Sociedade

Projecto da Irmã Lúcia resgata crianças desnutridas de Lembá

Aumenta o desafio do Projecto Integrado de Desenvolvimento Social do Distrito de Lembá. Para além da escola primária e do jardim de infância, o projecto conta agora com um infantário vocacionado para dar assistência às crianças desnutridas do distrito de Lembá.

Um projecto liderado por uma irmã da Igreja Católica chama-se Lúcia Cândido. Os feitos do projecto que acolhe, trata e forma centenas de crianças do distrito de Lembá para vencer o futuro, mereceram  distinção internacional. A irmâ Lúcia Cândido foi homenageada pelo Estado português no ano 2015.

Na última semana, foi inaugurado o infantário. Nesta primeira fase, cerca de 40 bebés  desnutridos de Lembá, passam a receber cuidados, alimentação e acompanhamento da Irmã Lúcia e a sua equipa.

 

Lembá é considerado como um dos principais berços da pobreza do país.  A crise económica e social no norte da ilha de São Tomé, reflecte-se no aumento do índice do alcoolismo, por parte dos adultos. A gravidez precoce é um flagelo que compromete o futuro. As crianças pagam caro. São praticamente abandonadas e cada vez mais desnutridas. «No distrito de Lembá temos muitos problemas de subnutrição, às vezes jovens de 14 a 15 anos já têm bebé. São mães alcoólatras com crianças subnutridas», detalhou a irmã Lúcia.

Um cenário que lança novos desafios para o projecto integrado. O patrocínio financeiro da Rotary Club de Ponte de Lima – Portugal permitiu a construção do infantário, que vai resgatar os bebés desnutridos. «Este centro foi pensado para albergar crianças subnutridas, mas também para as crianças cujas mães trabalham», confirmou a líder do projecto.

O projecto vai trabalhar também na mudança do hábito alimentar e da mentalidade das mães da cidade de Neves e de outras regiões de Lembá. A aposta nos produtos da terra vai sarar a desnutrição das crianças. «Também para ajudarmos as mães que dizem não terem alimentação para as suas crianças. Demonstrando que com banana, mandioca, matabala, peixe e outros produtos da terra pode-se fazer sopas para os bebés», frisou a irmã Lúcia Cândido.

O Governo são-tomense fez-se representar na cerimónia de inauguração do infantário, pelo Ministro da Educação, Cultura, Ciência e Comunicação Olinto Daio. O Governo aplaudiu porque considera a acção da irmã Lúcia como um exemplo a seguir. É o futuro do país que está a ser construído em Lembá.« Como são-tomenses devemos aprender com esse projecto que vem crescendo aqui em Lembá. Sobretudo    com a Irmã Lucia. Isso  deveria servir  de exemplo para nós, que muitas vezes pensamos que é preciso ter todos os recursos necessários, para começarmos a fazer as coisas», referiu o ministro Olinto Daio.

O embaixador de Portugal renovou o empenho do seu país em prosseguir a colaboração com o projecto integrado de Lembá. «É aí que está o futuro deste  país, e o futuro de todos os países está sempre na juventude. Podem contar com todo o apoio da embaixada de Portugal e do Governo de Portugal», precisou o diplomara português.

Projecto Integrado de Lembá desafia o presente da região, marcado pela pobreza, frustração e até mesmo desespero de homens e mulheres. Um desafio em que com mãos unidas se constrói um futuro de vida, de esperança e de confiança para os homens de amanhã da região norte de São Tomé.

Acompanhe as explicações da irmã Lúcia em registo audio :

Abel Veiga

    1 comentário

1 comentário

  1. verhaverdade

    15 de Novembro de 2017 as 14:26

    Registo este momento, com palavras da irmã Lúcia(«No distrito de Lembá temos muitos problemas de subnutrição, às vezes jovens de 14 a 15 anos já têm bebé. São mães alcoólatras com crianças subnutridas» )lamentando.

    Aguardarei assim que houver alguma ou algumas situações desta então gritarei que nem uma gritadeira(desordem,desarrumação)lamentando a nação que a trabalho para fazer,com humano dotado.

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo