Política

Orçamento 2020 aprovado para lançar desenvolvimento sustentado

O Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus, garantiu no parlamento que as bases do desenvolvimento sustentado de São Tomé e Príncipe, estão assentes nas linhas de força do Orçamento Geral do Estado para 2020.

«Em 2020 através de projectos estruturantes de certeza lançamos as bases de um desenvolvimento durável e sustentado», afirmou Jorge Bom Jesus na sua intervenção no debate parlamentar sobre o Orçamento Geral do Estado e as Grandes Opções do Plano.

Extensão da pista do aeroporto internacional de São Tomé e Príncipe, com o financiamento da República Popular da China.
A reabilitação da principal estrada do país, a número 1, que liga centro e norte da ilha de São Tomé, numa distância de 27 quilómetros, com financiamento do Banco Mundial.

A reabilitação de toda a marginal da cidade de São Tomé com financiamentos do Banco Europeu de Investimentos e do Reino da Holanda. Foram 3 exemplos saídos de uma longa lista de projectos de Obras Públicas e de Infra-estruturas, inscritos no Orçamento do Estado para 2020.

Avaliado em 150 milhões de euros, o orçamento foi aprovado com 30 votos. O maior partido da oposição a ADI, que tem 25 assentos no parlamento absteve-se.

Celmira Fernandes, deputada e porta voz da bancada parlamentar da ADI, anunciou o sentido de voto. «Vamos votar em abstenção, porque todos os projectos que estão neste orçamento com financiamentos garantidos são todos engajamentos do Governo da ADI», declarou a porta voz da bancada parlamentar do maior partido da oposição.

Celmira Fernandes, chegou a conclusão que o país ainda está a caminhar sob as decisões e opções tomadas no passado pelo seu partido, a ADI.

No entanto, mesmo tendo consciência de que os projectos a serem executados no ano 2020, e que terão impacto social e económico no país, resultam do trabalho feito pelo anterior governo da ADI, os deputados do partido, decidiram não apoiar a execução de tais projectos.
Entre apoiar a satisfação das necessidades das populações por via da execução dos projectos estruturantes que a ADI ajudou a criar, os deputados do maior partido da oposição liderado por Agostinho Fernandes, preferiram abster-se, ou seja, ficaram de fora.

O Orçamento do Estado, para 2020, prevê também a execução da transição energética. Os geradores a gasóleo deverão deixar de ser a única fonte de energia do país.

O Primeiro Ministro, avisou aos deputados que São Tomé e Príncipe, já não tem acesso ao gasóleo fiado de Angola, para alimentar os grupos de geradores.

«Os colonos deixaram as mini-hídricas, ninguém pegou, porque o paternalismo angolano estava a funcionar. Mas a mama acabou, ninguém carrega ninguém toda a vida», pontuou Jorge Bom Jesus.

Governo anuncia abertura de uma nova era a partir de 2020. Uma era em que o país não poderá mais continuar a viver acima das suas possibilidades.

Abel Veiga

    12 comentários

12 comentários

  1. Smash

    7 de Dezembro de 2019 as 8:14

    Blá Blá Blá…. E a vaca da leite… Se vocês são a maior vergonha desta nação permanecem de boca fechada garantidamente que saíamos todos a ganhar e não fazíamos figuras ridículas. Mudam de 8 para 80 como quem muda de camisa. Deixem-nos de teorias e passemos a prática. vocês a maior vergonha deste POVO. Continua a comer camiões de gelado com a testa quem quer.

  2. Vanplega

    7 de Dezembro de 2019 as 12:26

    Quero dizer a senhora Celmira Fernandes,o seguinte:

    O actual governo faz muito bem aproveitar todos os projectos, seja eles de que partido foro, desde que seja para o bem de Sao Tome e Principe.

    Ninguem deve ser excluido, todos somos filho desta terra. Nao pode haver devisoes.

    Quanto actual 1 Ministro

    -O povo pede responsabilidade, honestidade e imparcialidade na coisa publica. Que seja serios na tomada de decisao.

    1 esta Sao Tome e Principe e, Deus anime de nos.

    Muitos entrar pobre e alguns Margo, hoje ja tenhem barriga grande.

    Nao prejudiquem mais SAO TOME E PRINCIPE, porque seu povo nao merece

  3. Mepoçon

    7 de Dezembro de 2019 as 18:24

    Foi pena o Dr. Bom Jesus ser um filho que nasceu da gene de MLSTP. Ele e Dr. Patrice Trovoada, sem prepotência e nem arrogância fariam bom serviço a governação,falar a verdade sem complicar, doa quem doer, desde que não seja demagógico. Infelizmente a sociedade partidarizou e o bom passa por mau.

  4. Frederico Ferreira Major

    7 de Dezembro de 2019 as 18:51

    O país pertence aos santomenses e não aos partidos mudem pelo menos do pensamento da era da pedra lascada, em termo de raciocínios lógicos positivos estão atrás da cauda, libertem a vossa opinião com pensamentos positivos. Que gente??????

  5. Joao Camble

    8 de Dezembro de 2019 as 8:16

    Todos os anos reabilitar estradas?
    Quer dizer que são de ma qualidade!

    Façam de vez obras com qualidade e deixem de desperdiçar recursos.

    Este dinheiro serviria para contruir um Hospital Central e um Liceu em Neves.

  6. Lucas

    8 de Dezembro de 2019 as 10:06

    Tantos projectos estruturantes tanto desenvolvimento sustentavel tanto bla bla bla bla que já ninguem acredita e porque não põe água no hospital?
    Será assim tão dificil?

  7. Fuba cu bixo

    8 de Dezembro de 2019 as 18:01

    Kkkkkkkkkkkkk isso é Gozo toda hora gozar.

  8. Andorinha

    8 de Dezembro de 2019 as 19:05

    Eu só queria fazer uma pergunta mas vocês andaram a queimar carros para quê ?
    O senhor primeiro ministro andou na campanha eleitoral a berrar gritar “a porque vouu baixar”
    ” a porque vou baixar as calças a porque vou baixar as calças sim senhor ” para vir ingordar daqui a pouco vais virar ipopotamo enquanto jovens de 20 anos em S.tomé parece que tem 60 vocês ainda comem mulher deles.
    Vocês bloquiaram o Miguel Trovoada para andarem ai a engordar e ficarem ricos eu ja adivinhava isto meus olhos choram com pena deste povo.

  9. Andorinha

    8 de Dezembro de 2019 as 23:00

    Correção: Eu quis dizer Patrice Trovoada.

  10. antonio martins

    8 de Dezembro de 2019 as 23:32

    boa noite
    o senhor primeiro ministro veio dizer que as mini hídricas no tempo colonial estavam abandonadas e ninguém fez nada.
    e mentira senhor primeiro ministro e falso o senhor não deve conhecer o seu pais, nem leu o que eu deixei na entrada de correspondência no seu gabinete a dizer que o seu governo tinha roubado nacionalizado o que tinha sido autorizado eu fazer obras e por energia no agostinho neto a minha custa
    eu sou português e conheço melhor que o senhor o seu pais gastei muito dinheiro para o seu governo ter roubado tudo.
    central do guegue estava parada apos a independência, por cooperação com um pais estrangeiro a central trabalhou meia duzia de anos parou, na posse da emae.
    por falta de manutenção a central parou e esteve vários anos parada
    eu nos anos 2008 coloquei a central em funcionamento esteve a funcionar durante 4 anos.voltou a parar.
    A central agostinho neto coloquei a central a funcionar para a rede durante 5 meses. com investimento alto tudo a minha custa.
    só que a emae tendo eu contrato nunca pagou.
    portanto e falso e mentira estar a dizer o que o senhor primeiro ministro disse
    não engane mais o seu povo, que não merece
    merece sim ser respeitado enquanto andei nesse pais durante 5 anos sempre fui bem tratado ao contrario o estado só roubou

    • António Lacerda

      11 de Dezembro de 2019 as 17:39

      Bem vindo ao clube.

      Stp infelizmente é um estado de má fé… não cumpre contratos e quando condenado não executa as suas obrigações.

      Jamais este tipo de País terá investimento estrutural porque não é credível.

      Veja se a quantidade de investimento privado que existe em Stp, é nada, culpa dos seus governantes seja de que partido forem, não têm palavra nem cumprem contratos, assim são simplesmente vigaristas, e mesmo assim vivem como pobres!!!

    • Andre Zagonel

      30 de Dezembro de 2019 as 13:57

      Prezado Sr. Antonio Martins
      Concordo plenamente com vosso comentário
      Sou um grande incentivador de mini hidricas, e sempre procuro a viabilidade destes empreendimentos.
      Gostaria muito de conversar com o Senhor, se possivel entre em contato
      azengenharia.pt@gmail.com

      Atenciosamente
      Andre Z.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo