Política

STP pede apoio da CEAC para ocupar cargos na Comissão da União Africana

Na última quinta – feira o Presidente da República, Evaristo Carvalho, pediu apoio a CEAC (Comunidade dos Estados da África Central), para os candidatos de São Tomé e Príncipe a cargos de direcção na Comissão da União Africana.

O pedido foi feito durante a intervenção do Chefe de Estado, na décima sétima cimeira dos Chefe de Estados da África Central. A reunião a mais alto nível que foi realizada por vídeo-conferência, teve como uma dos temas principais a reforma institucional e organizacional da comunidade regional.

Ali Bongo, Presidente do Gabão e Presidente Interino da CEAC, disse aos Chefes de Estados da sub-região, que o tratado da organização foi revisto e adoptado em Dezembro do ano 2019, na cimeira realizada em Libreville, a capital gabonesa.

«Actualmente está ratificado pela maioria dos Estados membros, e a sua entrada em vigor iminente consagrará a criação da Comissão da África Central», afirmou o Presidente do Gabão.

A partir de uma das salas do Palácio Cor de Rosa em São Tomé, Evaristo Carvalho, por vídeo, interveio na cimeira de Chefes de Estados. O Presidente da República, reconheceu que São Tomé e Príncipe está atrasado no processo de reforma em curso da CEAC. Segundo Evaristo Carvalho a pandemia da Covid-19, comprometeu as diligências do Estado Santomense com vista a ratificação do tratado revisto da Comunidade dos Estados da África Central.

«Lamentamos o incumprimento do processo de ratificação do tratado revisto, pelo facto da situação imposta pela pandemia da Covid-19, que a ocasionar o confinamento geral provocou a paralisia do aparelho central do Estado, e consequentemente as actividades parlamentares.   Estando a situação numa fase de retoma paulatina, São Tomé e Príncipe, assume o seu compromisso de concluir o processo de ratificação o mais breve possível», prometeu o Presidente da República.

João Lourenço de Angola, e Paul kagame do Ruanda, fazem parte da lista de Chefes de Estados africanos que participaram na cimeira da Comunidade dos Estados da África Central. Evento em que o Presidente Evaristo Carvalho, aproveitou para pedir apoio da África Central, aos candidatos de São Tomé e Príncipe, para os cargos de direcção da Comissão da União Africana.

«Tínhamos a intenção de informar os nossos pares que pretendemos apresentar candidaturas aos postos da comissão da União Africana, nas eleições previstas para Janeiro do próximo ano. Pelo que desde logo  gostaríamos de contar com o apoio e solidariedade da sub-região a quando da pré-selecção das candidaturas a nível da África Central», frisou Evaristo Carvalho.

São Tomé e Príncipe, apelou também a compreensão da CEAC, em relação a dívida que acumulou por causa do não pagamento das quotas. Prometeu que apesar da crise da Covid-19, o país vai honrar as suas dívidas.

Por sua vez Ali Bongo, Chefe de Estado do Gabão, e Presidente Interino da CEEAC, desafiou os seus homólogos da região para juntos, definirem uma estratégia regional de resposta à Covid-19.

Abel Veiga

    5 comentários

5 comentários

  1. Sem assunto

    3 de Agosto de 2020 as 15:14

    Está visivelmente cansado o nosso Presidente da República, deve ser da idade avançada bem como dos berros do autoritário do Patrice.
    Para o ano teremos eleições, não se atreva a candidatar Evaristo, vai para casa e mame a tua reforma em paz.
    Péssimo trabalho o seu enquanto o mais alto magistrado da nação, na casa aonde o senhor governa reina indisciplina e anarquia.

  2. Como será

    3 de Agosto de 2020 as 19:20

    Ohhh. Sem Assunto és mesmo cômico kkkkkk, o presidente recebe berros do Patrice kkkkk.

  3. Dádiva

    4 de Agosto de 2020 as 20:55

    Boa decisão, mas que seja um jovem ou uma jovem sâotomense e que nunca fez parte do aparelho governativo.
    Porque é comum ver quem já foi ministro e presidente da república os que contribuíram para sofrimento do povo a serem representante do golfo da Guiné, PALOP etc… só ganhando mais dinheiro apenas

  4. Cornélio de Jesus

    7 de Agosto de 2020 as 10:42

    O Estado antomense e democrático e laico o que constrata com as cruzes do cadeirão do Camarada Presidente Assina Só! Sendo o Presidente uns dos garantes da Constituição, estas cruzes não fazem sentido. São estas coisas mínimas que levam o país ao ridículo. Ou seja o fabricante do cadeirão e religioso e impingiu o seu credo ao Palacio. Não e bom. Não pode ser.e há que estar atento camaradas Palacianos.

  5. Como será

    11 de Agosto de 2020 as 10:49

    O pais nao paga cotas. Como fara parte na uniao Africana.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo