Política

 “A protecção do ambiente é outro imperativo nacional, muito maltratado”

O compromisso do Presidente Carlos Vila Nova com a protecção do ambiente foi manifestado desde o dia que foi investido nas suas funções.

No discurso de tomada de posse no dia 2 de Outubro, o novo Presidente da República chamou a atenção do país e do mundo, para as más práticas ambientais que estão a marcar São Tomé e Príncipe.

«A protecção do ambiente é outro imperativo nacional, muito maltratado. Importa arrepiar caminho e adoptar medidas e práticas sustentáveis….», declarou Carlos Vila Nova no dia 2 de outubro.

Os impactos das mudanças climáticas ameaçam o futuro da vida no planeta terra. A 26ª cimeira mundial sobre o clima, que se realiza em Glasgow – Reino Unido de 31 de Outubro à 12 de Novembro, acabou por ser a primeira missão internacional do Presidente da República de São Tomé e Príncipe.

Carlos Vila Nova que viajou na quarta – feira para participar na cimeira do clima organizada pelas Nações Unidas vai defender a posição de São Tomé e Príncipe, em torno desta enorme questão mundial, as mudanças climáticas.

São Tomé e Príncipe que praticamente não emite gases de efeito estufa para a atmosfera, é no entanto um dos países que absorve tais gases, e se confronta com os seus efeitos, nomeadamente os fenómenos naturais extremos que já começam a ameaçar as populações que habitam as regiões do litoral. As ondas gigantes já provocaram estragos em comunidades piscatórias na ilha de São Tomé.

Chuva cada vez mais rara e descoordenada, novas pragas cada vez mais ameaçam as culturas no país. Os citrinos são uma das culturas sob forte ameaça de desaparecimento pelo menos na ilha de São Tomé.

As questões ambientais, a luz da cimeira do clima de Glasgow deram motivos para a primeira-dama do país, Fátima Vila Nova(na foto em baixo) assumir protagonismo na organização de uma “conversa de mulheres” sobre as mudanças climáticas numa perspectiva de género.

Mulheres são-tomenses são actoras de várias actividades que brigam com a sustentabilidade do ambiente e do clima. Dedicam-se a agricultura e podem contribuir para a preservação da flora e da fauna nacional. No entanto, sem formação e orientação sobre a problemática do ambiente e do clima podem contribuir para agravar a crise ambiental.

Tradicionalmente elas são também vendedoras de peixe. Mulheres formadas e informadas sobre a questão do ambiente e do clima podem contribuir para a protecção do ambiente marinho.

«Não temos o direito destruir aquilo que os nossos antepassados nos deixaram, e muito menos privar as gerações futuras do gozo das maravilhas que as nossas ilhas oferecem…», afirmou o Presidente da República no dia 2 de Outubro.

A representante do PNUD em São Tomé e Príncipe Katarzyna Warwiernia e demais funcionárias do PNUD e da presidência da República participaram na “conversa de mulheres”, na varanda do Palácio do Povo.

Um evento que antecedeu a viagem do Presidente da República e da Primeira-Dama rumo a cimeira do clima de Glasgow.

Abel Veiga

    10 comentários

10 comentários

  1. José João Pinto

    28 de Outubro de 2021 as 8:47

    A Varanda do Palácio não é para isto.

    Procurem um outro espaço para brincadeiras

  2. Pedro Costa 2

    28 de Outubro de 2021 as 13:35

    Forrobodó!?
    Na varanda do palácio ? Praticamente está na varanda da sua casa. É uma casa particular! Que mau aspeto!
    Tristeza. Impensável

    • ONDE+MESMO?

      28 de Outubro de 2021 as 16:38

      Desculpe contraria-lo mas, neste momento o Palácio do Povo é a casa dela (1ª dama) e têm toda a legitimidade de receber e promover um pequeno almoço reunindo mulheres da sociedade santomense para falar de um tema tão importante como é o problema das mudanças climáticas.

      • ONDE+MESMO?

        28 de Outubro de 2021 as 16:39

        E que fique claro que o meu voto não para o Carlos Vila Nova.

        • ONDE+MESMO?

          28 de Outubro de 2021 as 16:45

          Em vez de criticarmos, deveríamos isso sim congratularmos pelo facto de S. Tomé e Príncipe ter depois de largos anos uma primeira dama.

    • Zagaia

      28 de Outubro de 2021 as 19:19

      A senhora queria que fosse feito no HOTEL PESTANA, pois aí, iria sair dinheiro do bolso da senhora.
      Veja lá o que a nossa segunda dama nos poupou.
      Não se esqueça, quem paga isso tudo somos nós. Um bem haja.

    • Maria

      28 de Outubro de 2021 as 19:32

      Faz algo pelos velhinhos e pelas crianças que são os que mais precisam em vez de gastar o dinheiro do povo com parvoíces

  3. Zagaia

    28 de Outubro de 2021 as 19:22

    Desculpe, aqui vai a correcção, em vez de senhora é senhor.

  4. Maria

    29 de Outubro de 2021 as 12:44

    A 1 dama que vá mas é trabalhar em prol dos mais necessitados em vez de fazer sala no chá das 5. Teu marido prometeu trabalho mas só estou a ver boa vida enquanto os teus patrícios apertam a barriga com fome. Fui

  5. Maria

    30 de Outubro de 2021 as 21:18

    Mudança climáticas que percebe ela disto que formação tem ela para tal essa burrinha vá mas é pastar está a mandar areia para os olhos do povo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo