Política

Começou em Lisboa a operação de apoio a STP no combate a Covid-19

Uma operação de apoio humanitário, organizada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros em articulação com a União Europeia, vai estabelecer uma ponte aérea entre Portugal e São Tomé e Príncipe, na próxima sexta-feira, dia 15, para fazer chegar àquele país de língua oficial portuguesa cerca de 20 toneladas de material médico-hospitalar e uma equipa de profissionais especializada em situações de crise e em doenças respiratórias, para apoiar no combate ao COVID-19.

Esta intervenção vai assegurar o transporte de um laboratório da OMS- Organização Mundial de Saúde, de forma a dotar São Tomé e Príncipe dos meios que permitirão realizar localmente testes de deteção do vírus responsável pela atual pandemia.

Os equipamentos a fornecer a São Tomé e Príncipe incluem material de proteção individual, nomeadamente máscaras, luvas, óculos, viseiras, mangas, sapatos e fatos, bem como medicamentos, gel, álcool e todo o material necessário para colheita e análise dos testes ao COVID-19.

Seguirá também uma equipa portuguesa do INEM-Instituto Nacional de Emergência Médica, composta por uma médica intensivista, dois enfermeiros e um especialista em logística.

Portugal é o segundo Estado-membro da União Europeia a montar uma operação deste tipo, no quadro do mecanismo EU Humanitarian Air Bridge recentemente criado pela União Europeia para responder a situações de emergência humanitária.
O apoio de Portugal a São Tomé e Príncipe visa contribuir para a redução da situação de vulnerabilidade em que o país se encontra, em resultado da atual crise pandémica, reforçando a sua capacidade de resposta aos impactos do vírus COVID-19.

INFORMAÇÃO IMPORTANTE:

Durante o embarque dos materiais de apoio médico-hospitalar, no dia 14 (quinta-feira), a partir das 14h30, os jornalistas interessados poderão ter acesso ao avião de transporte da Euroatlantic, no Aeroporto de Lisboa, onde se deslocarão também a Secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro, e o Embaixador de São Tomé e Príncipe em Lisboa, António Quintas do Espírito Santo.

veja a nota da Secretaria de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Portugal em formato PDF – Informação de Agenda SENEC

    12 comentários

12 comentários

  1. Inconformado

    14 de Maio de 2020 as 12:42

    Viva Portugal!

    • A Verdade

      14 de Maio de 2020 as 19:15

      STP deve de facto agradecer a Portugal por todo apoio que tem dado ao país desde 1975. Portugal está sempre ao lado de STP. Mais uma vez, Portugal ajuda STP. Com a intervenção de Portugal, a União Europeia afretou um avião para trazer o apoio a STP. Portanto devemos agradecer também a União Europeia que está a pagar o
      Mas, segundo me foi dito, esta notícia não esclarece as coisas tal como são na verdade. A notícia estaria correcta se esclarecesse que cerca de dois terços das 20 toneladas anunciadas são equipamentos ofertados pelas Nações Unidas e que outro terço é constituído por cargas diversas arrecadadas pela Embaixada de STP em Portugal ( vários donativos recebidos de associações e instituições privadas portuguesas).
      Com a intervenção de Portugal, a União Europeia afretou um avião para trazer o apoio a STP.
      Assim, ao mesmo tempo que se deve agradecer a Portugal por essa intercessão junto da U.E., devemos também estar gratos à União Europeia que paga os custos do voo, às Nações Unidas que adqueriram os equipamentos e medicamentos, assim como aos diversos actores não estatais (portugueses e sãotomenses na diáspora) que contribuiram com vários poucos que fazem muito.
      O povo costuma dizer: “Ao César, o que é de César!!!!”

    • Ralph

      15 de Maio de 2020 as 4:45

      Sim, mas acho que Portugal deveria ter feito isso há muitas semanas atrás. Embora eu saiba que STP tem orgulho de ser independente e não quer ter uma dependência em outros, a realidade é que o governo provavelmente deveria ter pedido por ajuda há muitas semanas atrás quando os primeiros casos foram detectados (ou mesmo antes disso). Ser capaz de administrar testes e fazer diagnósticos é o essencial. Também essencial é preparar o sistema hospitalar para lidar com um aumento rápido em casos do COVID-19. Se STP tivesse tido os recursos necessários em lugar mais cedo, o surto poderia ter sido prevenido, ou pelo menos a extensão dele reduzida. E Portugal, tendo uma responsibilidade única por causa da sua relação estreitra e histórica com STP, deveria ter reagido mais rapidamente para enviar ajuda logo que sabia STP não estava em condições para lidar com um surto caso isso tivesse surgido. Os países ricos têm um dever especial de ajudar os países menos afortunados em situações como esta.

  2. Fuba cu bixo

    14 de Maio de 2020 as 15:01

    Bravo o povo de S.tomé agrace espero que estes materiais ofertados não vão todo parar nas clínicas e farmácias dos camaradas como é abito e o próprio hospital público continuar sem nada.
    Os governantes é que não estejam ja a esfregar as mãos para sambacar.

  3. Nita

    14 de Maio de 2020 as 16:06

    Melhores agradecimentos ao povo Português. Sempre a nos salvar…

  4. Vanplega

    14 de Maio de 2020 as 16:55

    Quando isto tudo normalizar, vamos tambem a Portugal, que envia uma equipe da JP (policia judiciaria) para investigar as doacoes. Principalmente os 2,5 milhoes, doados para combater essa epedimia covid-19.

    Porque esses politicos da nossa praca, envergonha esse povo e o Sao Tome e Principe.

    • Como será

      14 de Maio de 2020 as 18:58

      Pois é , e ja receberam 500mil dolar da BP, ontem receberam da FMI 12 milhoes de dólar, ainda portugal vai ajudar trazendo todo seu parato. onde vai os valores da doadaçao. Porque stome nao esta comprar nada ate agora so recebeu doações.

      • Púmbú

        15 de Maio de 2020 as 1:29

        Se o que escreveu for verdade, então digo que os nossos governantes são mesmo burros, que ainda não entenderam que chegou o momento para investirem na SAÚDE PÚBLICA!!! Esta doença não escolhe nem seleciona as pessoas, não distingue ministro do povinho. E as fronteiras estão fechadas para todos!!! Estamos todos no mesmo submarino!!!
        Estes indivíduos se comportam que nem suínos!!!

  5. Milito

    14 de Maio de 2020 as 18:51

    No final vão falar branco volta para a tua terra

  6. Alma

    15 de Maio de 2020 as 7:29

    Os políticos são-tomense deviam ter vergonha na cara. Afinal mlstp pediu independência para quê? Falam mal de Portugal tratam mal os portugueses que vivem cá partem a embaixada e depois quando há crise vão logo estender a mão a pedir socorro à Portugal. Ontem vi o António quintas no aeroporto de Portugal a dar entrevistas como se fosse os materiais tivessem sido comprado por este governo pedinte e sem rumo… Uma vergonha… Até quando vão dizer a população que a independência só serviu para vocês. Outra coisa vão ao aeroporto ver que a maioria das pessoas que vão viajar neste voo serão os políticos ou seus familiares.

  7. Zé de Neves

    16 de Maio de 2020 as 16:15

    É só pedante fazer política e campanha eleitoral à custa da desgraça do povo fazendo-se filmar e chamando a imprensa para se auto-promover com a ajuda humanitária paga pela União Europeia e Portugal.
    Os nossos políticos não foram paridos, foram vomitados!

  8. Como será

    16 de Maio de 2020 as 23:05

    O povo tem ajudado no.sustento destas palhaçadas, que se passa na campanha eleitoral com a famoso “BANHO ELEITORAL.” aproveitando duma população com baixo nivel de literacia. Ate vem dançar o chão chão, jogam partidas de cartas, pagao bebidas sem limites distribuiem dinheiro, enfim este povo vende a sua dignidade,o seu respeito, no final da esta drama que vivemos no pais, e com esta PANDEMIA descubriu se que ai so lutam ocupar cadeira na governacao porque da muito lucro; com doacoes de milhares de dolar e Euros que o pais recebe, dai a razao de tantas viaturas de top de gama que se vê por ai, vivendas de luxos, mulheradas por todo canto, num pais onde salario mínimo nao passa de 30 dolar, as pessoas em stome vivem abaixo de 5dolar por dia, cidade foi entregue a sua sorte com lixos, estradas esburacadas, jardins que deixaram de existir, aumento disordenado de venda ambulante, num pais com apenas 200mil habitantes!!!???, nao se entende qual foi o ganho do pais na governação do Trovoada, Fradique,e o Pinto da Costa que esteve na governacao pela segunda vez.Deus é conosco ????????

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo