Sociedade

Transferência do Projecto “Âncora” da Comunidade de Porto Alegre

Numa fase em que os Leigos para o Desenvolvimento se preparam para dar por terminada a sua missão no território da antiga Roça de Porto Alegre, destaca-se a passagem do projeto âncora, que tem vindo a definir o modo de intervenção dos Leigos no terreno.

No passado dia 16 de dezembro foi assinado o acordo prévio de transferência do projeto do Grupo Comunitário de Porto Alegre, que assinala a etapa final de intervenção dos Leigos para o Desenvolvimento neste grupo comunitário.

O Grupo Comunitário de Porto Alegre funciona desde 2012 com a colaboração dos Leigos para o Desenvolvimento, e reúne plenariamente as entidades formais e informais com atuação nas comunidades de Porto Alegre, Vila Malanza, Ponta Baleia e Ilhéu das Rolas, procurando alcançar uma resposta aos diversos problemas e necessidades identificados pelas comunidades.

No seio deste fórum que reúne diversos interlocutores, surgiram diferentes projetos com base comunitária, na área da educação e negócios locais, assim como foram alcançados resultados que promovem um melhor bem-estar e viver destas comunidades no sector da energia e do abastecimento de água.

Volvidos nove anos desde a sua criação, o Grupo Comunitário de Porto Alegre é reconhecido como um interlocutor forte e importante em Porto Alegre e hoje é possível considerar que o grupo reúne as condições necessárias para continuar o seu trabalho e funcionamento sem a presença dos Leigos para o Desenvolvimento.

O acordo reafirma assim o compromisso das partes em dar seguimento ao processo de transferência do projeto com vista à autonomização do grupo comunitário e define os termos em que deve ser concluído o processo, sendo este compromisso assumido por uma Equipa de Coordenação, que atualmente é responsável pela dinamização do grupo.

No encontro comunitário para a assinatura deste acordo, realizado no Ilhéu das Rolas, juntaram-se pelo menos 25 entidades membros do grupo comunitário, nomeadamente as Creches de Vila Malanza e Porto Alegre, o Posto de Polícia e o Posto Militar, a Câmara Distrital de Caué, as empresas Agripalma, Valudo, Grupo Pestana Equador e Vanhã, as ONG’S Oikos, Mantinha do Retalho, Leigos para o Desenvolvimento e Programa Tatô, as diversas associações de moradores, e diferentes associações e grupos informais locais.

Neste encontro decorreram ainda diversas atividades que permitiram a criação de diferentes momentos de convívio e lazer entre os representantes das entidades locais assim como da comunidade em geral.

Foram várias as entidades que demonstraram o reconhecimento do trabalho realizado com a contribuição dos Leigos como promotor de desenvolvimento, assinalando também a necessidade de todos se envolverem nos assuntos comunitários e dando continuidade a este projeto após a saída dos Leigos para o Desenvolvimento.

Este grupo comunitário, mostrou-se assim motivado pelo desejo de trabalhar por uma comunidade mais desenvolvida conduzidos pelo lema que os define Uã Fita Bassola Ná Cá Balí Quinté Fá!

Fonte : Leigos para o Desenvolvimento 

3 Comments

3 Comments

  1. Sem+assunto

    1 de Janeiro de 2022 at 19:24

    Vão se embora do meus país.
    Bandidos, mercenários. Com a roupagem da ONG, vocês entram aqui sem serem convidados, ganham uma pipa de dinheiro e ainda viciam as nossas meninas e por vezes os nossos rapazes.
    Sóis persona non grata! Zarpam daqui.

  2. Lucas

    2 de Janeiro de 2022 at 8:54

    Estes já comeram…
    Venham os proximos
    Mas porque vem para africa?
    Nada os liga a estas terras
    Além dos vicios e maus custumes que aqui vem impor, quem os convidou a vir?
    Dizem que vem elevar socialmente e tirar da pobreza este povo
    Mas tendes na europa estas bolsas de pobreza e excluídos. Tratai primeiro da vossa casa
    Vão embora… já é tarde

  3. Lima

    3 de Janeiro de 2022 at 13:57

    Pois é , veem nao fazem praticamente nada, nada, para o que dizem ser o objetivo à saber o desenvolvimento do pais.
    Mesmo essa escrita lendo-a procura-se saber o que querem dizer nao se percebe nada.Uma escrita para afogar os peixes.
    Nao é por acaso sem querer insultar alguem, que vao la para as rocas onde ninguem lhes incomoda com perguntas e com exigencias.Parem de brincadeiras.Essa gente sao bichos danios que vao em quase todos os paises que qualificam de pobres ou com uma linguagem mais sofisticadas de pais em vias de desenvolvimento para ganharem as suas vida e qualificar os outros de coruptos enquanto sao eles os coruptores.
    Os coruptos devem ter vergonha enquanto que os coriputores nao.A mesma historia entre colonizados e colonizadores. Ça ne pas colonizados de serem responsaveis do crime e boa o contrario
    Ja la vao anos que as ONG existem em todos os dominios e nada de bom e de duravel foram feitos pelo mundo fora.Entrtanto eles recolhem informacoes nesses paises todo fazem livros,fazem filmes e servem os seus paises respetivos como agences.
    Por isso eles que parle de tratar toda gente de parvo.Quando nao se esta de acordo com eles,metem guerra etnica,metem guerra religiosa e deixam o pais em caos.
    Reflitam bem caros amigos,tudo o que brilha nao é ouro.
    Paremos de abrir as pernas ou virar as costas e abaixar.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top