Política

Presidente da CEN avisa que está atrasada a preparação das eleições presidenciais

Fernando Maquengo, novamente Presidente da Comissão Eleitoral Nacional de São Tomé e Príncipe, eleito desde Dezembro do ano 2020, só foi  investido nas suas funções no dia 16 de Fevereiro.

«Já perdemos cerca de 2 meses para início dos trabalhos, tendo em conta o prazo legal para as eleições presidenciais», declarou o Presidente da CEN.

Na cerimónia de investidura que decorreu na Assembleia Nacional, o líder do órgão que organiza e realiza as eleições no país, disse que para além do atraso, a pandemia da Covid-19 é um dos constrangimentos para os trabalhos de preparação das eleições presidenciais.

Segundo Maquengo, a CEN vai realizar recenseamento de raiz dos eleitores santomenses na diáspora. Processo que pode ser condicionado pelas limitações impostas pela pandemia da Covid-19.

Apesar dos constrangimentos, o Presidente da CEN, acredita que a sua equipa de trabalho vai superar os obstáculos.

«Apesar desses constrangimentos esta comissão composta por pessoas de alguma experiência e multifacetada, está convicta que se tivermos apoios necessários em tempo oportuno daremos resposta a questão…», pontuou.

O Presidente da Assembleia Nacional, Delfim Neves que deu posse aos 10 membros da Comissão Eleitoral Nacional, agradeceu todos a os deputados à Assembleia Nacional, com destaque para os 28 deputados que integram a maioria parlamentar, e 1 deputado da ADI, «pela contribuição dada na legisferação do novo pacote eleitoral».

O Presidente da Assembleia Nacional, deixou claro que a investidura dos novos membros da Comissão Eleitoral Nacional, é suportada pela nova legislação eleitoral, que foi revista e aprovada pelos deputados no dia 5 de Fevereiro, e promulgada pelo Presidente da República no dia 12 de Fevereiro.

Abel Veiga

    5 comentários

5 comentários

  1. Lima

    18 de Fevereiro de 2021 as 7:58

    Peco desculpas,tendo em conta que a pergunta que segue,pode ter uma resposta evidente.Se caso for peco mais uma vez que tolerem essa ignorancia.Pois essa comissao de 10 membros foi eleita ou foi designada,escolhida?Caso for nenhuma senhora nao aceitou ou ,achou-se que elas nao teem competencias para tambem fazerem parte dessa equipa e assumir o papel que incombe a essa comissao?Se foi por votos o que fez com que nenhuma nao apresentou a sua candidatura podendo tambem ser eleita.
    Nao quero polemicar,so quero ter esclarecimento.Algo me saltou aos olhos vendo essa alinhada de senhores gravatados com excecao de um.Mas talvez la dentro haja uma mulher bem masculinizada(vestida ou seja camuflada em homem).
    Pois as mulheres nao podem ser afastadas nesses assuntos como seres sem cerebros.Eu nao quero com isso dizer que eles devem estar presentes em tudo mas aqui ha algo que nao percebo.Como elas nao sao obrigadas a estar na cozinha,a estar nas dicotecas,a estar no mercado para dar de comer aos filhos,lavar, engomar,estar no canto da cama do antigo senhor que por razao de campanha disse essa besteira que espero que ele se arrependeu mesmo se foi eleito,elas devem tambem ter e tomar esse direito de estarem presentes para o bom deroulamento dessa eleicao que as diz respeito porque é algo de alta importancia para o futuro do pais.Fui mais longa do que esperava por isso peco denovo uma tolerancia.
    Aguardo resposta de seja quem for.
    Quando nao se sabe vale melhor perguntar.

    • Victorino Andre

      18 de Fevereiro de 2021 as 10:46

      Pois é tens razão

    • Seabra

      18 de Fevereiro de 2021 as 12:34

      Excelente pergunta, Lima. Cadê a presença feminina nesta comissão?
      É incrível como o povo são-tomense resiste a esta mentalidade TACANHA em relação o papel e o valor da MULHER na sociedade sãotomense.
      Uma sociedade SÃ e DEMOCRÁTICA, só pode avançar , evoluir, progredir se a MULHER graças ao papel ACTIVO da MULHER que é um elemento promordial na vida humana.

  2. Fuba cu bixo

    18 de Fevereiro de 2021 as 16:12

    Este atraso de 2 meses não foi por falta de aviso o líder da bancada parlamentar do ADI tem vindo nas suas intervenções a alertar o governo para o atraso da tomada de posse do novo presidente da Comissão Eleitoral,mas por politiquice e taticismo político o Delfim não o fez e quto a esta irregularidades cometidas pela nova maioria os camaradas intelectuais ficam de boca calados só falam quando da geito para seus partidos.

  3. SEMPRE AMIGO

    19 de Fevereiro de 2021 as 10:12

    A DIASPORA é uma parte significativa da população de SÃO TOMÉ E PRINCIPE! Criadas que já foram as condições legislativas, não seria de todo nem compreensível e muito menos aceitável realizar eleições(presidenciais e legislativas) sem a participação dos conterrâneos da diaspora.Como Presidente da Assembleia Nacional agradeceria, sem destaques TODOS os deputados “pela contribuição dada na legisferação do pacote eleitoral”.Nenhuma MULHER na CEN?….Credo! “Aparentemente a dentada que EVA dera na maçã do conhecimento era uma dívida que as mulheres estavam condenadas a pagar por toda a eternidade”.E…agora?Só com CRISTO.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo