Política

PM pediu nomes a UMPP para escolher um que possa governar Príncipe

Príncipe está sem Governo legítimo. O último Governo regional que saiu das eleições regionais de 2018, perdeu o seu líder. José Cassandra, demitiu-se do cargo.

Desde a última semana que o Primeiro-ministro Jorge Bom Jesus, prometeu encontrar o mais rápido possível, uma solução para a governação da ilha do Príncipe.

Após reunião na passada sexta – feira, com as forças políticas com assento na Assembleia Regional do Príncipe, Jorge Bom Jesus, anunciou que ia pedir NOMES ao partido maioritário no Príncipe a UMPP.

«Vamos enviar uma nota a UMPP de forma que nos indique nomes para a assunção da presidência do governo regional, será o próximo passo». Afirmou o Primeiro-ministro na passada sexta feira.

O passo decisivo já terá sido dado, mas até esta terça feira 11 de Agosto, ainda não foi revelado o destino da governação na ilha do Príncipe.  Talvez Jorge Bom Jesus, terá solicitado NOMES ao partido UMPP, para assim ter a possibilidade de escolher o próximo Presidente do Governo Regional do Príncipe.

O pronunciamento de Jorge Bom Jesus, sobre a solicitação de NOMES de figuras para governar Príncipe, faz recordar os tempos anteriores a revisão e da implementação do novo texto da constituição política de São Tomé e Príncipe.

Naquela altura os antigos Presidentes da República, Miguel Trovoada e Fradique de Menezes, solicitavam aos partidos vencedores das eleições, uma lista com pelos menos 2 NOMES, como candidatos ao cargo de Primeiro-ministro. O Presidente da República tinha assim o direito reservado de escolher quem seria o primeiro-ministro.

No assunto para nomeação do novo Presidente do Governo Regional do Príncipe, tudo indica que o Chefe do Governo solicitou NOMES a UMPP, com base nos mecanismos legais que tem na sua posse.

No entanto o partido UMPP no poder há cerca de 16 anos no Príncipe, já decidiu apresentar um e único nome, para presidir o Governo regional.

«Tendo em conta uma deliberação do órgão máximo da UMPP, que diz que o Presidente da UMPP Filipe Nascimento é a figura a ser indicada para exercer as funções de Presidente do Governo Regional», declarou o Presidente da UMPP Filipe Nascimento.

Mas o Primeiro-ministro ainda não reagiu a decisão da UMPP de submeter apenas um nome, e não nomes. A solução rápida para governação do Príncipe, cujo executivo está em gestão, tarda em aparecer.

Ao mesmo tempo as forças da oposição na região autónoma, discordam da possibilidade de Filipe Nascimento vir a ser Presidente do Governo regional.

«Estamos completamente em desacordo, achamos que é ilegal, inconstitucional, eticamente reprovável, politicamente reprovável. Na nossa opinião, Filipe Nascimento não pode ser nomeado. Terão que recorrer a lei e nomear um candidato que preencha os requisitos legais», afirmou Nestor Umbelina(na foto-no período de campanha eleitoral).

Presidente do partido Movimento Verde para o Desenvolvimento do Príncipe, e Líder da oposição ao Governo regional, Nestor Umbelina, realçou as ilegalidades que considera existir neste processo. «Quanto a Filipe Nascimento, é Presidente legítimo da UMPP, e deve fazer o percurso de residência agora, e nas próximas eleições recensear aqui no Príncipe, e concorrer contra mim», frisou.

A oposição que manifestou a sua posição em vídeo-conferência com o Primeiro-ministro Jorge Bom Jesus, ameaça com luta política, caso o actual Presidente da UMPP, seja nomeado Presidente do Governo do Príncipe.

«Que fique bem claro aqui para toda a nação santomense, que se ele for nomeado será uma aberração, e terá consequências políticas e sociais enormes para a nossa democracia», acrescentou Nestor Umbelina.

Mas o Presidente do partido maioritário na região autónoma, está tranquilo e confiante. Filipe Nascimento(na foto – à direita, ao lado do ex-Presidente do Príncipe, José Cassandra), expressou confiança após a reunião por vídeo-conferência com o Primeiro-ministro Jorge Bom Jesus.

«Estamos confiantes. Fomos claros a apresentar a nossa posição, e também recebemos da parte do senhor Primeiro Ministro, de que no ponto de vista jurídico-legal não há qualquer impedimento. O processo está a ser trabalhado no sentido de garantir a governação estável no Príncipe», precisou Filipe Nascimento.

Por sua vez o Primeiro-ministro, sente que está a lidar com um processo melindroso. «Acaba por ser um exercício sem precedente», afirmou. Sem precedentes por ter que negociar a solução governativa para o Príncipe por via de vídeo conferência.

Uma limitação imposta pela Covid-19. Mas também sem precedentes, porque pela primeira vez na história da democracia da região autónoma do Príncipe, «um presidente do governo regional não chega ao fim do seu mandato», concluiu o Primeiro-ministro.

Príncipe aguarda por decisão de Jorge Bom Jesus, para voltar a ter um governo legítimo.

Abel Veiga

    26 comentários

26 comentários

  1. SANTOMÉ CU PLIXIMPE

    11 de Agosto de 2020 as 14:10

    Concordo plenamente…

  2. Rui Manuel Contreiras

    11 de Agosto de 2020 as 14:21

    Eu acho que o Governo Central, devia sim devolver o poder ao Povo. No Príncipe organizar uma eleição, actualizar os cadernos eleitorais e pouco mais não devia passar dos Dbs 250.000, mas como querem sempre comer algum, aí está o problema.

    • Partido único nunca mais

      12 de Agosto de 2020 as 19:25

      Se PM JBJ não quer dar posse ao rapaz então marca eleições já. Vão levar 7-0 pk povo do Príncipe não aceita essa coisa de partido único ou partido estado. Se pareceres diz k é legal então é quê mais??? Deputados de mlstp no Príncipe k já fez chantagem e homem está com medo. Só comédia

  3. António cunha dos santos

    11 de Agosto de 2020 as 14:23

    Tozé pensa que isto é casa de pasto ou quê? Aí é coisa séria e não brincadeira de garotadas.
    Sacanas.

  4. Príncipe não é Monarquia

    11 de Agosto de 2020 as 14:31

    A comissão técnica eleitoral emitiu um declaração dizendo que Filipe Nascimento não consta como eleitor nem na diáspora, perante isso se Primeiro Ministro NOMEAR Filipe estará a violar as Leis da República. Espero que Jorge não vem a cometer tamanha barbaridade.

    • Saí de anonimato

      11 de Agosto de 2020 as 17:04

      Falso. Ele tem cartão eleitor santomense. Isso é batota de vocês de mlstp. Eu no lugar dele processava vocês por injúria. Dá cara pra falar disso

      • Bd

        11 de Agosto de 2020 as 23:07

        Pois é, esse(s) falso(s) rato(s) e medíocres que não percebem das leis e que estão contra e a inventar coisas só sabem falar atoa, estão tipo aqueles cães covardes, é só dor de cotovelo, enfim …

    • abcd

      11 de Agosto de 2020 as 17:07

      Você deputado fica só na falsidade. Então cartão que ele tem é falso? Isso é discriminação de diaspora, juventude e outras coisas mais. Vocês de MLSTP é maiores doença deste país

  5. Para frente STP

    11 de Agosto de 2020 as 14:32

    Se o PM pediu pareceres a Ministério Público e Ministério da justiça e ele disse que questão legal não coloca nenhum problema então é politiquice? Esse Nestor que ganhou 2 deputados não tomou posse e perdeu mandato no tribunal supremo, o que quer agora? Devia ter mais responsabilidade. PM tem que ser coerente com pareceres que pediu

  6. Príncipe não é Monarquia

    11 de Agosto de 2020 as 14:33

    A comissão técnica eleitoral emitiu uma declaração dizendo que Filipe Nascimento não consta como eleitor nem na diáspora se Primeiro Ministro NOMEAR Filipe estará a violar as Leis da República. Espero que Jorge não venha cometer tamanha barbaridade.

  7. Até quando

    11 de Agosto de 2020 as 14:40

    Esse atraso é mais brincadeira de MLSTP. Príncipe não é autarquia. Se 3 parecer é tudo favorável então porquê k pediu? Esse Néstor k é jurista parece um tonto. Vai estudar mais e deixa de fazer vergonha. Manda suplente tomar posse

  8. Não acredito

    11 de Agosto de 2020 as 15:31

    Mas o k se passa com o primeiro-ministro jbj? Se ele tem 3 pareceres favoráveis então porquê esse rodeio? Dizem k 2 deputados de mlstp lá do Príncipe está a fazer chantagem com JBJ? Se ele disse k vai seguir lei então respeita parecer de MP k pediu

  9. Só bobo

    11 de Agosto de 2020 as 15:33

    Qual moral tem esse Nestor que ganhou 2 deputado mas não tomou posse e perdeu mandato no tribunal? Credo jurista

  10. Outra vez?

    11 de Agosto de 2020 as 16:58

    Se antes diziam que era ilegal e agora 3 pareceres um de procuradoria geral da república diz que é legal. Em que ficamos? Esse Nestor é mais jurista que outros? Se UMPP tem maioria absoluta e presidente é eleitor santomense na diáspora isso é discriminação. Diaspora não conta?

  11. Rodrigo Cassandra

    11 de Agosto de 2020 as 17:57

    Gostaria aapenas de chamar atenção pelo seguinte aspecto:
    O primeiro Presidente do Governo Regional foi Damião Vaz de Almeida que ao meio do mandato deichou o poder e saltou paraa Presideente do Governo Regional.
    Não entendo porqu~e nomes isso não é mas nem menos uma interferencia num assunto interno da UMPP que no seu Estaatuto aaprovaaddo no Congresso diz clarameente que o Presidente da organização é por inerência de funções Presidente do Governo Regional.
    Estamos serenos e calmo a espera da decisão que vier a tomar o senhor Primeiro Ministro maas a UMPP esta altamente preparado para todo e qualquer cenário.
    Chamo a atenção do senhor Primeiro Ministro para respeitar as Leis e os pareceres que ele propio pediu. E esperamos ver esse assunto encerrado com o Felipe a tomar posse tanto cedo quanto possível.
    Nós somos o Príncipe MAS PRÍNCIPE PAARAA MAS S.TOMÉ E PRÍNCIPE.
    Aquele abraço a todos

    • Merecido

      11 de Agosto de 2020 as 23:23

      Vocês Digo é um grande estratego. Por isso que UMPP dá sempre cabazada. És um homem de muita visão política. Parabéns. Precisamos de mais assim como você na nossa política. Pensa com cabeça em vez de fazer bobo nas campanhas. Abraço.

  12. Paulo Cruz

    12 de Agosto de 2020 as 4:49

    ôh Rodrigo Cassandra fique quieto. Vê la se arranges mais coisas para fazer, e não politiquices baratas.
    Não és culpado. Culpados são as corjas dos deputados que andam a copiar e colar o que vem do outro lado.
    Para que haja uma continuidade da acção governativa, devia ser indicado um menbro do Executivo Regional para prosseguir com os dossiers e não indicar um estreiante em todos os sentidos para liderar a governação administrativa de uma parte do territorio nacional.

    Deixem de regionalimo excessivos, porque Principe,foi, é e será sempre um departamento, do país que se chama STP.

    • Ainda?

      12 de Agosto de 2020 as 14:41

      Por essa vossa mentalidade que mlstp nunca mais ganha no Príncipe. Príncipe é uma região Autónoma. Pk você não candidatou no congresso contra rapaz?

  13. Ralph

    12 de Agosto de 2020 as 6:24

    Não sei exatamente como funciona o sistema político em São Tomé e Príncipe, mas parece-me normal que o partido do ex-possuidor de uma carga política deveria ser capaz de nomear o substituto, no caso de uma demissão, até à eleição de um novo possuidor da mesma carga. Ou seja, o substituto deveria apenas reger de uma forma temporária até que existam condições para se conduzir outra eleição. Se isso não serve, deveria ser convocada outra eleição de imediato e a posição permaneça vaga até os resultados da eleição serem declaradas.

    • Explicou sem complicar

      13 de Agosto de 2020 as 12:31

      Coisa tão simples que qualquer um percebe. Esses verdes e mlstp ñ percebem pk são desnorteados…

  14. Santo

    12 de Agosto de 2020 as 13:24

    Eu na qualidade de santomense natural do Príncipe, gostaria de perguntar se no estatuto do UMPP tenha algum artigo que impessa os naturais do príncipe na diáspora de exercer o cargo do presidente do governo regional? Se foi próprio a UMPP que indicou o Filipe Nascimento como único nome para exercer o cargo embora desrespeitasse a orientação do PM em indicar 2 nomes, sendo assim, o PM pode e muito aceitá-lo para o cargo, mostrando que o país é de todos nós tanto para os residentes como os da diáspora.

  15. SEMPRE AMIGO

    12 de Agosto de 2020 as 22:06

    A imagem que vendemos para o exterior é de um país onde os políticos só sabem governar parindo conflitualidades permanentes. No momento actual, ainda por cima com a pandemia, já temos gravíssimos problemas para resolver. Se o senhor primeiro ministro já tem os pareceres solicitados ao Ministério Público e ao Ministério da Justiça que não discubriram ilegalidades no processo,e tem em seu poder a proposta do partido majoritária na Assembleia Regional, porquê esse compasso de espera? Não deveria perder mais tempo com a nomeação e a tomada de posse do chefe do Governo Regional, evitando assim criar uma situação geradora de conflitos perturbadores da vida económica, social,política e cultural da região autónoma.

    • Credo mlstp

      13 de Agosto de 2020 as 12:34

      Dá para ver que o bem estar e estabilidade nao importa. Esse mlstp só quer confusão. Assim dessa forma o pior é o povo k mais sofre

  16. José De Menezes

    13 de Agosto de 2020 as 7:40

    Olha sobre essa questão existe duas hipóteses concretas:
    1- não aceita o Filipe como Presidente da RAP e convoca eleições;
    2- Indigita outro nome k não seja o k a UMPP indigitou e o orçamento do Governo Regional é reprovado.
    Qual das duas é viável?
    Se têm tanto medo do Filipe é porque sabem da capacidade dele. Mas tb sei k por ele ser jovem pode trazer nova mudança de pensamento no seio da juventude sãotomense o k levará os partidos existentes no país a verem seus jovens a ambicionarem o poder o k vai contra a ideologia dos mais velhos que não querem deixar de roer os ossos.

  17. Olivio

    13 de Agosto de 2020 as 20:21

    O Filipe Nascimento esta plenamente preparado para assumir este cargo, sem duvida, estamos com tigo, numa só força e unirmos para o desenvolvimento da Ilha

  18. pais real

    14 de Agosto de 2020 as 11:40

    Realmente muitos mais velhos não querem largar os ossos. Quando estão na idade de reforma recusam irem para casa continuando a trabalhar e nem sequer aceitam ascensão dos outros.
    Essa prática é mais conhecida e utilizada pelos camaradas de MLSTP. Tem que haver alternancia num pais. A geração jovem merece o seu espaço.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo