Política

IURD está com problemas em STP, parlamento ameaça fechar a Igreja

Uma comissão especializada da Assembleia Nacional, decidiu inquirir sobre o paradeiro do pastor Uidimilo Veloso da Igreja Universal do Reino de Deus(IURD). O Pastor em causa é cidadão são-tomense e foi enviado há vários anos à Costa do Marfim, como missionário da IURD.

A esposa do Pastor são-tomense, acabou por ser extraditada para São Tomé, e o marido foi detido na Costa do Marfim, por alegado conflito interno na sua congregação religiosa.

A Comissão Parlamentar, que está a inquirir sobre o caso do pastor são-tomese da IURD, considera que «a igreja tem toda a responsabilidade de trazer de volta o cidadão Uidimilo Veloso», referiu Alda Ramos, porta voz da comissão parlamentar.

Os deputados que integram a comissão especializada da Assembleia Nacional, lançaram um ultimato a IURD.  Exigem que o pastor Uidimilo Veloso, esteja no país dentro de 7 dias. «Ao nível da comissão nós demos um prazo de oito dias(declaração do dia 8 de Outubro) para que ele(o pastor) esteja no país», precisou Alda Ramos.

Os deputados da comissão especializada, acusam a IURD em São Tomé e Príncipe, de ter violado os direitos humanos do pastor Uidimilo Veloso. «Nós entendemos que a Igreja Universal violou o direito humano, tendo em conta que o cidadão foi condenado a um ano de prisão e nem sequer teve direito a um advogado. Isso não é possível, é uma violação do direito humano», pontuou a porta voz da comissão parlamentar.

O poder político, sai em socorro do pastor são-tomense, e promete sancionar a IURD, caso a igreja não respeite o ultimato de trazer rapidamente o pastor Uidimilo Veloso, para a sua terra natal – São Tomé. «Se eles não despacharem seremos obrigados a tomar outras decisões», frisou a porta voz Alda Ramos.

O Bispo da IURD em São Tomé e Príncipe, Ranger da Silva , foi interpelado pela comissão especializada da Assembleia Nacional. O Bispo, manifestou dúvidas quando a possibilidade de colocar o pastor Uidimilo em São Tomé já na próxima semana, tendo em conta que o mesmo está sob custódia da justiça costamarfinense. «Foi um crime cibernético que levou o pastor Uidimilo Veloso a prisão», garantiu o Bispo Ranger Silva da IURD em São Tomé e Príncipe.

Note-que a IURD tem grande implantação em São Tomé e Príncipe. Tem espaço de antena na Rádio Nacional do país, e também marcou presença na Televisão Nacional com espaços de antena extensos.

A IURD construiu a sua igreja sede em São Tomé. Um edifício(na foto), que se destaca na estrada que dá acesso ao bairro de “atrás da cadeia” na capital São Tomé. O Presidente da República Evaristo Carvalho foi quem inaugurou a sede da IURD em São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga
.

    11 comentários

11 comentários

  1. Vedé

    10 de Outubro de 2019 as 13:33

    Lamento o acontecido, mas temos que salvaguardar os interesses dos nacionais. Caso o pastor nosso conterrâneo na missão da igreja na Costa de Marfim,tivesse feito algo ou não errado, ele deve ser expulso da igreja e extraditado para o seu país.
    Agora não se compadecer com o comportamento dos dirigentes da igreja. Gostei da decisão da comissão especializada da Assembleia Nacional.

  2. Zagaia

    10 de Outubro de 2019 as 14:50

    Uma história muito mal contada….. onde há fumo há fogo. Para que servem as representações (embaixadas) fora do país? Um bem haja.

    • Madiba

      11 de Outubro de 2019 as 9:40

      S. Tomé e Príncipe não tem representação diplomática na Costa de marfim.

      • Urubu

        14 de Outubro de 2019 as 17:29

        Aliás, Stp não tem representação diplomática na grande maioria dos países a nível global.

        Porque não é um País interessante, enfim acho que muitos países nem sabem que existe Stp

  3. Admirado

    10 de Outubro de 2019 as 16:20

    Finalmente, algo que me deixa orgulhoso. Os eleitos pelos filhos da terra a lutarem pelos nossos direitos. Obrigado

  4. Vanplega

    10 de Outubro de 2019 as 19:37

    E chegado a hora de colocar este dito IURD, fora de Sao Tome e Principe. Para alem de enganar os pobres e roubar is seus bens em nome de um falso Deus.

    O povo e seus dirigentes, em esses sacanas de IURD, nao colocaram o nosso compatriots na terra natal, sonos obrigado a apreender o lider dessa igreja. Fechar a porta de todas igrejas sober controlo da IURD.

    Sao bandidos e ladroes, basta ver quantidade de pessoas que emprobrezeram ou perderam tudo

    Senhores da IURD, mande nosso compatriots de volta ao seu pais e, que os senhores abandone ja o nosso pais

  5. Babá

    10 de Outubro de 2019 as 20:17

    DEveriam sim deliberar sobre os requisitos para o execício dessa profissão, passando a exigir no mínimo o Grau de Licenciatura em Teologia a todos aqueles que querem ser Pastor.

  6. Pedro Costa

    10 de Outubro de 2019 as 21:30

    Agora falo do assunto:
    -Não percebo como existem fiéis para as várias confissões religiosas! Estes ditos pastores o que fazem é aproveitarem-se das mentes fracas.
    Para mim estas igrejas não teriam lugar em S.Tomé e Príncipe e noutros cantos do mundo.
    Abram os olhos crentes.

  7. Madiba

    11 de Outubro de 2019 as 10:00

    Eu, não tenho nada contra qualquer confissão religiosa. A mim pessoalmente não me interessa o que o rapaz foi fazer para Costa de marfim. Só sei que quem o levou para lá não o apoiou no momento que ele mais precisava e sabendo que só foi para lá ao serviço de uma organização e ainda mais religiosa! Mas onde está o lado humano da bíblia. O quê que na verdade andam a pregar. Andam mais preocupados com o nome da igreja ou com a vida de um ser humano? Ai; como é que existem pessoas tão fracas ao ponto de cair nos braços de ilusionistas! E da parte que me toca , como cidadão deste país fico muito aflito ao ver um cidadão meu no risco de vida. As pessoas não estão a perceber o perigo em que passa o nosso compatriota. País, como Costa de marfim é muito violento. Nesses sítios o dinheiro está acima de qualquer virtude. Muito obrigado pela iniciativa parlamentar e fico desde já atento ao desfecho deste episódio.

  8. profeta

    11 de Outubro de 2019 as 16:52

    Caso isso venha a acontecer, já não seria sem tempo, essa igreja desde a sua implementação que está empobrecendo, roubando os nosso conterrâneos… chegou o momento de pôr um basta nesse larápios. Roubam-nos e como se não bastasse, ainda tripudiam da nossa generosidade… rua com eles ladroes dos crentes ….

  9. Observador

    12 de Outubro de 2019 as 16:46

    É só ir por essas roças fora e observar a total desregulação e impunidade das seitas religiosas a fazer política. É uma questão de tempo até terem um candidato vencedor porque o forro só vai à roça em tempos de eleiçoes, as seitas andam lá todos os dias. O “banho” esse é dado todos os domingos – idas à praia, lanchinhos, actividades para as crianças e paga o dízimo de biquinho calado porque quem manda sou eu! Abram a pestana!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo