Destaques

Crise de energia eléctrica está ultrapassada

Está concluído mais um ciclo de cortes de energia eléctrica. O Director Geral da EMAE, anunciou em Filipina que já terminou a manutenção dos dois grupos de geradores da central térmica de São Tomé. Segundo José Maria, actualmente a  EMAE produz 16,7 Mega Watts, e o consumo a nível nacional é de 16 Mega Watts. «Neste momento o problema da EMAE já não é a produção. Temos neste momento uma disponibilidade de energia 16,7 mega watts para uma procura que ronda os 16 me watts», afirmou o Director Geral da EMAE.

Segundo o Director Geral da EMAE, para evitar mais um ciclo de crise no fornecimento de energia eléctrica a população, a empresa que dirige assinou acordo com o grupo privado português EFACEC, para instalação de mais dois geradores de emergência na central térmica de São Tomé. «Assinamos um acordo com a empresa EFACEC, no sentido de aumentar a capacidade de produção da central térmica de São Tomé com mais dois geradores de emergência», confirmou.

Com a produção a corresponder a procura, o Director José Maria, disse que o problema actual da empresa tem a ver com a qualidade da rede de distribuição, que é velha. Por isso no quadro da extensão da rede eléctrica como foi o caso de Filipina e arredores a EMAE, está a implementar novos sistemas de rede, mais eficazes, e que evitam a perda de energia ou disparos constante no fornecimento.

No entanto reunido em Conselho de Ministros na última semana, o Governo denunciou a ocorrência de actos de “sabotagem” na origem dos cortes de energia que se tem registado um pouco por todo o país. O executivo exigiu que as autoridades competentes tomem medidas para combater as acções de sabotagem.

Abel Veiga

    6 comentários

6 comentários

  1. lupuye

    5 de Maio de 2014 as 2:43

    Os novos geradores sao sempre benvindos mas que se busque um outro local para a central eletrica sita no centro da cidade. Aquela central esta a poluir o nosso rio Agua Grande e consequentemente o estuario, a Baia Ana de Chaves, para alem de poluir a cidade com um som infernal que e muito mais notavel durante a noite. Ha ja algum tempo que nao vejo os cucumbas do rio Agua Grande aparecerem e desaparecerem no rio. Por outro lado muitos sao aqueles que pescam chorroco e pape nesse rio. Sera que os peixes ai vistos sao bons para o consumo humano? Para alem dos vestigios de oleo que sao vistos ao olho nu, os animais mortos, etc, etc, faz desse rio, pelo menos nessa sua faze final, um dos mais poluidos de STP.

    • UÊCHÁ DI DEMOCRACIA

      6 de Maio de 2014 as 0:55

      E que faz o presidente Kiney quanto a isto? Zero!
      Ele nem disto percebe quanto mais fazer algo!
      Muita má gestão naquela câmara!

  2. ósobo

    5 de Maio de 2014 as 12:34

    Por favor o nosso rio água grande está a morrer, muita sujeira e cuidados, é uma vergonha um dos rios principal de STP, o nosso governo precisa arranjar uma solução para a limpeza do rio e também uma nova central elétrica, como é o caso da central elétrica fotovoltaica, STP é um país tropical muito quente seria de grande ajuda produzir energia fotovoltaicas, por favor pensem com cabeça senhores.

    • Atento

      27 de Março de 2015 as 17:42

      Meu caro ÓSOBO.
      Diz o sr. “por favor pensem com a cabeça senhores” após dizer uma grande asneira, que é “STP é um país tropical muito quente seria de grande ajuda produzir energia fotovoltaica”.
      Sr.ósobo, não é por STP ser um pais tropical muito quente que a produção de energia fotovoltaica é viável.
      A energia fotovoltaica é produzida com a incidência de raios solares nos painéis de sílicio.
      Assim, não depende do calor mais sim da luminosidade.
      De noite pode estar muito calor mas não se produz energia fotovoltaica.
      Assim, terá que ser o senhor a pensar com a sua cabeça e a documentar-se antes de dizer asneiras.
      Mas contudo parabéns, consegui-o que até agora 4 pessoas concordem consigo e achem que o que escreveu é muito bom e positivo.
      Um abraço.
      Atento

  3. vagi ngola

    5 de Maio de 2014 as 16:17

    Todo esse esforço é apanhar agua com cesto. É preciso implementar outro meio para produzir energia. Basta Geradores, usem a cabeça saiam desta miséria. Sempre a mesma situação, a cabeça é para pensar e não para…

  4. fernando

    6 de Maio de 2014 as 15:30

    Isto é mentira!!!! Agora mesmo estou às escuras na Fundação Popular. É mais propaganda que outra coisa.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo