Sociedade

MP faz buscas e apreensões sobre a EMAE e investiga os 60 mil dólares da ANP

Numa nota que fez chegar ao Téla Nón, a Procuradoria Geral da República de São Tomé e Príncipe, diz que « no âmbito do inquérito crime a correr termos na Direcção de Investigação e Acção Penal com o número 206/2018 na Procuradoria de São Tomé, e em cuja investigação o ministério público coadjuvado pela Polícia Judiciária e a Polícia Nacional realizaram um conjunto de buscas e apreensões em diversos locais públicos e privados».

O ministério Público, prossegue, dizendo que em causa estão factos relacionados com a crise energética da empresa EMAE, « e que são abstractamente susceptíveis de integrarem a prática de crimes de gestão danosa, peculato, corrupção activa e passiva, bem como o crime de abuso de poder».

Refere ainda que no decurso das buscas foram apreendidos diversos documentos bem como equipamentos informáticos.

Por outro lado, a nota da procuradoria geral da república, informa que no âmbito da notícia veiculada pela comunicação social, que dá conta do pagamento de avultados valores alegadamente de forma indevida pela Agência Nacional de Petróleo, « foi ordenada a abertura de um inquérito crime com o número 262/2018 que já corre os seus termos na primeira secção da Direcção de Investigação e Acção Penal da Procuradoria de São Tomé».

Abel Veiga

    13 comentários

13 comentários

  1. Pedro Costa

    20 de Dezembro de 2018 as 6:28

    O país está a saque.
    Há gentes com patrimónios difíceis de justificar com o poder de compra neste país.
    E o povo vai-se contentando com o mínimo possível

  2. Patriota

    20 de Dezembro de 2018 as 6:43

    Essa instituição nunca descobre nada sempre vai atrás dos rastos. Kekauaaaa

  3. sol

    20 de Dezembro de 2018 as 8:09

    Aqui no Príncipe também. O ex Delegado que chegou à Ilha e protegido do Tó Zé é um bom ladrão. Basta investigar as compra que efetuou para EMAE cá no Príncipe. Contrabando de gasóleo com a Mota-Engil. Resultou compra ou doação de uma carinha e outros materiais sacados da empresa cá no Príncipe.-

  4. JOAO CARLOS

    20 de Dezembro de 2018 as 8:27

    Só espero que não seja tão somente para fazer o “inglês ver”….

  5. Crisotemos Café

    20 de Dezembro de 2018 as 9:13

    Acho que a PRG, se precipitou. Façam uma auditoria ou inquerito, para averiguar as coisas, impliquem instituições especializadas como o Tribunal de contas para auditar as contas, e não agem por emossões. Isto não nos credibilizam.

    O Ministério Público que esteve ao serviço do PT e adormecido durante os ultimos 4 anos, agora quer demonstrar serviço ao novo inquilino da casa.

    Triste espectaculoso esta vossa actuação. Afinal, o que estão a busca na EMAE?

  6. Metido a Besta

    20 de Dezembro de 2018 as 10:33

    Custa acreditar que um partido , deputados e governo que unilateralmente levou adiante uma reforma de justica a trabalhada não conseguem distinguir legalidade da ilegalidade.

    Como pode um membro de executivo em função exercer paralelamente ato de advocacia representado o Estado num contrato exclusivo auferindo pagamento extra quando o mesmo já recebe salário como ministro ou membro de executivo?

    Porque nao foi chamado o poder Judicial e Ministério público a darem parecer.

    ANP poderia ate abrir um concurso publico para a contratacao de servico juridico capaz de o representar.

    Vergonha saber que o país vinha sendo governado por pessoas sem escrúpulos nem respeito pela lei e a CR.

    Com todo o respeito mais so vejo tolos

  7. Amar o o que é nosso

    20 de Dezembro de 2018 as 12:20

    Alguém tem de ir para cadeia. Não é possível que até dias de hoje não se consiga prender nenhum desses de colarinho.roubam, saqueam, inventam, enganam e ainda por cima gozam dos coitados

  8. Paulo Jorge dos Reis

    20 de Dezembro de 2018 as 13:43

    Não acredito que os gestores da EMAE sobretudo e mais gestores públicos como os da ENAPORT,…… tenham sido únicos culpados dos seus actos. O problema, foram os politicos que os conduziram a determinadas praticas. É certo que os mesmos deviam ter outra posturas, demitirem-se ou então os contrariarem, sob pena de serem demitidos. è assim que deve ser.

  9. Nuno Menezes

    20 de Dezembro de 2018 as 14:13

    Sao essas falhas e outras mais que a inflacao sobe no pais e depos temos que abaixar ate 5,4%

    Nuno Menezes
    Lincoln,Reino Unido

  10. MadreDeus.igreja

    20 de Dezembro de 2018 as 14:16

    Esperemos que não fique por aqui. Se mexer nesta bosta, muitos vão para trás das grades. Desde o acordo assinado até então, terá o estado que fazer outra cadeia.
    Kuê monti mútu

    Se o procurador mexer muito bem nisto, teremos a resposta sobre a morte de:

    Jorge Santos

  11. Lupuye

    20 de Dezembro de 2018 as 15:37

    Ate aqui ainda nao vi um politico santomense que tivese parado atras das grades. Sera que vai haver uma mudanca ou so e bla, bla, bla? A cadeia nao foi feita so para o Ze-Povinho. Os politicos, servidores do povo, tambem podem la passar algum tempo por mas decisoes. Eles roubam e ficam impunes, vao e voltam e continuam a fazer das suas. Precisamos mandar uma mensagem bem forte aos politicos que eles nao estao la so para se enriquecerem. Estao la para trabalhar para o povo, para nos servir e nada mais. Pena!!!!

  12. Amar o o que é nosso

    20 de Dezembro de 2018 as 16:44

    Pois é até agora ninguém sabe nada sobre o assassinato do senhor Jorge Santos. Pk??!!!!!!

  13. Paulo Jorge dos Reis

    24 de Dezembro de 2018 as 8:19

    Por isso mesmo que Patrice tinha que zarpar a correr. Muita CAGADA.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo