Política

Polícia Nacional com 44 anos quer maior proximidade com a população

Na celebração esta terça feira do quadragésimo quarto aniversário da Instituição, Polícia Nacional de São Tomé e Príncipe, o Comandante Geral Roldão Boa Morte,  anunciou o lema para este ano. «Disciplina, trabalho e proximidade».

O Comandante Geral projecta «uma polícia mais forte e mais próxima dos cidadãos com estratégias preventivas bem definidas, para fazer face aos comportamentos desviantes e aos problemas que o mundo moderno nos coloca», precisou o super intendente Roldão Boa Morte.

O Presidente da República Evaristo Carvalho, apoia a estratégia de proximidade da polícia com as populações, mas advertiu para a redução da acção punitiva. «Ser uma polícia cada dia mais próxima da população, numa vertente de sensibilização e educação e menos punitiva, uma vez que antes de ser elemento da força policial é antes um membro da sociedade com hábitos, costumes, valores medos, ambições e vícios que enfermam esta mesma sociedade», afirmou o Chefe de Estado.

Em 44 anos o apoio da cooperação internacional permitiu a formação dos quadros da Polícia Nacional. Mas em termos de condições de trabalho, o país não conseguiu dignificar a Polícia Nacional. «A polícia nacional tem vindo ao longo dos anos a conhecer melhorias significativas no que concerne a capacitação dos seus recursos  humanos, pese embora no que tange a meios materiais ainda estejamos muito aquém do desejável», assegurou o Presidente da República.

Para inverter a situação, Evaristo Carvalho, disse que os governos devem incutir nas suas estratégias o atendimento às carências materiais que afligem a instituição policial.

Apesar da crónica carência de meios materiais, a Polícia Nacional, promete determinação no combate a criminalidade. «A Polícia nacional deve ser firme e determinada na prevenção e combate a criminalidade inclusive a mais violenta e grave que mais directamente afecta percepção de segurança das populações», pontuou o Comandante Geral.

Segundo o superintendente, Roldão Boa Morte, o Governo já definiu um plano estratégico de segurança interna que implica a unificação dos diversos serviços e forças de segurança do país, num só corpo institucional.

Um processo que provocará a redução de custos de funcionamento das forças de segurança, e a maior rentabilidade dos recursos humanos e materiais.

Para além da Polícia Nacional, São Tomé e Príncipe conta com um importante efectivo de paramilitares que integram a Unidade de Protecção dos Dirigentes do Estado, a Polícia Aduaneira, etc. Forças de segurança que unificadas, poderão produzir mais segurança nacional, e com menos dispersão de materiais e de custos.

Na celebração dos  44 anos, vários agentes da polícia nacional foram promovidos, com destaque para 4 novos subcomissários, que foram formados na academia de Polícia da Rússia.

Abel Veiga

    5 comentários

5 comentários

  1. Nuno Menezes

    28 de Agosto de 2019 as 8:37

    Parabens… Sao Tome and Principe Polícia Nacional.

    Nuno Menezes

    Lincoln,Reino Unido

  2. Reflexão

    29 de Agosto de 2019 as 10:01

    Creio que de três em três anos os Militares das FARSTP cumprem promoções aos seus efetivos. Não creio que isto aconteça de uma forma regular ao nível da Polícia Nacional. E este ano ainda pior. Apenas 4 e porque é um caso obrigatório, pois, ingressaram nesta careira sendo os mesmos formados na academia de Polícia em Rússia.

  3. Amar o o que é nosso

    29 de Agosto de 2019 as 16:26

    Caros Polícias.
    Vocês têm de ter respeito e ética ao abordar os civil. Não é por causa da vossa farda que terão respeito do cidadão mas se pela vossa conduta é educação. Governo deve investir em formação sobre ética no trabalho, respeito pelo próximo!

  4. Amar o o que é nosso

    29 de Agosto de 2019 as 16:34

    Polícia e Governo que vergonha. Como não conseguem impor respeito no bairro Saton. O bairro está a desaparecer, vai ficar igual a praia pomba, cinzento, negro e sem vida! Isso sim é para tomar medidas! Motoqueiros sem cartas matando pessoas, tomem medidas. Carros mal estacionados, estacionados em contra mão. Tomem medidas. Deixem de mandar parar só os brancos para ver se sacam algo! Maioria somos nós negros. Polícias devem andar mais na praça pública para o cidadão sentir se protegido. Principalmente nos locais mais sinistros. Polícia deve respeitar o cidadão e tomar medidas consoante as leis. Não inventem regras que não existem. Tudo já está escrito, tudo já existe, é só aplicar corretamente.

  5. Rapaz de reboque

    2 de Setembro de 2019 as 19:08

    Essas raparigas não tem perfil para serem policia

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo