Sociedade

População de Micoló frustrou uma operação de contrabando nas águas nacionais

Comunidade piscatória, Micoló, tem sido aguerrida no combate aos contrabandistas. Desde a década de 90 que a população de Micoló, não permite que os contrabandistas de areia, destruam as praias da localidade. Nem mesmo os contrabandistas mandatados pelo Governo, como aconteceu no ano 2018, conseguiram extrair areia nas praias de Micoló.

Esta segunda – feira, a população atenta aos movimentos de embarcações na zona costeira detectou mais um acto de contrabando, desta vez no mar. Embarcações de origem duvidosa, descarregaram grande quantidade de mercadorias na praia.

A população de Micoló, interpelou e apreendeu três carrinhas com mercadorias diversas, e de origem duvidosa.

Segundo relatos da imprensa santomense, a população de Micoló, chegou a ser alvo de uma tentativa de suborno por parte dos contrabandistas de alto mar. Os contrabandistas terão sido iludidos com a ideia muito ventilada segundo a qual, com dinheiro compra-se tudo e todos em São Tomé e Príncipe.

A população humilde de Micoló, deu provas aos contrabandistas de que estavam equivocados. Eles, os cidadãos humildes não se vendem, nem vendem a sua dignidade, o seu nacionalismo e a sua pátria, por dinheiro nenhum.

Mais tarde as autoridades policiais tomaram conta do assunto. Pelo menos três pessoas alegadamente envolvidas na operação de contrabando foram detidas. A polícia judiciária está a investigar o caso.

Abel Veiga

    14 comentários

14 comentários

  1. Bem de S.Tomé e Príncipe

    10 de Agosto de 2020 as 22:56

    Uma investigação verdadeiramente imparcial vai arrastar muita gente, e que gente! Existem certos indivíduos, ditos comerciantes, ostentando riquezas e que fogem fisco,ou, sempre declaram prejuízo.

  2. SANTOMÉ CU PLIXIMPE

    11 de Agosto de 2020 as 7:19

    Aonde anda os americanos com os seus satélites a vigiar o nosso território, nação que não serve para nada….

    • Como será

      11 de Agosto de 2020 as 10:38

      Meu caro ate quando os americanos devem vigiar as nossas costas; ja é tempo do governo formar tropas e adquirir os meios para nos mesmos controlar as nossas praias. O problema é que temos uma governação que so querem depender dos outros. Isto tem que acabar.E nós como cidadãos deste pais temos que mudar a mentalidade de que tudo alguem deve nos dar.

  3. Maria Desejada

    11 de Agosto de 2020 as 7:57

    Parabéns a população de Micoló
    No entanto, o Deputado de Lobata o senhor Jerónimo, que tem a loja de Papagaio continua a extrair de forma ilegal areia em Micoló as toneladas todos os dias a barba da população de Micoló e estes não dizem nada. Mais uma vereadora da Camara de Micoló associou também ao tal senhor Jerónimo e está a extrair areia em Micoló e ninguém diz nada. Este é um negócio lucrativo, onde os camaradas exploram um recurso natural do país e de uma comunidade sem pagar nada, destruindo a natureza e o ambiente na barba dos Ministros, do Governo, da Camara e da dita população de Micoló e ninguém diz nada. Neste caso o dinheiro tem estado a falar muito mais alto.
    Peço a todos que visitem o terreno onde o senhor Jerónimo e a sua comparsa camarada vereadora da Camara de Lobata estão a tirar a areia, para verem o grau de destruição que estão a causar a aquela comunidade.
    Não pode haver dois pesos e duas medidas
    População de Micoló deve ter os olhos abertos para todas as besteiras que estão a praticar na vossa zona e todas outras que queiram vir a praticar
    Força a todos
    MD

  4. pais real

    11 de Agosto de 2020 as 8:17

    Ó Abel que a população tenha abortado a tal operação de contrabando até concordo mas relativamente a roubo de areia continua a haver…. toda gente sabe que o Gerónimo da loja papagaio vem retirando para vender grandes quantidades de areia em Micolo com autorização deste Governo.Muita gente do partido ganha com isso, Por isso é que não fazem nada. Daí que algums anos depois vao dizer que há um problema ambiental naquela zona e que têm que inventar mais um projecto com muito dinheiro para reparar os danos. Vamos deixar de hipocrisia….

    • Joni de cá

      11 de Agosto de 2020 as 12:23

      Em relação à areia, Stp está a perder o encanto turístico, é que os turistas não veem ver praias de pedra.

      Mas os governantes teimam em manter a extração criminosa acabando com as praias, depois vão querer desenvolvimento do turismo, irónico!!!

      • Manuel do Rosario

        11 de Agosto de 2020 as 20:04

        Não se está a extrair arreia da praia propriamente dita. Entretanto este é um recurso que também deveria ser explorado pelo estado baseando-se de planos da recuperação da parte eplorada. Deste jeito o estado angariava meios para ajudar colmatar o défice financeiro que tem.

    • wxyz

      11 de Agosto de 2020 as 12:28

      E esse Sr.Gerónimo da loja papagaio que vem ja desde inicio dessa legislatura retirando areia a torta e a direita para uma obra que nao se entende ali depois de Gongaa, o gajo é grande amigo do Sr. JBJ. Esse mesmo primeiro ministro que empunhou a sua bandeira No. 1 de combate a corrupcao é que anda por ai a conviver com essas maldades todas. Assim como o caso do roubo de materiais hospilares no ambito da pandemia foi abafado assim tambem ficara abafado este caso. Sincerramente. Se aquela populacao soubesse, ela teria aberto e confiscado toda essa mercadoria para distribuir a toda gente de la. FICA UM ALERTA PELA PROXIMA.

  5. Fuba cu bixo

    11 de Agosto de 2020 as 11:10

    E agora até agora isto esta camuflado porque ninguém pronuncia para dar uma explicação ja se podia saber o que esta dentro das caixas deve ter pessoas do topo no estado nisto.
    Aqui exigia-se um jornalismo de investigação o jornal do estado recebeu equipamentos e jeep para que? É só para estar atrás do governo para propaganda? Eles deveriam ir a busca da informação e dar a conhecer e informar sobre isso.
    S.Tomé esta venerável não estamos seguros e não temos quem realmente nos protege.

  6. Armindo Genero

    11 de Agosto de 2020 as 13:55

    Junto-me às demais vozes que já se manifestaram sobre este assunto, para dar os meus parabéns à População residente em Micoló. Que Deus continue a abeçoar-vos ricamente.

  7. SANTOMÉ CU PLIXIMPE

    11 de Agosto de 2020 as 14:09

    Só em STP,, se fosse num país sério a esta hora toda a população já deveria saber a verdade,,e todo conteúdo existente nessa malandragem.

  8. António cunha dos santos

    11 de Agosto de 2020 as 14:29

    Meus senhores são cigarros e algumas cuecas velhas. É preciso agora que a população de Diogo Nunes trava o senhor dito Deputado Geronimo do MLSTP, de tirar areia e estragar a praia de Diogo Nunes, areia esta que se encontra a venda na zona de Gonga, num terreno agricola que o mesmo assaltou, porque não dispõe de titulo de posse, e nem desenvolve actividade agricola séria. Este individuo fez somente um zôplo para não lhe incomodarem.
    Cosas de camaradas.

  9. Idilson

    12 de Agosto de 2020 as 5:50

    Meu senhor faça o jornalismo como uma certa responsabilidade, o que vem na sua informação todos nós já sabemos o que é mesmo muito importante com essa sua informação ficou um vazio muito grande, queremos saber que tipo de contrabando, obrigado.

  10. Ralph

    12 de Agosto de 2020 as 5:54

    Isto demonstra o valor de uma comunidade ser atenta ao que se passa no seu redor. Resta apenas a polícia fazer o seu trabalho, destruir os bens e mandar os detidos à prisão. A afirmação do autor do artigo sobre o facto de a comunidade não se vende apenas levará a algo se a mesma provar ser correta em relação à polícia e ao sistema jurídico. Se as autoridades estão inclinadas a aceitar subornos, não vale muito uma comunidade manter-se atenta aos criminosos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo