Política

Agostinho Rita eleito líder dos veteranos, não é membro fundador do MLSTP

O economista Agostinho Rita é desde o passado dia 5 de Junho, Presidente da Liga dos Veteranos do MLSTP. Foi eleito numa reunião magna organizada pelo partido MLSTP. O Téla Nón sabe que alguns membros fundadores do partido MLSTP, foram convidados, mas não marcaram presença no congresso.

No entanto a notícia sobre a eleição de Agostinho Rita como Presidente da Liga dos Veteranos do MLSTP, trouxe a ribalta alguma dúvida para a opinião pública, principalmente quando se refere a participação de Agostinho Rita na fundação do partido MLSTP.

«Rita, actual Conselheiro do Primeiro-ministro para área de petróleo, é igualmente, membro fundador do MLSTP….» diz a notícia veiculada pela agência de notícias do país.

No artigo, é frisado também que « além de ser membro fundador do MLSTP em Julho 1972, na cidade de Stª Isabel, hoje, Malabo, capital da Guiné-equatorial, Rita, formado em Economia em Espanha foi também ministro da Economia do ex-presidente São-tomense Manuel Pinto da Costa..».

O leitor tem acesso ao artigo na íntegra – https://www.stp-press.st/2021/06/07/agostinho-rita-eleito-por-aclamacao-lider-da-liga-dos-veteranos-do-mlstp/

No entanto, Gerard Seibert, investigador da história e dos assuntos políticos e sociais de São Tomé e Príncipe, protestou contra o conteúdo da notícia que indica Agostinho Rita como membro fundador do MLSTP no ano 1972 na então cidade de Santa Isabel, hoje Malabo- Guiné Equatorial.

«Esta informação está errada e deve estar baseada numa confusão qualquer, visto que Agostinho Rita  não fazia parte do pequeno grupo que fundou o MLSTP. Também não é possível, visto que em 1972  ele estava na Espanha. Ele voltou à São Tomé somente depois da independência, em 1978, conforme uma entrevista que deu a Carlos Espírito Santo ‘Bené’», explica o investigador.

Gerard Seibert, apresenta vários outros factos para provar que Agostinho Rita não é membro fundador do partido MLSTP.

«Em 1993, eu falei pessoalmente com vários fundadores do MLSTP entre os quais Manuel Pinto da Costa, Miguel Trovoada, João Guadalupe de Ceita, Leonel d’Alva e Carlos Graça. Nunca nenhum deles falou da presença de Agostinho Rita na fundação do MLSTP.

Além de várias outras publicações, também o livro de Carlos Espírito Santo ‘Bené’ “O Nacionalismo Político São-tomense” (2012), não menciona Agostinho Rita como co-fundador do MLSTP em 1972. Veja também na p. 592 deste livro sobre Agostinho Rita.

 Na 3.ª edição do livro “Quem é Quem em São Tomé e Príncipe”, de João Ramos (2007,) o próprio Rita não se refere à fundação do MLSTP, mas apenas ao Partido Liberal e Social (PLS) que criou em 2004. Veja na p. 99 desta publicação. 

Na 1.ª edição do livro de João Ramos (2001, p. 30) Rita menciona apenas à “Formação Partidária Membro do Conselho Nacional do MLSTP/PSD”.  Na .2.ª edição deste livro (2004) esta informação já não aparece, pois ele já tinha criado o PLS. …»

A investigação de Gerard Seibert em torno da proclamação de Agostinho Rita como membro fundador do MLSTP, apresenta também provas documentais extraídas do jornal Téla Nón,

« Veja também o que o próprio Rita disse em 21 de Outubro 2008 no Téla Nón: “11.  Eu estou vinculado à luta de libertação desde 17 anos em Santa Isabel (hoje Malabo), ao lado dos grandes líderes históricos e saí de Fernando Pó para estudos superiores em Espanha, e acabei com bolsa do CLSTP (Comité de Libertação de São Tomé e Príncipe). ”

Nada sobre uma suposta presença na fundação do MLSTP. Veja o texto completo dele em:

https://www.telanon.info/politica/2008/10/24/502/comunicado-de-imprensa-sobre-as-verdadeiras-razoes-da-minha-demissao-em-resposta-as-declaracoes-do-sr-primeiro-ministro/

Os factos indicam que o actual Presidente da Liga dos Veteranos do MLSTP, não é membro fundador do partido que conduziu a luta política para libertação de São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga

    6 comentários

6 comentários

  1. Pedro Costa

    14 de Junho de 2021 as 15:26

    Muito bem ! Repor a verdade….

  2. Seabra

    14 de Junho de 2021 as 23:31

    Creio que é urgente e imperativo que se escreva a história da fundação do MLSTP com testemunhas ainda vivas tal que o Manuel Pinto da Costa e aqueles que ainda foram fiéís desde a 1a hora. Infelizmente, alguns deles foram traídores do MLSTP,como foi o Miguel Trovoada que pintou de preto e desqualificou o MLSTP ( com provas que se encontram no seu dossiê de refugiado político junto da OFPRA/CRR no Val de Fontenay),em France.
    Mas nunca se deve esquecer que foi o MLSTP que permitiu a independência do país, criando uma Nação, dando uma identidade aos sãotomenses e principianos.
    Nunca o MLSTP perderá a prestígio do grande e do maior partido que jamais existirá em STP…viva MLSTP.
    BEM HAJA!

    • Gerhard Seibert

      15 de Junho de 2021 as 12:34

      Prezado amigo,

      Esta história da luta pela independência já está escrito há muito tempo, também pelos próprios santomenses. Veja, po exemplo, o livro de dois volumes de Carlos Espírito Santo “Bené”, O Nacionalismo Político ão-tomense. Lisboa: Edições Colibri, 2012.
      Veja o livro de João Guadalupe Viegas de Ceita, Memórias e Sonhos Perdidos de um Combatente pela Libertação e Progresso de São Tomé e Príncipe, S.Tomé, 2015. Na p. 154 deste livro o seu autor informa os nomes dos oito fundadores do MLSTP, na reunião realizada em Malabo, em Julho de 1972:

      Manuel Pinto da Costa
      Leonel Mário d’Alva
      Miguel Trovoada
      Carlos Graça
      José Fret Lau Chong
      João Guadalupe de Ceita
      Alexandrina Soares de Barros
      António Barreto Pires dos Santos “Ohnet”

      Abraços

      Gerhard Seibert

  3. santola

    15 de Junho de 2021 as 9:45

    Ah! Está a ver se apanha “boleia” da pensão vitalicia de 80% do salario de 1 ministro, atribuida aos fundadores do MLSTP em 2005 pelo Fradique…
    Não basta que são esses mesmos fundadores, auto-denominados de libertadores da pátria, que nestes 45 anos de independencia têm, com a sua fraca gestão dos recursos publicos, reduzido o povo santomense à condição de escravos da miséria e da subsidio-dependencia!! Libertaram quem ou o quê? Libertaram os recursos publicos do país directamente para as suas contas privadas!!!

  4. Manuel Alexandrino

    15 de Junho de 2021 as 15:39

    Não se esqueça de devolver o dinheiro do povo que vocês comeram com o tal Banco Verde. O Povo aguarda pelo seu dinheiro, igualmente o dinheiro comido no seu banco, o Banco do Equador, onde vocês todos os camaradas e veteranos mamaram toda a massa.
    Tenham a vergonha na cara

  5. Santomense

    15 de Junho de 2021 as 20:11

    O pior de tudo, são os que não se candidataram, não fazem nada, mas absolutamente nada e só sabem criticar.
    Deviam apresentar com factos, qual foi a vossa contribuição para o vosso tão amado São Tomé e depois sim, poder criticar. Por isso é que o país não vai a lado nenhum, pessoas de dentro e fora, só sabem fazer isso…
    Agostinho Rita, pelo menos fez, e continua à fazer, e acreditar nesse país que não o merece.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo