Sociedade

OIT financia assistência social aos idosos de STP

Para conter os impactos da Covid-19, sobre as populações mais desfavoráveis, a Organização Internacional do Trabalho decidiu realocar parte de fundos do sistema das Nações Unidas, para proteger os idosos de São Tomé e Príncipe.

Pelo menos 541 idosos vão beneficiar de protecção social contínua nos próximos meses. A parceria entre a OIT e o Ministério do Trabalho e Solidariedade de São Tomé e Príncipe, permitiu a reprogramação de uma parte dos fundos do projecto de protecção social do sistema das Nações Unidas.

«A OIT que é uma das agências das Nações Unidas, que faz parte deste projecto, e decidiu reprogramar, uma parte dos fundos deste projecto para atender a necessidade do ministério do Trabalho e Solidariedade», explicou Lurdes Santos, representante da OIT.

Com os fundos disponíveis a OIT decidiu pela abertura de um concurso público para seleccionar uma instituição capaz de executar o projecto de assistência social aos idosos do país. A Santa Casa da Misericórdia de São Tomé e Príncipe foi seleccionada para executar o projecto.

Acácio Elba Bonfim em representação da Santa Casa da Misericórdia assinou com o Ministério do Trabalho e Solidariedade, o acordo, que permite a execução de apoio social aos 541 idosos.

«O projecto vai beneficiar 541 pessoas. Mas sabemos que há mais necessitados. Apesar de não atingirmos todos os necessitados, vamos atingir aqueles que mais necessitam. Vamos trabalhar com várias entidades a nível de todos os distritos, incluindo a ilha do Príncipe», precisou o representante da Santa Casa da Misericórdia de São Tomé e Príncipe.

O Ministro do Trabalho e Solidariedade, Adlander Matos, agradeceu ao Director Regional da OIT, pelo apoio que é concedido aos idosos do país. Por videoconferência o Director Regional da OIT, assistiu a cerimónia de assinatura do acordo.

«Esta colaboração da OIT irá necessariamente ajudar um número considerável de idosos durante 2 a 3 meses», pontuou o ministro Adlander Matos.

Segundo a Santa Casa da Misericórdia de São Tomé e Príncipe, os idosos correspondem a 5% da população do país, estimada em cerca de 200 mil pessoas.

Abel Veiga

    1 comentário

1 comentário

  1. SANTOMÉ CU PLIXIMPE

    21 de Agosto de 2020 as 16:28

    NÃO LIGA NADA,, ESSE CAMINHO NOS AGUARDA, MUITOS ESQUECEM..

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo