Sociedade

“Teremos saudades de um homem íntegro … e acima de tudo honesto”

Este extracto da mensagem dos funcionários do Tribunal de Contas, na cerimónia de homenagem ao malogrado Juiz Conselheiro e  Presidente do Tribunal de Contas, Bernardino Araújo, reflecte o caracter e a personalidade do homem que a administração pública santomense perdeu. Carácter e personalidade raros no mundo de hoje.

«Teremos saudades de um homem íntegro e acima de tudo honesto. Teremos saudades da correcção quando falhávamos. Mas, principalmente da ajuda que recebíamos para corrigir a falha», refere a mensagem dos funcionários do Tribunal de Contas lida por um dos quadros da instituição.

Antes de ser sepultado no dia 11 de Novembro, no cemitério do Alto São João, na cidade de São Tomé, o corpo do Juiz Conselheiro Bernardino Araújo, foi velado nas instalações do Tribunal de Contas. O funeral de Estado foi antecedido de uma missa na Sé Catedral, no centro da cidade de São Tomé.

O Juiz Conselheiro considerado como íntegro e honesto, não conseguiu implementar uma das suas prioridades no mandato como Presidente do Tribunal de Contas. «A retoma dos julgamentos de responsabilidade financeira», destacou um dos quadros do Tribunal de Contas que interveio na cerimónia de homenagem.

O percurso que pretendia libertar as contas do Estado santomense das constantes ameaças da corrupção financeira, foi assim interrompido.

«Se quisermos almejar o estatuto de instituição de excelência que lidera pelo exemplo, não podemos esquecer Bernardino Araújo», pontuou o Juiz Conselheiro José António Monte Cristo.

O Juiz Monte Cristo, que antecedeu a Bernardino Araújo na presidência do Tribunal de Contas, revelou mais um carácter do falecido, que representa exemplo para toda administração pública santomense. «Desde sempre o primeiro funcionário a chegar ao serviço todas as manhãs. Os seus ideais servir-nos-ão de guia e de orientação».

O Juiz Monte Cristo, acompanhou o malogrado Presidente do Tribunal de Contas, na missão de trabalho à Região Autónoma do Príncipe. Missão de trabalho durante a qual, o Juiz Presidente Bernardino, teve um Acidente Vascular Cerebral.

«Foi uma missão bivalente para realizar um seminário direccionado para toda administração pública regional e auditar os organismos daquela estrutura…», explicou o Juiz Monte Cristo. Príncipe estava assim na mira do plano de fiscalização do Tribunal de Contas.

O Presidente da Assembleia Nacional, Delfim Neves substituiu o Presidente da República Evaristo Carvalho, na cerimónia fúnebre, que juntou outros titulares de órgãos de soberania, nomeadamente o Primeiro-ministro Jorge Bom Jesus, o Presidente do Tribunal Constitucional Pascoal Daio, e o Presidente do Supremo Tribunal de Justiça Manuel Silva Cravid.

Abel Veiga

    3 comentários

3 comentários

  1. Fuba cu bixo

    12 de Novembro de 2020 as 13:53

    Claro que teremos saudades porque tenho certeza que não aparecerá mais nenhum com estas qualidades são todos comissários políticos dos partidos políticos.
    Os nossos profissionais por serem comissários políticos não conseguem por em prática aquilo que aprendeu na Universidade só vão cumprir agendas e ordens do partido e facilitar as roubalheiras este Bernardino vai fazer muita falta paz a sua alma.

  2. Andorinha

    12 de Novembro de 2020 as 14:46

    Em S.tomé homens ou pessoas boas que tentam fazer algumas coisas boas para o pais são perseguidos obrigados a abandonar o país ou são mortos.
    No momento que o homem no seu relatório mostra ao mundo as roubalheiras deste governo de Jorge bom Jesus ele morre é muita coincidências.
    Alguém mim disse se quiseres viver em S.tomé tens que ser sego e mudo e jantares a gatunagem como fez o Jorge bom Jesus eu não concordo com isto.

  3. Weti

    12 de Novembro de 2020 as 18:45

    Com a morte deste senhor está aberta a auto estrada de corrupção e gatunagem em São Tomé e principe.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo