Política

 Ministro Abreu cumpriu a promessa de Abril – China vai construir 200 casas sociais em STP

Em Abril último o Ministro das Obras Públicas, Recursos Naturais e Ambiente, Osvaldo Abreu(na foto), chamou a imprensa ao seu gabinete para apresentar os estudos finais realizados por empresas chinesas com vista a construção de 200 casas sociais em São Tomé e Príncipe nos próximos 4 anos.

Na última terça – feira, o ministro reuniu-se com o embaixador da China Wang Wei, para juntos testemunharem a assinatura do acordo que envolve os dois países, no projecto de obras públicas que inicia ainda neste ano.

Dos 200 apartamentos inscritos no projecto, as obras para construção dos primeiros 60 apartamentos iniciam neste ano, assegurou o ministro.

O embaixador da China, pediu maior empenho da parte são-tomense no sentido da realização com êxito do projecto de construção dos apartamentos.

O governo são-tomense, considera que as obras de construção dos primeiros 60 apartamentos, que serão distribuídos pelos distritos do interior de São Tomé,  vão criar postos de trabalho, para boa parte de cidadãos que reclamam pelo emprego.

Abel Veiga

 

    14 comentários

14 comentários

  1. Nuno Menezes

    20 de Junho de 2019 as 7:40

    Se for verdade essa noticia, ao construirem essas mesmas casas vai custar o governo um bom dinheiro, casa social na republica portuguesa ‘e aquela casa que o valor da renda ‘e mais baixa.
    Nao ‘e construirem e nao cobrar a renda por motivo ‘e casa social…
    E nela a pessoa continua a pagar a luz gas, agua, e a sua prorpia alimentacao.

    Nuno Menezes
    Lincoln,Reino Unido

  2. ANCA

    20 de Junho de 2019 as 8:45

    Pode-mos ficar satisfeitos, começa haver no País, aquilo que se chama continuidade do Estado.

    Um projeto com negociação do anterior executivo assinado por este governo, muito bem.

    Que os blocos de apartamentos, jamais sejam somente, para a classe política e seus familiares e amigos, como já aconteceu no passado, tem acontecido no presente, basta ver a distribuição de casas antes colonial, a distribuição de parcelas de terras aráveis hoje quintas dos políticos que nada produzem para ajudar a economia.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Bem haja República da China

    Porque por nós ainda temos muito que organizar e trabalharmos produzirmos para podermos vir a ter dinheiro para construção de apartamentos, habitação social.

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  3. Alligator

    20 de Junho de 2019 as 8:51

    Tela Non, todos sabemos que a vossa balança pende para o lado deste governo,mas, não exagerem.”Ministro Abreu cumpriu a promessa….”,os apartamentos afinal ja estão feitos? Onde estão, que ninguem viu? O tal ministro so tera cumprido com a promessa depois de pelo menos os primeiros 60 apartamentos estarem construidos.Como diz o santo do qual esta terra recebeu o nome, “Ver para crer!”.

  4. Armeiro Lopes

    20 de Junho de 2019 as 9:17

    Bom sinal. Agora pergunto a quem serão entregues as tais “casas sociais”? Aos actuais dirigentes que tomaram várias casas de Estado e nunca as pagaram? Aos seus filhos? Aos seus netos? Casas sociais são para os mais desfavorecidos e não para os que já têm várias casas de Estado e vários terrenos de Estado. Parece-me que a história irá repetir-se. Quando irão começar a pagar as casas de Estado que tomaram de borla? Depois o Estado tem moral para exigir do povo pequeno o pagamento de contribuição predial? Primeiro, os que tomaram casas de Estado devem pagá-las e só depois exigir um pobre que construiu um “vamplegá” o pagamento de impostos da sua casa. Sejamos coerentes para o bem de todos.

  5. Charles

    20 de Junho de 2019 as 9:51

    O que quererá em troca a China? Não há ponto sem nó.🤔🤔🤔😟😟😟😟

  6. Windows 11

    20 de Junho de 2019 as 10:30

    200 casas sociais? Quando o governo do MLSTP anucia estes projectos o que me vem a cabeça são as pre fabricadas de colombo para as pessoas que sabem na altura foi granda corrupção praticada por governo do MLSTP onde substituíram vivendas de muros por pre-fabricadas e mamaram dinheiro foi granda escândalo e até hoje a justiça não fez nada.

  7. Cobra branca

    20 de Junho de 2019 as 11:03

    Os chineses vao trazer chineses para fazer as obras, nao vao contratar mao de obra local. Seria bom que eu estiver errado.

  8. Tony

    20 de Junho de 2019 as 15:32

    Igual ao que aconteceu em Trindade, casas grátis para os amigos…

    Agora qual o preço a pagar aos Chineses, além das pescas que mais há para dar???

  9. POVOS DAS ILHAS

    21 de Junho de 2019 as 11:46

    Meus caros, não tendo ninguém pronunciado sobre um pormenor muito importante, quer despertar a consciência e a alma de todos e essencialmente aos órgãos de decisão central de que o Pais chama-se S.TOMÉ E PRINCIPE. Porque dos 200 apartamentos a serem construídos pela doação do Governo e o Povo Chinês ao nosso país, se os órgãos de decisão central decidiram nesta 1ª.fase ou seja ainda este ano iniciar a construção de 60 apartamentos nos distritos na Ilha de S.Tomé, porquê não também nessa 1ª.fase lançarem alguns apartamentos na outra Ilha-Região Autónoma do Príncipe, porque agora já não se solicita as percentagens, porque o Governo Chinês doou a STP cerca de 42 viaturas só enviaram 3 à Região Autónoma do Príncipe
    em 12 de Julho de 1975 perante a O.U.A e perante a comunidade internacional foi proclamado a independência do país REPUBLICA DEMOCRÁTICA DE S.TOMÉ E PRINCIPE, daí que não se compreende tudo isso.

  10. Principe

    21 de Junho de 2019 as 15:37

    Apartamentos para os novos Ministros e Directores do Governo…
    O Povo continua a defender os interesse dos políticos enquanto os seus interesses estão na rua de amargura…
    No Pais falta consciência politica, distribuir o bem conforme as necessidades da população…
    Porquê, fazer anúncio de construção de 200 casas sociais quando sabemos que não vai ser casa social mas sim, casa dos políticos e o povo que precisa o número é bem maior.

    Se formos para as roças, la existem as casas “comboio” construídas na era colonial pelo portugueses, um quarto de dois metros ao quadrado dorme Pai, Mãe e os filhos. Em muitos casos filhos já crescidos. É preciso repensar no novo modelo Politico para STP.

  11. Samponha

    21 de Junho de 2019 as 17:29

    As casas do Estado se o senhor desconhece são pagas pelas pessoas que nelas vivem, através dos impostos. A equipa das Finanças ligada ao Património do Estado desloca-se a estas casas, fazem avaliação das mesmas e são pagas anualmente, a chamada coleta.Quando você desconhece a Lei procure ser esclarecido para não fazer critica sem sentido.

  12. Barão de Água Izé

    21 de Junho de 2019 as 21:36

    Quais as contrapartidas de tanto apoio chinês? Há “almoços grátis”? STP cada vez mais dependente do estrangeiro.

  13. Militar descalço

    22 de Junho de 2019 as 6:27

    200 casas sociais????????
    Nem vai chegar para dar a todas as boquitas dos donos de STP, quanto mais para quem realmente precisa adquirir essas casas para viver de forma mais condigna.
    Palhaçada de publicidade.

  14. Vedé

    27 de Junho de 2019 as 8:52

    Esta é excelente notícia, mas fica aqui un aviso ” Essas casas não serão distribuídas para pessoas que já foram beneficiados com compras de casas do estado nem para os dirigentes políticos que têm quintas, casas e casas” Espero que esse governo faça a distribuição justa e criteriosa.

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo