Sociedade

“Desigualdade Zero na Educação em STP” – Um sonho realizável

“O homem sonha e a Obra nasce”. António dos Ramos Dias(na foto), santomense decidiu em Julho do ano 2020 transformar em projecto o seu sonho, ou um pensamento seu. Eliminar as desigualdades que existem no sistema educativo santomense.

A pandemia da Covid-19, que ameaça a saúde pública no arquipélago santomense, veio segundo Ramos Dias, como é mais conhecido em São Tomé, «por a nu as enormes desigualdades que existem no sistema educativo santomense».

Empresário, o cidadão inspirou-se no investimento que fez para garantir educação ao seu filho, neste período de pandemia, para elaborar o projecto que pretende levar para zero a desigualdade na educação em São Tomé e Príncipe.

«Tomei como base comparativa o meu filho. ….A educação que ele teve, a forma como ele acompanhou as aulas, e do outro lado as crianças que não tiveram as mesmas possibilidades que o meu filho teve….. », explicou Ramos Dias.

O projecto “Desigualdade Zero na Educação em São Tomé e Príncipe”, foi apresentado na sala de conferências do Hotel Praia na capital São Tomé.

O Presidente da República Evaristo Carvalho, o Presidente da Assembleia Nacional Delfim Neves e o Primeiro-ministro Jorge Bom Jesus, viram os dados e os números projectados pelo cidadão santomense, com vista a eliminar as desigualdades no sistema de ensino.

No projecto, Ramos Dias destaca a Educação Digital. São Tomé e Príncipe é  desafiado a promover o uso de computadores. O projecto diz que cada criança santomense deve ter um computador.

«O dia em que as crianças de São Tomé e Príncipe tiverem um computador, elas vão assinalar como o dia mais feliz das suas vidas. 90% dos pais não tem possibilidades de comprar um computador para os seus filhos…, então o Estado dá. E isso vai contribuir para melhorar a educação», afirmou.

O projecto define os procedimentos para a aquisição e ou fabricação de computadores. Um projecto avaliado em 5 milhões de dólares. «Desde a montagem da fábrica de computadores, e a formação dos técnicos para trabalhar na unidade fabril, pode atingir os 5 milhões de dólares. É um projecto que pode alavancar a economia do país. Pode alavancar o empresariado nacional, e pode abrir espaço para que cada criança de São Tomé e Príncipe tenha um computador», detalhou Ramos Dias.

O projecto “ Desigualdade Zero na Educação em São Tomé e Príncipe”, conquistou o poder político santomense.

O Presidente da República Evaristo Carvalho, abraçou o projecto. «Deve ser abraçado. Da minha parte pode ficar convencido que eu apoiarei a qualquer momento. Temos que inovar a educação no nosso país», declarou, o Chefe de Estado.

A Assembleia Nacional, através do seu representante Delfim Neves, prometeu contribuir com a legislação que vir a ser necessária para a materialização do projecto. «No que tange a legislação para que este projecto tenha a legalidade no quadro do sistema de ensino posso lhe garantir que da parte da Assembleia Nacional tudo fará para viabilizar este projecto», assegurou.

Já o primeiro-ministro Jorge Bom Jesus sentiu que o futuro chegou a São Tomé e Príncipe. «Já estamos a falar do futuro. Da parte do Governo a abertura é total…», concluiu o Chefe do Governo.

Membro dos movimentos nacionalistas que combateram o regime colonial português, até a conquista da independência nacional, Ramos Dias, dá mais um contributo para a liberdade, independência e progresso do seu país. «Quando a educação melhora tudo vem atrás, a educação é a mola propulsora do desenvolvimento…», sublinhou.

O apoio dos órgãos de soberania ao projecto, deixou Ramos Dias, convencido de que «há todos os ingredientes para que o projecto possa avançar num carácter público -privado».

Abel Veiga

    6 comentários

6 comentários

  1. SANTOMÉ CU PLIXIMPE

    23 de Fevereiro de 2021 as 12:18

    Um computador vai prejudicar no ensino, hora vejamos ou devemos constatar o que se passa hoje com as novas tecnologias, a distraição que isso trouxe a sociedade. Acho que quando as crianças estiverem preparadas para receber essas tecnologias sim, numa fase embrionária isso é muito grave. O projecto é bom, mas precisa centrar no essencial, educação é fundamental, mas que tipo dele? Esse de agora ou estamos a dormir

  2. Mepoçom

    23 de Fevereiro de 2021 as 17:50

    Eu sou apologista de sucesso, mas também sou crítico de falácia. Espero sucesso e que não fique pelo caminho como projecto de “Magalhães” de José Sócrates, ex-primeiro-ministro de Portugal

  3. astronauta

    24 de Fevereiro de 2021 as 0:06

    E já agora também uma unidade fabril de foguetão para te levar á lua ou a outro planeta, que é onde parece que tu vives

  4. São Tomense de gema

    24 de Fevereiro de 2021 as 8:28

    Meus senhores antes de qualquer discurso não se esqueçam da lei da contratação pública. Qualquer engajamento financeiro do estado deve ser mediante concurso público. Dinheiro de estado não é entregue há alguém só porque o projecto é bonito. Existem regras.

  5. Voz do Povo

    24 de Fevereiro de 2021 as 9:11

    já estamos habituado com essas promessas do nossos politicos, vamos ver na hora certa

  6. Sotavento

    25 de Fevereiro de 2021 as 6:54

    O projeto é interessante e digamos util.Mas creio que não é de maxima prioridade neste momento para STP.Primeiro porque acareta muchas coisa mais.Segundo é mas prioritario ter agua no hospital.Falando de falta de agua no hospital é triste, vergonhoso esta situação e não se pode tolerar que em 45 anos como país independente tenhamos o mesmo hospital da era colonial.Essa escumalha toda que passou pela governacão do país deveria ser responsabilizada por isto.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo