Política

Governo impõe Justiça para o preço dos combustíveis no Príncipe

Num comunicado o Governo da Região Autónoma do Príncipe diz que foi alcançado o entendimento para a redução do preço dos combustíveis na região.

O entendimento foi alcançado após negociações na capital São Tomé, entre o Presidente do Governo Regional do Príncipe, Filipe Nascimento, o Ministro das Finanças Eugénio da Graça, a empresa ENCO que comercializa os combustíveis no país, a Agência de Promoção do Comércio e de Investimentos(APCI), e os revendedores dos combustíveis na ilha do Príncipe.

Doravante o preço dos combustíveis na ilha do Príncipe passa a ser igual ao praticado na ilha de São Tomé. «Redução do preço de combustível na ilha do Príncipe para o mesmo preço praticado em São Tomé, 30 dobras(1 euro e 20 cêntimos) por cada litro de gasolina, e 25 dobras(1 euro) por cada litro do gasóleo», confirmou o comunicado do governo da Região Autónoma do Príncipe.

O comunicado do Governo da Região Autónoma recorda que as negociações que permitiram a fixação do preço dos combustíveis em igualdade com o praticado na ilha de São Tomé aconteceram após, a eclosão na semana passada, de mais uma crise dos combustíveis no Príncipe, que provocou enorme crispação social.

A população do Príncipe contestou a subida do preço da gasolina de 32 dobras para 35 dobras(1 euro e 43 cêntimos) o litro, e também o aumento do gasóleo de 27 para 30 dobras(1 euro e 20 cêntimos) o litro.

«O governo regional suspendeu a venda dos combustíveis e deu lugar a negociações com o governo central», explica o comunicado.

O Governo da Região Autónoma do Príncipe e o Governo Central da República de São Tomé e Príncipe prometem prosseguir com as negociações e busca de parcerias com vista a instalação na ilha do Príncipe de um reservatório com capacidade para armazenar combustíveis, e evitar assim a constante rotura do stock na região autónoma.

Note-se que o Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus prometeu reforçar a subvenção dos preços dos combustíveis para a ilha do Príncipe. Na semana passada o Chefe do Governo tinha prometido que o problema da crise dos combustíveis no Príncipe ficaria resolvido, nesta semana.

Abel Veiga

5 Comments

5 Comments

  1. STP

    9 de Dezembro de 2021 at 10:12

    O mais importante é que houve entendimento entre Governo Regional e Governo Central. Isso que povo precisa. Parabéns para todos.

  2. Rodrigo+Cardoso

    10 de Dezembro de 2021 at 8:49

    Estou a entender que nossas conquistas tem de ser com guerra pacífica agora temos de ir a busca dos nossos direitos a Luz da Lei de Petróleo nossa percentagem está a ser muito violada e roubada

  3. Timoteo dos santos

    10 de Dezembro de 2021 at 9:06

    Mas, qual justiça que o Governo impõe nos preços de combustivel para Região, se isto já era assim. Alguém neste Governo fez porcaria, e associado ao Comerciante Gatuno fizeram com que a coisa ficasse assim.
    O Governo sempre subsidiou os combustíveis para Príncipe. Há largos anos.

  4. Toni

    10 de Dezembro de 2021 at 13:41

    Devido à insularidade, os habitantes dos Açores e da Madeira, têm IVA mais baixo, subsídio nas viagens de avião, quotas especiais para estudantes nas universidades de Portugal (continente).

    Além dos governos regionais terem autonomia em grandes decisões.

    Isto é autonomia!!

    Em Stp, estado independente, a autonomia é:

    – falta de energia no Príncipe
    – falta de condições básicas no Príncipe
    – preços de bens essenciais mais caros
    – viagens de avião, impossível para o povo
    – etc…….

    Já que se copia tudo de Portugal, podiam fazer uma boa cópia!

    Viva Stp independente!!!!!!

  5. Toni

    10 de Dezembro de 2021 at 13:43

    Desculpem mas isto do combustível é simplesmente obrigação! Não é uma dádiva…… estupidez de governantes

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top