Sociedade

“ONGD MOVE” volta a STP para ajudar a reativar o empreendedorismo local

Obrigados a suspender a atividade presencial durante vários meses devido ao Covid-19, a ONGD portuguesa regressa revigorada a São Tomé e Príncipe em Janeiro, com voluntários determinados a ajudar empreendedores.

A pandemia alterou drasticamente a realidade que conhecemos. Em São Tomé e Príncipe, a pandemia teve um impacto negativo em várias vertentes da sua economia, nomeadamente, nas receitas do turismo, no desemprego e na inflação. Muitos foram os negócios interrompidos ou terminados e várias famílias ficaram sem fontes de rendimento.

O MOVE, por sua vez, também se viu obrigado a suspender a sua atividade e a alterar a sua forma de atuação, porém a missão de “dar crédito à esperança” permanece a mesma. O MOVE é uma ONGD que, há mais de onze anos, promove o empreendedorismo
enquanto ferramenta de combate à pobreza. Presente em São Tomé e Príncipe, Timor-Leste, e nos Açores, esta ONGD reveza os seus voluntários numa base semestral, mantendo-se 365 dias por ano nos destinos. Com parceiros no terreno e uma estrutura de suporte totalmente voluntária em Portugal, consegue que as suas equipas alavanquem cada vez mais o seu trabalho.

Perante o contexto socioeconómico que a pandemia deixou, os voluntários do MOVE aperceberam-se de que a ajuda que podem dar nunca foi tão necessária como agora. Como tal, o MOVE aproveitou estes meses fora dos terrenos para se reinventar, refazendo a sua
metodologia de forma a conseguir ter um impacto mais sustentável e duradouro nas comunidades que apoia. A nova metodologia assenta em três pilares: “WAKE, SHAKE e MAKE”, que pretendem alinhar a forma de atuação entre os 3 terrenos e acompanhar os
empreendedores até que estes se tornem independentes e, eles mesmos, agentes de transformação nas suas comunidades.

Como tal, e cientes de que estamos perante um período complicado em que a incerteza é grande, chegou a altura do MOVE regressar a São Tomé e Príncipe e continuar a sua missão de dar crédito à esperança quando esta é mais necessária. Assim, entre Janeiro
e Fevereiro, 6 jovens voluntários chegam a São Tomé e Príncipe determinados a retomar as parcerias e projetos. 3 dos 6 voluntários que vêm incentivar o empreendedorismo local em São Tomé e Príncipe.

Sobre o MOVE:
O MOVE é uma Organização Não-Governamental para o Desenvolvimento (ONGD) criada em 2009, que acredita  no empreendedorismo como forma fomentar o desenvolvimento económico. O seu objetivo é colocar o empreendedorismo ao serviço do desenvolvimento e ajudar micro-empreendedores a fazer crescer o seu negócio através de formação e micro-consultoria.

O programa de voluntariado do MOVE permite aos voluntários selecionados deslocarem-se durante 6 meses para São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, e São Miguel (Açores), com o intuito de fomentar o empreendedorismo, desenvolver negócios, e participar na construção e instrução da comunidade para um futuro sustentável. Cada grupo de fellows (consultores do MOVE no terreno) permanece no terreno até à chegada do grupo seguinte, o que significa que o MOVE está presente 365 dias por ano.
FONTE : ONG MOVE

    10 comentários

10 comentários

  1. Lucas

    28 de Janeiro de 2021 as 21:06

    Alguem os chamou?
    Vem ensinar a garotada a pedir bolacha bolacha ao turista
    Vem buscar currículo à custa de quem não os chamou
    E talvez a fugir de problemas que lá tem
    São Tomé tem que levar com esta gentinha em cima?
    Se são assim tão espertos porque não vão pra Espanha França ou Alemanha ?
    Tem que vir pra África?
    Repito Quem os chamou?

    • Lixado

      29 de Janeiro de 2021 as 22:07

      Racista

    • Seabra

      29 de Janeiro de 2021 as 22:56

      Excelente comentário, Lucas. VALIDO.
      Devemos parar este tipo de cooperação que só uma parte é que ganha e são sempre os cooperantes. BASTA!!!

    • só coragem

      30 de Janeiro de 2021 as 8:20

      quando é para pedir apoio=donativos não falas assim…ai já os chamas á vontade …arrogancia!essa falta de humildade é que nos destroi. no mundo todos precisamos de todos!se vem para bem…que venham

    • Uma Pessoa que Ama STP

      2 de Fevereiro de 2021 as 8:02

      Eu acho que vocês não entendem nada de como uma ONG funciona… Quem está aqui para roubar dinheiro das ONG são os nossos governos e os nossos ricos. Como é que vocês acham que em São Tomé se pode andar de Mercedes? Com dinheiro roubado a certas ONG, com corrupção dentro do nosso governo. Vocês já ouviram falar de falsos recibos etc etc? Aí sim, há rouballheira… Deixem estes jovens ajudar…

  2. Sem assunto

    29 de Janeiro de 2021 as 19:40

    Pois bem, numa altura em queda a Covid contamina cegamente e mata descaradamente na Europa vir a para África torna um privilégio.
    Com que então estes parceiros apresentam se como arauto do nosso empreendedorismo em São Tomé, bonito.
    Permitam me vos dizer algo: você são os charlatões que não têm espaço e expressão no vosso país, logo vêm aqui armados em sábios e guros porque o nosso povo e os nossos dirigentes são atrasados, no dia em que nos despertar mos havemos de vos escoraçar a cacetada dos nossos territórios, não falo somente de São Tomé mas a África em geral se não todo o mundo explorado por estas ditas ONG, malditos, cáucasos de m..!

  3. José Mendes

    29 de Janeiro de 2021 as 20:24

    O pobre não dá porque não tem, quem não sabe, não pode ensinar, o próprio português é ausente no decifrado do projecto, logo é uma farsa um roubo ao que nos é mas valioso. Quando um país tem dirigente ausente do conceito faz presente estes.

  4. WXYZ

    30 de Janeiro de 2021 as 22:08

    Mais uma forma de controlar e depois grampar toda divisa de STP de volta pra europa deixando nos cada vez mais pobres e dependentes.

    • Uma Pessoa que Ama STP

      2 de Fevereiro de 2021 as 8:02

      Eu acho que vocês não entendem nada de como uma ONG funciona… Quem está aqui para roubar dinheiro das ONG são os nossos governos e os nossos ricos. Como é que vocês acham que em São Tomé se pode andar de Mercedes? Com dinheiro roubado a certas ONG, com corrupção dentro do nosso governo. Vocês já ouviram falar de falsos recibos etc etc? Aí sim, há rouballheira… Deixem estes jovens ajudar…

  5. Lucas

    1 de Fevereiro de 2021 as 11:40

    Africano levanta-te deixa de andar de joelhos e mão estendida orgulha-te de ser africano
    Senhores das ONG
    Deixem-nos em paz com as nossas diferenças
    Deixem-nos em paz com a nossa cultura e forma de estar
    Deixem que sejamos nós a escolher o caminho que queremos seguir
    Deixem de nos saquear
    Basta que quererem vender os vossos vicios
    São bem vindos a África desde que venham passear e desfrutar de tudo o que temos e temos muito,igual como quando vão prás americas italia ou Grécia
    Não venham para cá tratando-nos dos *coitadinhos dos pretos que ainda andam descalços e machim na mão *
    Temos também a nossa honra dignidade e orgulho de ser africanos

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo