Política

PR apoia o desafio do vice-Presidente da Assembleia Nacional para estancar viagens

Na última sessão plenária da Assembleia Nacional, o vice-presidente Abnilde Oliveira, deputado do partido no poder a ADI, apresentou uma proposta ao parlamento para estancar as viagens dos dirigentes de Estado ao estrangeiro.

«Eu sei que não vou ter muitos amigos…» reconheceu o vice Presidente da Assembleia Nacional quando apresentava a proposta ao parlamento.

O deputado da ADI chamou a atenção da Assembleia Nacional para a realidade do país. Uma realidade que não se compadece com as múltiplas viagens dos dirigentes ao estrangeiro. Viagens que provocam despesas avultadas aos cofres do Estado e sem resultados concretos.

«Tendo em conta a realidade do país precisamos reflectir sobre as viagens. Precisamos assumir a nível nacional a responsabilidade de estancar a viagem por um período… Sejam membros do governo, sejam deputados» afirmou.

Reconheceu que gosta e quer viajar. «Quando viajo sinto-me bem. Mas tendo em conta a realidade do país precisamos assumir esta responsabilidade de um período de 6 meses ou de 1 ano, nada de viagens», frisou.

O deputado propôs ao parlamento que as viagens dos dirigentes do Estado só seriam autorizadas apenas em 3 situações. Em caso de doença, em caso de viagens pagas pelos parceiros do país, e no terceiro caso para assinatura de acordos em que a presença do dirigente se faz necessária.

«Sabemos que quando viajamos, levamos o subsídio de viagem, e nós não levamos dobra, levamos divisas e o país não tem divisas», reforçou Abnilde Oliveira.

O Presidente da República Carlos Vila Nova, reagiu à proposta do vice presidente da Assembleia Nacional.

«Estou pronto não há receio de debate, discutimos as questões e orientamos o país da forma que achamos que seja melhor. Se a Assembleia Nacional decidiu discutir a questão é o quadro próprio», declarou o Chefe de Estado quando regressou da conferência de Paz realizada em Angola.

Carlos vila Nova sugeriu que a Assembleia Nacional criasse um quadro normativo para estancar as viagens. Recordou que o Presidente da República é o único órgão de soberania que só pode viajar após autorização dada pela Assembleia Nacional.

O chefe de Estado manifestou-se disponível para promulgar uma lei da Assembleia Nacional que regulamentasse as viagens dos dirigentes e as despesas inerentes as mesmas.

«A Assembleia que o faça, de qualquer maneira se o fizer chegará a mim, e nessa altura tomarei a decisão que achar mais correcta para o bem do país», concluiu o Presidente da República.

Note-se que no passado o governo de São Tomé e Príncipe liderado pela ADI bateu vários records de despesas com viagens, com valores acima de 2 milhões de euros, e praticamente sem resultados concretos. Um montante que poderia atender e resolver diversos problemas sociais que afligem as populações.

Abel Veiga  

4 Comments

4 Comments

  1. alberto costa

    27 de Novembro de 2023 at 13:46

    Muito bem Vila Nova e Abenildo Oliveira.
    Ponha travão as viajens deste falcão PT q vive mais no ar do que nas terras de S.Tomé.
    Nota 10 para os dois.

  2. jose Manuel

    27 de Novembro de 2023 at 17:53

    Parabéns ao deputado Abnilde pela coragem
    Costuma-se dizer que de mais é molestia. Na realidade só um dirigente desvergonhado pode continuar a fazer tantas viagens.
    Se houver viagens com sentido, tudo bem. Mas ir à Inglaterra assistir a tomada de posse de um bernabeco não tem sentido. Ir à Chade? não tem sentido. Ir a Congo Democrático? Não tem sentido. Ir a Guiné Bissau passaer com a familia nesta altura de jogo que dizem não haver divisas? Não tem sentido. Ir a Dubai passear na COP? não tem sentido. Para Dubai pode ir um Ministro, já que as decisões da COP não dependem em patavina nenhuma da presença de S.Tomé. Por tanto, deixe de superfugios para promover viagens.
    Basta..Basta…Basta de viagens Senhor Primeiro Ministro. Tenha um pouco de vergonha. O senhor está a gastar todo o dinheiro do IVA com a sua viagem. Basta.

  3. Vanplega

    27 de Novembro de 2023 at 19:34

    Kkkkkkkkk ele jà foi de novo

    Està proposta, ñ passar de entretimento para medir pulso ao povo pequeno.

    Vāo gozando, que um dia isto muda

  4. Pedro Costa 2

    27 de Novembro de 2023 at 20:33

    Já há muito que defendo esta forma de estar dos governantes deste país. Muitos aproveitam-se destas viagens para encaixarem mais algum nos bolsos ou nas suas contas bancárias. Desde sempre houve uma corrida desenfreada às viagens ao estrangeiro. Tudo devido as verbas atribuídas às deslocações.
    É um abuso!
    Porque teriam de viajar por questões de saúde !? Que criem condições no país para todos serem tratados no país. Não pode ser quando estão doentes fogem do país! Quem não tem meios para tal, fica ali para ser tratados naquele podre de hospital. Não pode ser. Quem não tem morre. Não pode ser. Isto revolta-me

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top