Sociedade

Barricadas e pneus a arder na Cidade de Neves

A revolta popular não pára de crescer na ilha de São Tomé. São várias as razões da revolta crescente, mas a falta de energia eléctrica está a atiçar as manifestações violentas nas ruas.

Esta terça – feira a Cidade de Neves no norte da ilha de São Tomé, ficou isolada do resto do país. Após 3 dias consecutivos sem energia eléctrica, a população da cidade revoltou-se. Ergueu barricadas em três pontos da cidade, e cortou assim a via de comunicação com outras regiões do norte da ilha, assim como para a cidade de São Tomé.

Pneus foram incendiados na via pública, e o povo gritava palavras de ordem contra o desgoverno nacional.

Uma situação de bloqueio que teve consequências graves. A imagem da ambulância bloqueada na estrada, demonstra que a situação é muito complicada. Relatos de testemunhas, indicam que uma mulher que reside na Vila de Santa Catarina, mais ao norte, estava em serviço de parto. Foi atendida no hospital da Cidade de Neves.

Mas, o pessoal clínico do hospital orientou que a mulher fosse encaminhada de urgência para o hospital Central na capital São Tomé, tendo em conta que se tratava de um parto de risco.

A ambulância não conseguiu ultrapassar as barricadas. Segundo testemunhas a mulher em serviço de parto teve que descer da ambulância, saltar a barricada, e assim apanhar outro transporte mais abaixo, que a conduzisse ao hospital central, localizado há 27 quilómetros da cidade de Neves.

A cidade de Neves alberga o centro de stocagem de combustíveis da empresa ENCO, que abatesse todo o país. É também emissora de produtos alimentares, principalmente o peixe, e bebidas como a cerveja Rosema, para a cidade capital e o resto da ilha de São Tomé. Toda a actividade comercial entre a cidade de Neves e a capital São Tomé, ficou bloqueada durante todo o dia desta terça – feira.

O povo continuou na rua até o final do dia e as barricadas também, assegurou para o Téla Nón uma das testemunhas no local. «Mandaram energia esta tarde, mas a população continua a manifestar-se», precisou uma das testemunhas.

A revolta popular face a degradação das condições económicas e sociais na ilha de São Tomé, está cada vez mais violenta, e fora do controlo das forças de segurança e da ordem pública.

Abel Veiga

 

 

 

 

    12 comentários

12 comentários

  1. Pedro Costa

    27 de Novembro de 2018 as 20:28

    O país bateu no fundo.
    Perdemos totalmente a nossa identidade como povo, nada funciona, anarquia total, um problema energético que se arrasta há décadas, etc,etc.
    Enfim.

  2. Amar o o que é nosso

    27 de Novembro de 2018 as 21:15

    Diretor da Emae deve explicações… É o mínimo. Esse grande arrogante é o culpado disso tudo. Gestor de uma figa!!!! Vamos levar para casa dele toda comida podre que estragou geleira por falta de luz

  3. MadreDeus.igreja

    27 de Novembro de 2018 as 22:09

    O que Miguel Trovoada e seu filho, junto com alguns capangas + ADl, trouxe para São Tomé

    Aonde anda mesmo o defensor do povo pequeno mesmo? Ladrões

  4. Maria Silva

    28 de Novembro de 2018 as 1:59

    Uma ilha em ruínas, definitivamente estamos num estado falhado!!
    Degradação total…

  5. WXYZ

    28 de Novembro de 2018 as 2:39

    O que fazer agora? Cercar e pressionar os medicos cirurgicos que estao salvando os doentes? Ir por ali nao da. Porque correriamos o risco de aniquilar os doentes e nos colocarmos numa situacao pior. Ee muito inprescendivel a colaboracao de toda gente neste momento de forma a pormos esses doentes sao e salvos para que possamos ter uma quadra festiva que se avizinha um pouco mais arrejada. Pede se a todos os agentes politicos: o governo cessante, o bloco de oposicao, as ONGs, quem nao quer largar poder, quem esta com fome de poder, etc… Que participem numa campanha de esclarecimento as populacoes. Todos sabemos que nao se pode fazer omoletes sem ovo. Invadir a EMAE neste momento nao vale a pena. Portanto temos que pugnar por bom senso, deixar trabalhar os tecnicos, ate se possivel dar lhes todo apoio e continuar a rezar para termos pelo menos noventa por cento daquilo que tinhamos ha um ano atras.

  6. Matrusso

    28 de Novembro de 2018 as 4:23

    Então!
    Mas se os seus superiores não tiveram responsabilidade alguma como ele havia de assumir?
    Quem orientou retardar manutensões fugiu, nada comunicou, apenas tentou acusar funcionários q não conseguem fugir das ilhas.

    Agora tirem vossa conclusão.
    Quem mentiu?

    Não faltou alertas de q tipo do Dubai o pintacabras almejou p/ stp. E conseguiu…

  7. helmer dias

    28 de Novembro de 2018 as 6:36

    BOM DIA .

    A situação calamitosa que se encontra o país tem que parar, sou de opinião que o povo tem razão, mas não é com violência e colocar vida em risco, que se resolve as coisas. Podemos manifestar sim ordeiramente, não anarquicamente. Os responsáveis tanto governativo ou gestores, tem que falar para o povo dizer que o país, tem pessoas capazes de dar a cara e dizer que as coisas vão funcionar para bem de todos nós. Estamos com problema sim e grave mas temos um Presidente da República e garante da autoridade nacional. Ele que fale ao país e ponha ordem no país, já que o governo está ausente na parte incerta. O povo tem razão e tem todo direito de manifestar mas São Tomé e Príncipe não é um país de violência nem nós são-tomenses somos violentos. Bom senso deve imperar e os problemas tem que haver solução.

  8. apavorado

    28 de Novembro de 2018 as 7:03

    Sr Madredeus.igreja pessoa já identificada, o problema de energia em São Tomé, nuca foi da família Trovoada e nem é da família Trovoada. Uma grangeia da população afirmou que a energia não é nada e não se come a energia , agora estão a manifestar convenhamos. É preciso ser santomense para que essas situações se acontecem, fui !!!!!

    • MadreDeus.igreja

      28 de Novembro de 2018 as 17:33

      Você está apavorado. Não sou lambe botas dos Trovoadas.
      Perdeu, estás apavorado, porquê o Patrice, fugiu de são Tomé e príncipe?
      Durante a nossa democracia, nunca antes tinha acontecido. Será do medo, fez algum mal?
      Você comeu juntos o ele, não conseguiu fugir? Então, vais pagar perante a justiça.

      4 anos, foram quantos geradores comprados? Sabes quantos milhões gastamos e estamos na merda?
      Quantos milhões, foram para o bolso do seu dono.
      Tas apavorado, mantém a calma, que serás chamado a explicar, nem que fosse como defensor do ladrão

  9. mezedo

    28 de Novembro de 2018 as 10:42

    o Apavorado devia sim ter vergonha na cara.
    o Problema não esta em Família Trovoada ter a ver ou não com problemas de Energia, mas tem a ver com o Patrício Trovoada assumir a responsabilidade por todo que esta a acontecer tendo em conta que ele levou a esta situação.

    A onde se encontra esse individuo agora? Logico foda do País porque nunca sentiu-se como Santomense.

    o Porque que não orientou a manutenção dos geradores a tempo? Se preocupou mais em levar cabos a varias comunidades, com intenção eleitoralistas.

    A população de Lembá também razão de agir, afinal a Barragem de Contador fica em Lembá, e Neves sofre de energia mais que qualquer zona do País. agora pergunto Porquê tem que sofrer mais que outras zonas?
    De onde sai combustível para alimentar a Central de Santo Amaro e Central da Capital?

    Agora sim vamos ver quem vai sofrer mais.

    Falta população ir a Central de Contador e cortar toda Energia que vai para Zona Baixa, ai sim nem Casa do PR vai ter ENERGIA PARA ELE SABER QUE PAÍS É DE TODOS NÓS.

  10. SEABRA

    28 de Novembro de 2018 as 12:24

    Se tivermos problemas e se contarmos com a classe politica para lhe resolver no nosso lugar, nesse caso teremos dois problemas.
    ” NUNCA PODEMOS RESOLVER OS PROBLEMAS COM AQUELES QUE O CRIARAM” A. EINSTEIN
    Deixaram o apis ,STP, de rastos, na BARAFUNDA, o cofre do Estado em falhanço, criaram e abandonaram os problemas ao povo, deixaram o pais num CAOS terrivel, no ABISMO…., mas o povo é valente e vai sair – se bem, temos confiança.
    Quanto ao Patrice TROVOADA,pelas informaçoes que jà conhecemos, hà muito dos seus camaradas de ideologia ou simplesmente de SIMPATIA, que também começam a recolher informaçoes sobre ele e a publicar. Um tal Bandeira declarou e/ publicou sobre o PT, sobre o que todo STP jà sabia. Seguem a seguir :
    – Invasao da Asssembleia Nacional pelas tropas ruandesas,
    -invençao de três golpes de Estado, ditas “golpes e golpadas de milhoes”. ultimamente armadilhou os espanhois que propôs de virem trabalhar em STP, ora que foi um “guet-epans”.
    -P.T.é un bandido, faz contrabando de barcos, de drogas (desde de Pantin (93),é um dsepravado notorio, é um cretino, CORRUPTO.
    – desfez documentos, destruiu computadores etc, etc…
    PT sempre se rodeou de deliquentes de todo o género, como ele, temos como exemplo:
    o deputado devasso, no tarado sexual um CASSANDRA (como por acaso), que se masturba em pùblico e faz a propaganda da sua indecência nas redes sociais, é violento, bate nas professoras, com bofetadas etc, enquanto o PT e capangas estavam a delipidar os bens sao-tomenses.
    Eis o exemplo dos responsàveis politicos de STP.

  11. Gil

    28 de Novembro de 2018 as 21:27

    Pior forma de terminar um mandato. Desleixar de algo mais imprescindível para o desenvolvimento de um país.
    E o PR não toca nem dança quanto a criação de um novo governo para colocar as coisas no carris.

    Esta onde de impunidade não pode continuar, deve haver responsável/s pela situação em que se encontra a EMAE, e estes devem ser responsabilizados para que sirva de exemplo. Caso contrário todos que lá irão, verão a EMAE como a galinha dos ovos de ouro, enrequecem e vão se embora.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo