Sociedade

Leigos para o Desenvolvimento lançam projecto Bairro Limpo

Palmeiras bem altas e frondosas, mas nas suas sombras descansam pequenos montes de antigas latas de conserva. Um terreiro onde as crianças brincam, mas onde é fácil tropeçar em embalagens de plástico.

Tem sido este o cenário do Bairro da Boa Morte, na cidade de São Tomé. Uma paisagem tropical e verdejante, mas onde o lixo faz tão parte como os coqueiros ou as mangueiras.

Com vista à resolução deste problema, os Leigos para o Desenvolvimento estão a promover uma campanha de crowdfunding com o objetivo de angariar 2.500€ para a aquisição de uma moto carrinha – uma mota com uma caixa – de modo a agilizar a recolha e transporte de lixo no Bairro da Boa Morte em S. Tomé e a tornar mais eficiente a gestão de resíduos.

O projeto Bairro Limpo está inserido no contexto de uma missão que os Leigos para o Desenvolvimento têm em S. Tomé e Príncipe e que tem como população-alvo a comunidade do Bairro da Boa-Morte, bairro periférico da cidade capital.

O que se pretende com este projeto é criar e implementar um modelo comunitário de recolha e deposição de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) no âmbito do Grupo Comunitário do Bairro da Boa Morte (um grupo que reúne as forças vivas do bairro, desde associações e grupos culturais, igrejas, agentes de educação e saúde, órgãos do poder local, etc.), para que o bairro fique mais saudável, com melhor imagem e assim atraia mais turistas e investimento. Saiba como apoiar este projeto em https://novobancocrowdfunding.ppl.pt/bairro-limpo

Sobre os Leigos para o Desenvolvimento

Os Leigos para o Desenvolvimento são uma ONGD católica, que trabalha há 32 anos em prol do desenvolvimento integral e integrado em países de expressão portuguesa. Atualmente conta com projetos em Angola, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe, atuando preferencialmente na área da Formação e Educação, da Dinamização e Organização Comunitária, Empreendedorismo e Empregabilidade, Capacitação de Agentes Locais, Promoção do Voluntariado e Pastoral. O trabalho no terreno é feito através de jovens voluntários que permanecem pelo período mínimo de um ano como facilitadores, privilegiando a relação, a parceria, o conhecimento local, a simplicidade de meios e a capacitação, sendo assim criada a possibilidade do autodesenvolvimento das comunidades. Beneficiam dos seus projetos cerca de 50.000 pessoas/ano e já partiram em missão mais de 400 voluntários.

Para mais informações, por favor, contacte:

Rita Fonseca – Responsável de Comunicação e Imagem

21 757 42 78 / 93 470 48 23

ritafonseca@leigos.org

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo