Sociedade

Escola Albertina Matos acolheu o acto central do dia da criança africana

A escola básica Albertina Matos em Madalena, distrito de Mé-Zochi, foi o local escolhido para a celebração do dia Internacional da criança africana.A comemoração desta data surgiu devido ao massacre de Soweto, em Joanesburgo – África do Sul, em 1976, onde milhares de crianças saíram à rua em protesto contra a fraca qualidade de ensino e discriminação das crianças negras no sistema de ensino.

Neste ano, o Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas (PAM) decidiu apoiar o Ministério da Educação e do Ensino Superior e o Programa Nacional de Alimentação e Saúde Escolar (PNASE) na realização de uma actividade lúdica com as crianças respeitando as actuais medidas de não propagação do corona-vírus, focada na importância da alimentação escolar saudável e nutritiva, baseada em produtos locais produzidos pela horta escolar.

Durante a actividade, que contou com a presença da Ministra da Educação e Ensino Superior, Julieta Isidro Rodrigues,  bem como a sua delegação, da Encarregada do Escritório do PAM em STP, Edna Peres, que se fez acompanhar do seu staff, da Associação dos Pais e Encarregados de Educação, as crianças foram o centro das atenções.

Na sua intervenção a Ministra da Educação frisou a importância da data para as crianças africanas, sobretudo as são-tomenses, enalteceu o apoio do PAM relativamente às hortas escolares e manifestou toda a sua alegria ao comemorar com as crianças esta data de capital importância- “ Viva 16 de Junho – Viva as crianças de STP – Viva as crianças do mundo inteiro”- lê-se na mensagem da ministra.

Edna Peres por sua vez, firmou o compromisso do PAM no apoio às crianças africanas ao afirmar “ é, portanto, objectivo do PAM garantir que todas as crianças africanas, sobretudo as mais desfavorecidas, tenham acesso a uma alimentação saudável e nutritiva, para que possam crescer saudáveis, possam estudar e tornar-se homens e mulheres que no futuro dirigirão o nosso continente e o nosso país.”

Desta feita, o Programa Alimentar Mundial continuará a apoiar o PNASE para que as crianças são-tomenses, que também são africanas e que frequentam as escolas, possam ter acesso a uma alimentação saudável para crescerem fortes e felizes.

Parceria PAM – Téla Nón 

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo