Sociedade

CASSUMA  com primeiro posto de controlo e vigilância contra roubo

A localidade de Cassuma nos arredores da cidade de Trindade, no centro da ilha de São Tomé, foi o primeiro ponto estratégico escolhido pela BirdLife Internacional e o Ministério da Agricultura, para a construção do posto de controlo e vigilância permanente no distrito de Mé-Zochi.

Postos de Controlo e vigilância permanente, são pequenos destacamentos que vão ajudar as forças policiais, os guardas florestais e os militares do exército, a fiscalizarem a circulação e a comercialização de todos os produtos oriundos do meio rural.

O projecto financiado pela União Europeia e executado pela BirdLife Internacional, foi lançado em Novembro do ano passado, e pretende combater a anarquia e o roubo desenfreado que se instalou no meio rural na ilha de São Tomé.

O roubo da produção agrícola, tornou-se descontrolado em São Tomé. O abate de árvores para produção de materiais de construção civil, tornou-se numa anarquia que já está a ameaçar o equilíbrio ecológico de São Tomé. A extracção abusiva e descontrolada de areia, e outros inertes, é outro grande flagelo que há vários anos deitou por terra a autoridade do Estado em São Tomé.

O projecto de construção de postos de controlo e vigilância, em 5 zonas estratégicas da ilha de São Tomé, pretende estancar o roubo da produção alimentar e do gado nos campos agrícolas, devolvendo assim aos agricultores, a confiança perdida no seu trabalho, e no resultado do mesmo como fonte de renda para a família.

O lançamento das obras de construção do primeiro posto de controlo em Cassuma, foi marcado pela participação e intervenção, dos diversos ministérios envolvidos no projecto de combate ao roubo no meio rural.

Ivete Lima, Ministra da Justiça e dos Direitos Humanos, considerou o projecto como instrumento fundamental para a reposição da autoridade do Estado.

«Vai nos ajudar a lutar contra vários tipos de criminalidade e também a impunidade. A criminalidade particularmente de furto tem estado a aumentar. Logo com este primeiro posto de controlo irá nos permitir combater o índice de criminalidade e também ajudar os agricultores e horticultores a dedicarem-se mais a agricultura. Vai nos ajudar a combater o derrube ilegal de árvores e proteger a biodiversidade», declarou a Ministra da Justiça e dos Direitos Humanos.

O Ministério da Defesa e Ordem Interna, também está envolvido no projecto de criação dos postos de controlo e vigilância permanente. Aliás foi decidido que os militares do exército vão participar nas operações de patrulhamento e combate ao roubo.

O coronel José Maria Menezes(na foto), Comandante do Exército de São Tomé e Príncipe, destacou que os militares devem estar presentes em todo o processo de desenvolvimento do país. «A nossa lei, que define a missão das forças armadas, diz no seu artigo décimo nono, no ponto três que as forças armadas podem desempenhar outras actividades do interesse do Estado ou tarefas para melhoria das condições de vida da população», referiu o coronel.

Após citar o respaldo legal que permite o envolvimento dos militares nesta tarefa urgente de defesa e protecção das florestas e do rendimento das famílias de agricultores, o coronel que comanda o exército de São Tomé e Príncipe, aprofundou a definição da missão do que é, melhoria das condições de vida da população.

«A melhoria das condições de vida da população tem que ser vista de forma transversal. Portanto não se pode ter satisfação apenas porque um gatuno vai roubar, e ele sente-se satisfeito e quem é produtor sente-se afectado. Somos cidadãos e militares. Também somos produtores, também fazemos criação, e temos outras actividades que são delapidadas pelos infractores», frisou.

Também vítimas da onda de roubo que domina o país, os militares prometem trabalhar junto com a polícia nacional, nos postos de controlo e de vigilância permanente.

«Acho que a nossa presença junto com as forças policiais que são os responsáveis pela manutenção da ordem a nível nacional, dará um suporte, uma reserva combativa para que este projecto seja cumprido, ….para que não seja mais um projecto que depois cai na água de bacalhau como tem acontecido neste país….. Todos temos consciência da forma como os inertes e a produção agrícola, estão a ser delapidados no país…», concluiu o coronel do exército.

Do lado do Ministério da Agricultura, foi feito apelo aos agricultores, para que sejam responsáveis no processo de atribuição de recibos de venda dos seus produtos. Tudo porque os postos de controlo vão fiscalizar as mercadorias que circulam entre o campo e as cidades, através de um modelo de recibo, emitido pelo agricultor.

«É um processo novo que vai trazer benefícios a todo o país», assegurou o Ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Francisco Ramos.

O titular da pasta da agricultura, recordou que o Governo abriu uma linha de crédito para incentivar maior produção agrícola. No entanto reconheceu que sem garantia de segurança nas parcelas de terra «tudo irá por água abaixo».

Nova Olinda no distrito de Cantagalo, a vila de Santo Amaro no distrito de Lobata, a Cidade de Neves no distrito de Lembá, e  San Fenícia no distrito de Mé-Zochi, são outras 4 localidades consideradas estratégicas, onde vão ser construídos os postos de controlo e vigilância permanente.

Abel Veiga

    4 comentários

4 comentários

  1. Início Silveira

    25 de Janeiro de 2021 as 10:45

    Até que enfim, vimos alguém com garra e responsabilidade, coragem de avançar com este projecto.Estou satisfeito e muito satisfeito. Sou agricultor e a minha vida tem sido trabalhar para os ladrões, só estamos a produzir e a criar para os ladrões levarem e não podemos continuar assim. O Estado distribuiu as terras, muitos querem trabalhar mas os bandidos não deixam e é muito triste. As terras estão abandonadas devido roubo constante e assim desmotiva. Os meus parabéns à todos quantos então envolvidos neste Projecto, espero que tudo corra bem para o bem de todos nós e de S. Tomé e Príncipe. Obrigado à todos.
    Início Silveira
    B.I nº 71931
    Cont:9916157

  2. SANTOMÉ CU PLIXIMPE

    25 de Janeiro de 2021 as 13:51

    MUITO OBRIGADO.. OS VERDADEIROS TRABALHADORES DESSA TERRA AGRADECE………APOIO TOTAL

  3. Sem assunto

    25 de Janeiro de 2021 as 20:38

    Outro projeto que cedo vão ver de que não vai dar em nada.
    A solução para este país não esta em busca de projetos e financiamentos mas sim ao nível de consciencialização e comprometimento na execução dos trabalhos ou seja trata se de uma questão de formação da pessoa humana, dito de outra foram a: Educação.
    Vamos pensar numa forma de doravamente educar a nova geração para a mudança e progresso, pois a actual está totalmente viciada e corrompida.

  4. Mepoçon

    26 de Janeiro de 2021 as 18:58

    É preciso que os fiscais que irão exercer as funções de controlo sejam honesto e sincero, e não deixem levar pelos subornos, senão não vai dar em nada. Vejam o que está a passar com teste de covid-19 em que responsável anda a falsificar os resultados por em risco a saúde publica.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo