Sociedade

São Tomé em crise de energia assiste o abandono da central hidroelétrica de Guegue

São Tomé vive mais um ciclo de crise de energia eléctrica, por causa da manutenção dos grupos de geradores, alguns já obsoletos, mas que continuam a ser a principal fonte de energia do país.

Nesta altura de crise profunda no fornecimento de energia térmica, foi disponibilizado nas redes sociais um vídeo que mostra as potencialidades em termos de produção de energia hidroeléctrica que São Tomé tem desde a era colonial.

As diversas unidades de produção hídrica construídas pelos colonizadores, foram abandonadas e destruídas pelos sucessivos governos da República Democrática. Algumas com apoio da comunidade internacional foram reabilitadas na década de 90 do século passado, para depois serem novamente destruídas e abandonadas.

A central Hidroelétrica de Guegue no centro da ilha de São Tomé, é um exemplo da desorientação que São Tomé e Príncipe vive em termos de políticas para o sector da energia. Uma opção por fonte de energia poluente como é o caso das centrais térmicas.

Nos últimos 20 anos as autoridades santomenses apoiaram a construção de cerca de 3 novas centrais térmicas nos arredores da cidade de São Tomé. Enquanto isso, por opção das autoridades nacionais,  todas as fontes de energia limpa e amiga do ambiente, que já existiam desde o período colonial foram condenadas ao abandono e a destruição.

Um vídeo disponibilizado nas redes sociais, mostra exactamente neste momento de paralisação dos geradores da EMAE, e de crise energética em São Tomé, o estado de abandono da Central Hidroeléctrica de Guegue, que foi reinaugurada na década de 90 pelo ex-Presidente Miguel Trovoada.

Clique sobre o link em baixo, para ver o filme da Central Hidroeléctrica de Guegue :

https://www.facebook.com/100042483301276/videos/496993918393381/

    16 comentários

16 comentários

  1. Pedro Costa 2

    7 de Maio de 2021 as 10:50

    É muito triste, mas muito mesmo.
    Neste país, deixa-se tudo ao abandono. Tudo , tudo. Casas das empresas agrícolas, hospital Agostinho Neto, empresas agrícolas ao abandono ou assaltadas por aqueles que detém o poder, etc, etc. Só não deixam ao abandono os dinheiros do povo. Isto não!
    Se as coisas funcionassem como devem ser, neste país muita gente deveria estar na prisão. Quando digo muita gente, são os políticos que governaram este país desde do tempo do partido único.
    Isto é crime o que estão a fazer neste país. Ninguém é responsabilizado.
    O problema energético de que padece o país já devia ter uma solução ou ter menos impacto neste país. É muito tempo! A anunciada barragem, morreu. A anunciada central fotovoltaica, também morreu.
    Os senhores do poder viajam para o exterior para casar; os senhores do poder, muitos não pagam a energia gerada pela EMAE e muitos têm o seu gerador.
    Que tristeza|

  2. XPTO

    7 de Maio de 2021 as 11:05

    Andamos a reclamar da falha de água e energia, vejam o que está aqui abandonado. Será que os colonizadores que construíram essa infraestrutura foram mais inteligentes do que os actuais dirigentes? Será que na altura havia mais recursos humanos, financeiros, mais tecnologia? Ou será porque a situação de actualidade está a beneficiar meia dúzia de cabeças de Santomenses?

  3. Estrangeiro

    7 de Maio de 2021 as 11:11

    Tristeza e incompetência! Uma vergonha.

    Lá está uma central hidroeléctrica, nem sequer tem 20 anos. E está completamente sem uso. Recomendo a cada um ver este video no Facebook.

  4. Paulo Durães

    7 de Maio de 2021 as 11:31

    É uma vergonha!
    Este Tipos do Governo são uns medíocres/ limitados e sem vergonha. É muita falta de respeito com a População que V/elegeu e a dada altura roça em imbecilidade todo esse teatro. ABREU, desde da obra da pontes que custou um milhão e 300mil Euros demonstra a falta de rigor e muita corrupção que emana no MLSTP-PSD.

    STP vai ficar duplamente isolado no Mundo. Com dirigente deste tipo caminhamos para o abismo.

    BASTA!!!

  5. Matabala

    7 de Maio de 2021 as 16:18

    Foram abandondas e continuarão a ser pois á classe politica o que interessa é continuar a pôr mão nos negócios de combustível e compra e manutenção de geradores …enquanto isso povo também não desperta do coma profundo e como já esta habituado deixa andar….estamos condenados

  6. António cunha dos santos

    7 de Maio de 2021 as 17:16

    Nisto tudo é brincadeira, e o povo é que paga os desleixos da governação

    Os roubos de gasóleo da EMAE não deixam de parar, e o Governo a assistir tudo isto de forma impávida.

    Eu não percebo, o porquê que não entregam a segurança das Centrais a uma empresa especializada e com camaras de vigilância? Da Central de Santo Amaro, sai muito gasóleo na calada da noite para abastecer os circuitos comerciais.

  7. Andorinha

    7 de Maio de 2021 as 17:17

    Eu parabenizo o Jornal Tela-Non por expor aqui essa problemática de energia e o vídeo que também tive a oportunidade de assistir,sei que Abel Veiga é do MLSTP, mas é preciso que pessoas com responsabilidade começam a falar e expor esses desmandos e destruição que reina em S.tomé para bem de todos nós.
    E devo dizer que o Jorge bom Jesus foi uma grande decepção veio dar a cobertura a roubalheiras desenfreada no país.

  8. Fuba cu bixo

    7 de Maio de 2021 as 18:17

    Eu ouvi o Jorge bom Jesus a gritar na campanha eleitoral a prometer melhorias da vida dos Santomenses, passando 3 anos podemos ver que vida dos Santomenses piorou, não temos hospital em condições não temos energia não temos nada.
    Prenderam o antigo diretor da EMAE,agora o Osvaldo Abreu pagou milhões por geradores velhos que em pouco tempo esta todo parado e estamos a escura sera que alguém também vai preso?
    Todas as infraestruturas que os portugueses nos deixaram estão todos abandonados e destruído é para isso que serviu a independência total.

  9. antonio martins

    7 de Maio de 2021 as 22:47

    boa noite
    eu próprio recuperei a central do guegue que esta parada a anos recuperei a central do papagaio recuperei a central agostinho neto
    eu pessoalmente fiz tudo o que estava ao meu alcance e resolvi em termos precários mas a funcionar os referidos aproveitamentos
    nunca o estado de são tome me deu uma dobra para nada
    nunca o estado de são tome teve qualquer reconhecimento sobre o meu esforço financeiro e pessoal
    pelo contrario
    quando entrou em funcionamento a central agostinho neto na qual gastei do meu bolso milhares de euros que fui eu que construí a linha para a roça que resolvi o problema da energia da roça
    depois de tudo o que fiz pelo povo de são tome qual foi a paga
    nunca me pagaram uns miseráveis 30 mil euros de fornecimento de energia a emai e ainda por cima este governo mandou arrombar as portas e entregou aos chineses aquilo que me tinha custado reconstruir
    portanto o que penso de são tome que conheço melhor que qualquer técnico de são tome porque estudei todo o potencial hidráulico e elétrico fui eu que mandei construir a linha de água e zê para Bombaim
    resumo final
    só interessa comprar diesel o resto e pura fantasia
    quem for para investir em são tome sai roubado pelo próprio estado caloteiro e vigarista
    infelizmente não se aplica ao povo que são mártires na mãos de bandidos

  10. antonio martins

    7 de Maio de 2021 as 23:14

    no artigo anterior digo infelizmente quando deve ser lido felizmente

  11. Zagaia

    7 de Maio de 2021 as 23:16

    Sem palavras, o que está acontecendo nesse país, em plrno século vinte e um……….

  12. Rapaz de Boa Morte

    8 de Maio de 2021 as 3:50

    Porque fazem tanto barulho, por uma faltazinha de energia eléctrica.? Deixem de queixumes, com a liamba que estamos prestes a produzir cada um vai ter uma luz no cérebro… e não será necessário a EMAE…. lolol . Sinceramente meu país se estava no rés do chão, vai caminhando para o subsolo … brevemente vai ser país de pobres e drogados …. felicidades vivam os últimos bons momentos que o pior está prestes a chegar !🎈

  13. Sem assunto

    8 de Maio de 2021 as 19:58

    De cortar o coração.
    Estes malditos, governantes, distroem e abandonam tudo menos a iniciativa e a tentativa de nos roubar, pensando que roubam o Estado, algo abstrato e distante, quando o Estado somos todos nós, idiotas.

  14. Mepoçom

    11 de Maio de 2021 as 7:41

    Como funcionário que fui da antiga Câmara Municipal, conhecedor do tratamento que esta central teve enquanto EMAE era gerida por essa autarquia, só posso reforçar a palavra de Almeida Vila Chico, branco construiu em 504 anos e preto destruiu em 24 horas. Paracendo que não os colonizadores gostavam mais do país do que nacionais.

  15. Faustino NETO

    14 de Maio de 2021 as 10:34

    Infelizmente o que temos, ao nível de jornalismo, é isso. Na verdade pretende-se apresentar os «lobos» como pele de «cordeiros». Utiliza se tudo para se limpar a imagem, infelizmente, historias contadas pelos vencedores nunca, mas nunca, dirão a verdade, pois os vencidos não têm a possibilidade para contar as suas verdadeiras histórias. A central de Guegue data de 1945 com 120 KVA de potencia instalada e em 1994 foi reabilitada com financiamento do Banco Mundial e Suécia, passando a 320 KVA. As obras foram executadas por uma empresa italiana e com a fiscalização da EDP Internacional de Portugal. Tudo bem feito, através de concurso internacional.
    Após a reabilitação central nunca se registou graves problemas, alias tinha uma tecnologia de ponta, até poderia funcionar sem um operador sequer. No entanto, mais uma vez , infelizmente, em 2006 decidiram privatizar a central. A privatização é sempre bem vinda, quando os interesses do Pais estão salvaguardados. Resultado, hoje temos um empreendimento cujo os equipamentos, isto é, alternador, turbina, quadro elétrico e outros, desapareceram, estão em lugar incerto e toda o resto num estado muito degradante. O fundo do problema está aonde? Pois…

  16. Mepoçom

    17 de Maio de 2021 as 14:29

    Caro compatriota, ignorar o jornalismo em pleno século XXI, só pode ser de um imbecil, ou quem tem algo a esconder. Ninguém está aí vestido de lobo com pele de cordeiro. A verdade é o conto da realidade. Quando os brancos entregaram tudo em 1975, tudo era funcional. No decorrer de tempo, como é óbvio, por incapacidade técnica ou por desgaste do tempo, houve avaria. Se reparamos e reativamos os serviços, porque deixou de funcionar? Culpabilizam as peças desaparecidas. Central tinha ou não o guarda? A quem é imputada a responsabilidade desse desaparecimento? Vocês se habituaram a sabutar os serviços para revoltar os populares contra partido A ou B, sem refletir que o mal é colectivo. Doa quem doer, a minha visão está focada no b****. “Maria não dá

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo