Sociedade

Protocolo Cobra – Desvendar a biodiversidade desconhecida do Príncipe

[Santo António, ilha do Príncipe, 11 a 19 de Agosto 2019]
O doutorando Rui Carvalho promove, na ilha do Príncipe, uma formação acerca da utilização do protocolo COBRA na inventariação e monitorização da biodiversidade de aranhas desta ilha.

Destinada ao staff do Parque Natural do Príncipe, da Fundação Príncipe e da Associação de Guias Turísticos, esta formação aposta na capacitação dos agentes locais para a realização de amostragens estandardizadas e eficientes que permitam gerar informação precisa e fiável sobre a composição faunística local, e perceber os factores que nela actuam.

Dado a grau de desconhecimento da fauna aracnológica do Príncipe, estima-se que 80% das espécies a encontrar sejam novidades. Esta formação permite assim um contributo relevante para o desenvolvimento do conhecimento destes invertebrados na ilha.

A visita permitirá igualmente a partilha de conhecimentos sobre o tópico central do seu doutoramento:: a avaliação dos impactos causados pelas actividades recreativas nas florestas nativas. As metodologias criadas para ecossistemas nativos macaronésicos têm como objetivo a monitorização a longo prazo de alterações espaciais e temporais da vegetação e infra estruturas de trilhos em zonas sensíveis.

No Príncipe, o interesse turístico por áreas de grande valor natural gera preocupações de conservação, pelo que o grupo de trabalho irá estudar a possibilidade de adaptação da metodologia à realidade da ilha, com o apoio de especialistas em flora.

Esta acção está integrada no projeto Lendas & Biodiversidade – ilha do Príncipe, LBiP, que participa na Bienal Floripesfera – I Bienal Cultural Transatlântica. Numa parceria com a Fundação Príncipe, esta iniciativa multidisciplinar interliga biodiversidade local e tradição oral, através do desenvolvimento de ações científicas e artísticas. Destinadas aos vários públicos da ilha, tem por objetivo fomentar a criatividade em torno dos recursos locais e, sobretudo, capacitar os participantes nas diversas competências abordadas.

De 11 a 19 de Agosto, a equipa LBiP cumpre a fase II de um projeto desenhado em cinco etapas e que se prevê decorrer até junho de 2020.

Lendas & Biodiversidade – ilha do Príncipe é um projecto da responsabilidade dos biólogos Andreia Albernaz Valente, Joana Botelho Gusmão e Rui Miguel Carvalho. Sob a coordenação científica de Maria do Céu Madureira (Centre for Functional Ecology – Science for People & the Planet – Universidade de Coimbra) está a ser desenvolvido em parceria com a Fundação Príncipe, com a participação do ilustrador Pedro Mendes, da Elytrum – Ciência em jogo, a AEPP MINU YIÉ- Associação de Estudantes do Príncipe em Portugal, entre outras entidades.

Fonte – Lendas & Biodiversidade – ilha do Príncipe

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo