Sociedade

Téla Nón mostra o resultado da análise feita pela ASAE de Portugal

Segundo os técnicos que avaliaram os resultados das análises, o teste feito pela ASAE é inconclusivo, uma vez que sugere no seu resultado a consulta de outras opiniões, ou seja, outros laboratórios.

A inconclusão da análise da ASAE obrigou o governo são-tomense a solicitar mais dois testes a laboratórios internacionais. Segundo os técnicos que avaliaram o arroz.

Dentre várias dúvidas levantadas pelos técnicos a respeito da análise inconclusiva da ASAE, destaca-se o facto da instituição portuguesa indicar que foram analisados dois lotes de amostras, sendo um lote de arroz branqueado comum médio e um segundo lote de arroz  branqueado carolino.

Uma contradição, segundo a equipa técnica do Ministério da Saúde, pelo facto do Governo ter enviado apenas uma amostra, que não tem nada a ver com o arroz “Carolino”, por sinal inexistente no mercado nacional.

O Téla Nón apurou que a inconclusão reflectida nos testes feitos pela ASAE, obrigou o Governo a retirar o arroz do mercado, tendo solicitado mais duas análises no estrangeiro, para dar resposta a sugestão feita pela ASAE, relacionada com a presença segundo a ASAE de Aflatoxina B1 no arroz.

O leitor tem acesso ao relatório de análises feitas pela ASAE :

1 – Análise ASAE

2 – Análise ASAE 2

3 – Análise ASAE 3

4 – Análise da AAE 4

5 – Análise ASAE 5

Abel Veiga

    14 comentários

14 comentários

  1. Me Zemé

    11 de Julho de 2013 as 17:21

    Há uma dúvida que ainda permanece no ar! Quem fez a colheita da amostra? Os intervenientes eram isentos? Estavam pessoas capacitadas a colher as amostras? Na colheita das amostras estavam pessoas da oposição? Na altura do envio das mesmas não foram adulteradas? … Pelo que se vê a olho nu do arroz, de excelente qualidade como diz o Tela Non, é de duvidar. Há muitas coisas ainda a esclarecer sobre esse arroz. Outro caso, é que no país de origem (Camarões) , também há lá polémica sobre a qualidade do arroz. Não será o mesmo que veio para cá? É sempre bom ter isso tudo em atenção, pois com a saúde não se brinca, temos que cuidar bem dela, caso contrário vivemos menos tempo e certamente não será isso que os dirigentes pretendam, que o seu povo viva pouco.

    • Neves

      12 de Julho de 2013 as 0:34

      Meu caro os governantes estão nem ai para a saúde desse povo, tu achas que eles vão consumir esse arroz???? esquece abraços

  2. Muita bom mesmo

    11 de Julho de 2013 as 17:29

    Resta saber se o arroz enviado foi o arroz consumido ou o que esta no mercado, tenho as minhas duvidas, mas nos tao inocentes para uas coisas, e tao espertos para outros, espero tudo, pena nao deixarmos de ser chicos espertos e comecarmos a sermos inteligentes, e amarmos o nosso irmao vizinho mulher e criancas, isso nao, amar amar amamos o estrangeiro, publiquem se faz favor.

  3. ASSASSINO

    11 de Julho de 2013 as 17:41

    Quem nos garante, que a amostra do arroz enviado para outros dois laboratórios é o mesmo arroz podre de Delfim Neves?

    O povo não é burro
    Santomenses não são porcos
    Mais respeito e consideração
    Voçes ainda vão responder no tribunal internacional?

    Santomenses que têm condições financeiras, salva este podo, pedindo outras analises nos laboratórios francês, alemão.

  4. E. Santos

    11 de Julho de 2013 as 17:47

    Hehehehehe, a amostra é do arroz branqueado carolino afinal?

  5. chimidô

    11 de Julho de 2013 as 19:00

    Arroz Carolino?

  6. realista

    11 de Julho de 2013 as 19:15

    nao sou parvo senhor gabriel e sei k muitos meus compatriotas tambem nao sao tabem voces do mlstp se kerem voto de povo tenhem poder na mao para punir e mostrar o povo k sao totalmente diferente k outros partidos caso contrario nunca mais vao ganhar eleicao em s.tome

  7. homem honesto

    11 de Julho de 2013 as 22:50

    O que o ministro do comercio disse aos Deputados da segunda comissão da Assembléia Nacional e que existe uma e única analise da ASAE.
    Onde apareceram estas analises?
    As analises doutras instituições foram encomendadas pelo ministro do comercio e Delfim Neves.
    Vamos ser sérios pelo menos uma vez da vida.

  8. Negro de STP

    11 de Julho de 2013 as 23:33

    O jornal tela non tem censurado os meus comentarios.
    Mais quero lembrar que estes malabarismo resultou no tempo do partido unico o povo estava fechado ao exterior.Hoje o mundo esta globalisado e Santomenses ja não são tapados .
    A ASAE realiza operaçoes de fiscalização em portugal e ja feichou estabelicimentos com produtos com milhores condições que este arroz mas que não tiverão em condições para o consumo.
    A ASAE em circustncia alguma aprovaria este arroz para o consumo humano .
    Viva democracia viva S.Tomé.

  9. filho de S.Tomé

    12 de Julho de 2013 as 13:25

    hummmm

  10. jonas

    12 de Julho de 2013 as 16:06

    Só sei que neste país, está salva quem puder. aconselho a todos, nao consomem esse arroz. que o fazer nao é por falta de aviso.
    esses dias estamos a consumir qual Arroz?
    Entao continuamos a comer, esse que estamos a comer agora? Se nao tem o recurso suficiente,para continuar a comprar o mesmo porque agora custa 25.000,00dbs,entao vamos comer a nossa banana, batabala, farinha de mandioca, batata doce, farinha de milho. nao vamos por em risco a nossa saude.
    Os Politicos querem nos matar, entao vamos nos defender.

  11. joão pedro

    12 de Julho de 2013 as 16:26

    Quem conseguiu ler o relatório da ASAE?

  12. Zinane

    12 de Julho de 2013 as 20:25

    Segundo o tela non o governo julgou inconclusivo o resultado da ASAE dai terem encomendado mais dois testes “A inconclusão da análise da ASAE obrigou o governo são-tomense a solicitar mais dois testes a laboratórios internacionais”
    Entao porquê que a AQUIMISA recebeu a amostra no dia 18/06/13 antes da ASAE que só recebeu a amostra no dia 21/06/13?

  13. Edaugusto

    13 de Julho de 2013 as 9:22

    O Governo só se preocupa em recuperar os seus 627.000 dólares e que se lixe o Zé povinho.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo