Sociedade

Países implementam novo mecanismo para redução dos gases de efeito de estufa

Até agora 65 países ratificaram a Emenda Kigali; alteração no protocolo de Montreal estabelece meta mais ambiciosa; com apoio total, 0,4 ° C de aquecimento global pode ser evitado até o final deste século.

O mundo deu um passo importante no caminho para reduzir drasticamente a produção e o consumo de gases de efeito estufa conhecidos como hidrofluorcarbonos, HFCs, e limitar o aquecimento global.

No primeiro dia de janeiro entrou em vigor a Emenda Kigali ao Protocolo de Montreal sobre Substâncias que Destroem a Camada de Ozônio, que reduzirá a produção e o consumo de HFCs em mais de 80% nos próximos 30 anos.

Emenda Kigali evitará até 0,4 ° C de aquecimento global neste século. Foto: OMM/Gonzalo Javier Bertolotto Quintana

Gases de Efeito Estufa

Se totalmente apoiada pelos governos, o setor privado e os cidadãos, além de continuar protegendo a camada de ozônio, a Emenda Kigali evitará até 0,4 ° C de aquecimento global neste século e contribuirá para os objetivos do Acordo de Paris.

Os HFCs são compostos orgânicos frequentemente usados ​​em refrigerantes, em aparelhos de ar condicionado e outros dispositivos como alternativa às substâncias destruidoras de ozônio e que são consideradas pelo Protocolo de Montreal.

Embora os HFCs não desgastem a camada de ozônio, eles são gases de efeito estufa extremamente potentes que contribuem para o aquecimento global. Muitas vezes têm um efeito mais negativo do que o dióxido de carbono.

Emenda Kigali

A emenda prevê a capacitação de países em desenvolvimento, o fortalecimento institucional e o desenvolvimento de estratégias nacionais para reduzir os HFCs e substituí-los por substâncias alternativas.

Segundo a Agência da ONU para o Meio Ambiente, Pnuma, a implementação de novas metas estabelecidas na emenda será feita em três fases. Primeiro com um grupo de países desenvolvidos que iniciará a redução gradual de HFCs.

Em seguida, os países em desenvolvimento congelarão os seus níveis de consumo de HFCs até 2024. Medida que será implementada por todos os outros países até 2028.

Em setembro de 2018, era este o aspecto do buraco na camada de ozônio. Foto: NASA

Camada de ozônio

Ratificada por 65 países até ao momento, a Emenda Kigali se baseia no legado histórico do Protocolo de Montreal, acordado em 1987. O protocolo e suas emendas, ratificadas por 197 nações, exigem a eliminação progressiva da produção e do consumo de substâncias que danificam a camada de ozônio.

O amplo apoio e implementação do Protocolo de Montreal levou à eliminação de mais de 99% dos quase 100 produtos químicos que empobrecem a camada de ozônio e contribuiu significativamente para atenuar as mudanças climáticas.

Segundo dados da ONU, no Hemisfério Norte a camada de ozônio deve ser recuperada completamente na década de 2030, seguido pelo Hemisfério Sul nas décadas de 2050 e as regiões polares em 2060.

Inscreva-se aqui para receber notícias da ONU News por email

    2 comentários

2 comentários

  1. Agulha sombra

    8 de Janeiro de 2019 as 17:29

    O tela non deveria se preocupar em englobar esta notícia ao caso de São Tomé um país onde a intervenção das mafias do governantes e dos novos potentes só destrói o ambiente.
    Transformaram o país numa verdadeira possilga, uma porcaria única no centro da cidade, o povo constrói e vende onde quer, acabaram com as praias mais lindas do do país.
    Em São Tomé as mafias e o nepotismo ultrapassaram as ideologias partidária e estão a destruir a natureza e o país.
    A mafia dos votos: deixou o povo viver como lhe apetece desde que lhes dê votos ou permissão para roubar! O povo transformou-se em boçales, anárquicos por uma falsa sensação de liberdade!
    A mafia da construção: deixou que cada um construísse onde lhe apetece até mesmo destruindo o património arquitectónico que poderia ser utilizado para atrair os tão desejados e matratados turistas!
    A mafia dos terrenos: assambarcou e destruiu as mais lindas praias, destruiu jardins, enfim continua sem pudor a assambarcar toda a natureza.
    A mafia dos medicamentos: os medicamentos supostamente vendidos pelo estado que deixou as farmácias as moscas excepto aquelas pertences aos directores de turno… não consegui encontrar um adesivo nas farmácias do centro.
    A mafia do imobiliário: assambarcou imóveis aos seus donos com a ajuda de falsos e corruptos juizes para deixar as lojas do centro fechadas. Na verdade os seus novos donos, os políticos de São Tomé, nunca terão capacidade de gerir seja o que for.
    E muitas outras mafias…
    Uma vergonha com a conivência de todos os partidos, dos ladroes unidos… que pena São Tomé…

  2. Ralph

    9 de Janeiro de 2019 as 1:16

    O Protocolo de Montreal é um exemplo ótimo de todos os países do mundo agirem juntos para tentar prevenir um acontecimento desastroso. Até poluidores grandes, como a China e os EUA, conseguiram chegar a um acordo. Isto mostra que deveria ser possível todos os países juntarem-se para concordar numa maneira para agir contra as mudanças climáticas. Porém, algo mau parece ter acontecido desde então para que nós estejamos numa situação em que não parece haver muita probabilidade de se chegar a um acordo para reduzir o uso de combustíveis fôsseis. É como se nos tivessemos esquecido de como trabalhar juntos, favorecendo lutas políticas e ideológicas em vez de cooperar para atingir objetivos que são importantes para todo o mundo. Que pena.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo