessoal, no auxílio técnico da guarda costeira fazendo com que o país cresça e se torne visível no cenário internacional e não mais importante é participar também nesta acção, que visa trazer um lado social e humano que nós marinheiros sempre que fazemos ao mar e atracamos num porto trazemos para aqueles que nos recebem assim tão bem como o povo santomense tem recebido o nosso navio que vem passando já a quatro anos aqui em São Tomé”.

Por fim, o diplomata brasileiro, Vilmar Rogério Coutinho aproveitou para mostrar a total abertura da instituição que dirige para acções do género, no futuro, contextualizando de igual modo a génese desta actividade.

“A actuação da Marinha Brasileira aqui é muito apreciada pelo Governo, sobre tudo na conta dos esforços de formação do primeiro corpo dos fuzileiros navais. A iniciativa surgiu justamente numa conversa que eu e o comandante Leonardo tivemos com o Bispo da Diocese de São Tomé e Príncipe e o representante do MPC, de modo a  aproveitar justamente esta oportunidade da vinda do navio para trazer o tal donativo”.

Biblioteca Nacional, Comunidade Católica e Mocidade Para Cristo recebem apoios da Embaixada do Brasil.

Gil Vaz

    1 comentário

1 comentário

  1. Leitor santomense

    11 de Março de 2019 as 14:33

    Grande gesto da Embaixada.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo