Sociedade

Cumplicidades institucionais impedem que o abate ilegal de árvores seja punido judicialmente

São Tomé e Príncipe criou várias legislações para punir o abate ilegal de árvores, e assinou várias convenções internacionais, que transformam o abate ilegal de árvores em crime. No entanto, árvores continuam a ser abatidas e ninguém é punido.

A Direcção das Florestas, considera que a cumplicidade instalada no país, facilita o abate ilegal de árvores. O futuro de várias espécies de árvores e do ecossistema nacional, está comprometido. «A nível internacional as nossas florestas são reconhecidas como uma das melhores do mundo, pela sua biodiversidade e diversidade faunística. As acções que põem em causa a integridade desse ecossistema são crimes a nível nacional e internacional», garantiu Faustino Oliveira, Director Geral das Florestas.

Na entrevista que concedeu ao Téla Nón, o Director Geral das Florestas, explicou que São Tomé e Príncipe criou várias legislações para preservar a floresta. Há leis que regulam a circulação de motos-serras nas florestas, outras determinam a punição aos infractores, e até há legislação que orienta o Estado a importar madeiras dos países vizinhos, como Gabão, Camarões e a Guiné Equatorial, como forma de reduzir o abate seja legal ou ilegal.

Mais do que isso, São Tomé e Príncipe, assinou várias convenções internacionais, nomeadamente da biodiversidade, a convenção contra a desertificação, assim como em relação às mudanças climáticas.

Legislações nacionais e internacionais, que transformam o abate ilegal e abusivo de árvores, em crime punível por lei. No entanto o director das florestas reconhece que o abate ilegal de árvores aumenta e de forma impune. «Se a legislação for devidamente implementada pode levar os infractores a punição judicial. Infelizmente até agora ninguém foi criminalmente responsabilizado pelo abate ilegal de árvores. Falta aquela coragem institucional para fazermos isso», assegurou Faustino Oliveira.

A direcção das Florestas, considera que a cumplicidade instalada, compromete também os compromissos internacionais assumidos pelo país. «Se não implementarmos essas convenções internacionais, estamos a trair os compromissos assumidos internacionalmente», pontuou.

Amoreiras e Gôgô, são espécies de árvores, que no passado eram mais utilizadas na construção de casas e mobílias. Produzem madeira de alta qualidade. O abate contínuo está a provocar o desaparecimento dessas duas espécies. «O tempo de crescimento e desenvolvimento de uma amoreira é de 1 século. Isso demonstra que é preciso tempo para que uma amoreira tenha tronco adequado para ser abatida», explicou Faustino Oliveira.

Uma espécie de árvore em vias de extinção, que desempenha papel importante na preservação do ecossistema florestal. «As amoreiras são habitats das orquídeas e fetos endémicos de São Tomé e Príncipe», acrescentou.

Para além de alimentar no seu caule outras espécies endémicas, a amoreira e outras árvores de sombra plantadas há mais de 1 século, para assegurar o êxito da cultura do cacau e do café, desempenham papel determinante na estabilidade do solo, evitando a erosão.

Por causa também do abate abusivo dessas árvores, várias comunidades do interior de São Tomé e Príncipe, confrontam-se com graves problemas de erosão dos solos. Derrocadas chegam mesmo a cortar as estradas no interior. Pragas também estão a comprometer a produção do cacau e de outras culturas, por causa da falta de árvores de sombra.

O problema é grave e sério. Por isso para este ano, a Direcção das Florestas, definiu como prioridade o combate cerrado contra o abate ilegal de árvores. O Governo apetrechou a direcção com alguns meios rolantes, e criou um corpo de guardas florestais com cerca de 9 elementos.

Meios humanos e materiais escassos, que levaram a direcção das Florestas, a assinar acordos de parceria com as câmaras distritais, com os comandos distritais da polícia, e com as forças armadas, para reforçar o patrulhamento das florestas, e assim controlar o abate ilegal, indiscriminado, e abusivo das árvores.

Abel Veiga

    10 comentários

10 comentários

  1. rapaz de riboque

    22 de Março de 2012 as 12:58

    qualquer dia a nossa linda terra vai desaparecer do mapa com esta gente é mesmo para a contecer como aconteceu no HAITI nos ultimamente. Poça que raio de gente é essa que não vê um palmo a frente do nariz é tudo a lutar pelo seu bém pessoal os que não podem lutar para ter vivem na ignrância é pena mas que havemos de fazer meu Deus: qualquer dia o pais é governado pelo Diabo porque os espiritos já estão contaminados pelo satanas veja só este artigo é só destruir construir e cultivar nada ainda bém que vou-me embora para Angola para ver se me safo destas pestes Humanas que se matem todos adeus minha querida terra que amo tanto mas com essa gente tenho mesmo que partir até sempre

    • Calibre-12

      22 de Março de 2012 as 16:41

      Na verdade o que se pode dizer é que este é um pais de dois pesos e duas medidas.
      Claro que o ambiente deve ser protegido, mas os homens também precisam se proteger. para isso, os governos eleitos pelo povo devem encontrar e apresentar alternativas à cada habitante do país.
      Mas esta questão de proteção do ambiente por um lado e o não abate de arvores do outro lado, leva-nos a perguntar que governo é que temos actuialmente na república. o Governo vem nesta capitulo seguindo uma politica nacional que foi sendo implementada por anteriores governos, mas proibe os pobres coitados desempragos de derrubartem arvores, mas o proprio governo vai derrubando florestas inteiras para produzir e distribuir tábuas, barrorrotes e ripas a sua clientela politica, sob a capa de ajuda aos carenciados. Muito bem, os carenciados precisam e os pobres coitados dos homens de motossera, os pobres coitados possuidores de pedaços de terra que não têm emprego e têm familia para sustentar, vão viver do quê? Ou será que quando o governo derruba arvores para produzir materiais de propaganda partidária o ambiente não sofre!
      Convenhamos gente!.

  2. Fijaltao

    22 de Março de 2012 as 13:41

    Um povo sem ESPÍRITO SANTO, é um povo amaldiçoado! Um povo que se apega a Gula, Egoísmo, Egocentrismo, Bruxaria, Feitiçaria, Vuduismo, e outros adjectivos ferramentas do diabo, não tem futuro; não tem organização, é mal educado, é ignorante, não faz, nem deixa fazer, não aceita opiniões dos outros, automotila-se, destrói tudo que é bom na natureza… enfim é um povo que dia a dia se auto destrói! Apelo à todos os santomenses, em S.Tomé, no Príncipe e na Diáspora para não se cansarem e continuar a ORAR muito pelo S.Tomé e Príncipe. Pedimos ao supremo do alto que nos livre e nos defenda de todos esses males e que este diabo que está no meio do país,seja destruído , queimado e atirado par sete funduras do inferno! Ao povo de S.Tomé e Príncipe agradeço, fazerem isso todos os dias para que nós não pereçamos, como o outro pereceu… pereceu!

    • Citizen

      22 de Março de 2012 as 16:38

      FIJALTAO.
      vai amedrontar crianças de mama, seu fitxisêlo manso…

  3. pelo bem desta terra

    22 de Março de 2012 as 14:09

    Eu nao sei se sera possivel salvar este paraiso belissimo e unico, seus ecossistemas maritimos e florestais, parar a desertificacao e destruicao dos solos bem como o das gentes q o habitam !tenho serias preocupacoes com o FUTURO destas ilhas.
    Ao serem um dos mais pequenos paizes do mundo tudo indica que seria facil gerir e Proteger este paraiso e proporcionar uma vida decente aos seus habitantes …mas nao foi nada disso que vi quando estive la.
    Generalizando um pouco pude perceber que todos os extratos da sociedade estao contaminados por uma ambicao descontrolada que passa por cima do respeito ou quais quer outros valores, nos extratos mais altos isto e’ acompanhado d mta ganancia acima do proprio desenvolvimento e dos interesses da TERRA nos extratos mais baixos a falta de formacao academica e a ignorancia….QUE DEUS NOS AJUDE!!!!

  4. hernane ferreira

    23 de Março de 2012 as 10:57

    Meus caros compatriota bem haja, vejamos ser pobre nao quer dizer que devemos fazer tudo que queremos para nao passarmos fomes, nao estou dizendo que e certo os partidos politicos fazerem o que fazem no momento da campanha mas valha me Deus tu nao queres me dizer pra seguimos fazer so porque fizeram , a nossa mentalidade tem que mudar as convencoes que tenhem que ser respeitados, direitos e deveres, vamos unir e mudar isto, e aproveitos pra dizer aos nossos deputados que a oposicao nao acabar com o governo ou criar intrigas mas sim denunciar em nome do povo, que fique claro nao querempos que o pais volte a parar devido aos capricho0s de algum , reconheco que o governo deveria fazer mais mas nao vamos comprimeter projectos que estao na carteira por amor de Deus nao facam cair o governo. Respeitemos os comprimissos e nos mesmo , espero que isto sirva de reflexao… Sou amante da minha terra

  5. BRUNO DAS NEVES

    23 de Março de 2012 as 11:04

    Para mim, so quando o pais deixar de ter pessoas mesquinhas que se deixam enganam uma tuta e meia, ai sim, por outro lado, nao deixando fugir o tema, venho por este meio pedir ao tela-non pra chamar atencao das nossas autoridade pra o declarabo de mesmo a barba desses, que a qualquer momento temo que o famoso praia brazil tende a desaparecer, as areia desta estao a ser saquiados por individuos que atravez de sacos fazem enormes carregamentos tanto de dia como a noite, mas essas actividades E mais intensa na calada da noite.
    Devido este tema “A NATUREZA” fez-me levar ao grande publico este assunto pra que as autoridades tenha em atensao este pequenos e grandes problemas que mais cedo ou mais tarde nao tenhemos dessabores identicos como o dematamento de que tem sido as nossas florestas.
    Os problemas devem ser solucionados ja, porque amanha sera tarde, a natureza agradece!

  6. Ex da Turma FE

    23 de Março de 2012 as 14:59

    Se as florestas são um bem precioso, por que não garantir que a comunidade a volta viva em condições dignas. Por isso o uso multiplo da floresta e ordenamento florestal e cinegético, devem ser uma prioridade.
    Vamos proteger as florestas e as pessoas.

  7. Ex da Turma FE

    23 de Março de 2012 as 15:46

    Enquanto que Cabo Verde e Angola, suprimem barreiras de vistos entre os dois paises , andamos a brincar com visitas presidenciais e nada mais

  8. beny sacramento

    25 de Março de 2012 as 10:10

    bom dia,tèla non,estou a gostar do vosso program, as coisas que passa dia a dia,espero que estarei em minha terra natal;um forte abraço para todo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo