Política

Revisitar 5 de Novembro de 1974 é inspirar a Juventude de STP

Salvador dos Ramos(na foto em baixo), ex-ministro dos negócios estrangeiros e embaixador de carreira, é a figura que conduz o Téla Nón na descoberta do significado histórico do dia 5 de Novembro, o dia da Juventude de São Tomé e Príncipe.

No ano 1974, Salvador dos Ramos era estudante do único Liceu do país na altura. Fazia parte do grupo de Jovens são-tomenses cheios de anseios, com brio patriótico, e desejo de igualdade, justiça e independência do seu país.

«Nós os estudantes fizemos parte do movimento desenvolvido no plano interno, com apoio da Associação Cívica pró-MLSTP, e demos a nossa contribuição no sentido do governo português na altura pudesse reconhecer o MLSTP como único representante do povo são-tomense….Participamos em várias manifestações, entre elas as Assembleias Gerais dos Estudantes. Houve uma Assembleia Geral que foi marcante. Aconteceu no dia 5 de Novembro de 1974. Esta Assembleia culminou com a adopção de um caderno reivindicativo, em que os Estudantes exigiam algumas melhorias no plano de ensino em São Tomé e Príncipe», precisou Salvador dos Ramos.

A juventude nativa que frequentava o então liceu colonial, rebelou-se contra a descriminação, contra o tratamento desigual que sentiam na pele em comparação com os colegas de pele branca. «Havia alguma descriminação e exigíamos o tratamento igual para todos, ou seja, entre os estudantes filhos dos portugueses e nós os naturais da terra. O que queríamos é que todos os estudantes tivessem os mesmos direitos. E também queríamos que o nosso país torna-se independente ….naturalmente. Aproveitamos o contexto para apoiar todos os esforços na altura com vista a ascensão do país a independência nacional», detalhou.

É por isso, que desde a independência nacional, conquistada a 12 de Julho de 1975, o dia 5 de Novembro foi consagrado como o dia da Juventude de São Tomé e Príncipe.

Hoje adultos, Salvador dos Ramos, e os demais colegas do movimento estudantil de 1974, consideram o 5 de Novembro como uma referência, que deve continuar a inspirar a juventude de hoje para o amor a pátria e a conquista do desenvolvimento.
«A nossa juventude hoje deve partir das experiências positivas do passado para perspectivar um futuro diferente para São Tomé e Príncipe», confirmou Salvador dos Ramos.

A juventude são-tomense de hoje, não lida bem com a paciência. Deixou de acreditar no tempo, e quer que tudo aconteça agora e já. As conquistas dos estudantes são-tomenses em 1974, basearam-se na paciência, na persistência e numa confiança inabalável no tempo.
«Os jovens de hoje deveriam ter o orgulho, acreditar no futuro, e acreditar que o futuro tem que ser diferente do que tem sido o país até hoje», destacou Salvador dos Ramos.

Na terça feira, assinalou-se mais um aniversário do dia da Juventude de São Tomé e Príncipe.

Acompanhe na entrevista registo audio, outros aspectos importantes do movimento juvenil de 1974, que ajudou a erguer o novo país, São Tomé e Príncipe :

Abel Veiga

    1 comentário

1 comentário

  1. Pedro Cerqueira

    7 de Novembro de 2019 as 12:34

    Bem verdade como inspiradora. Uma data em que jogámos a perder a possibilidade de nos tornarmos uma região autónoma de uma nação europeia integrando um país desenvolvido por quem nos trouxe para as nossas belas ilhas e nos tornarmos subsídio dependentes e neocolonizados por Angola e pela China. Sei que muitos discordarão e por isso vivo apartado da minha família e longe da ilha que me viu nascer. Com muita saudade e sacrifício para poder dar às minhas filhas um futuro melhor do que aquele que os meus conterrâneos infelizmente não podem pela incúria e inépcia de todos os governantes que sem excepção se governam unicamente a si próprios desde que nos tornámos (in)dependentes.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo