Sociedade

PAM e a ONG ADAPPA apoiam STP na implementação da estratégia de reforço de capacidades

O Programa Alimentar Mundial (PAM) e a ONG ADAPPA renovam a sua colaboração para apoiar os esforços de São Tomé e Príncipe na implementação da sua estratégia de reforço de capacidades.

O Programa Alimentar Mundial tem levado a cabo em parceria com a ONG ADAPPA, um dos seus principais parceiros, a implementação de hortas escolares em dois distritos de São Tomé, nomeadamente Caué e Lembá. Estas hortas têm como objetivo principal dar suporte às escolas atendidas pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNASE) por meio do abastecimento de vegetais e frutas frescas, que ajudam a promover uma melhor nutrição dos alunos. Além do apoio técnico da ADAPPA para a implementação de técnicas de agroflorestal e produção de produtos totalmente biológicos, cada horta conta com um jardineiro contratado pelo Estado para a sua manutenção.

A par desta iniciativa, uma equipa composta pelo PAM e pelos técnicos da ONG ADAPPA, visitou no inicio do mês de agosto as hortas comunitárias das escolas primárias de Diogo Vaz e de Neves, que servirão como pontos de distribuição para as escolas mais pequenas nas proximidades. A visita teve como objetivo o monitoramento da implementação do projeto e concluiu-se que, com a estrutura já montada e parte da produção iniciada, a primeira colheita das hortas deve ocorrer no início do próximo ano letivo, em outubro.

De forma a reforçar as capacidades técnicas dos horteiros que trabalham nestas escolas, a ONG ADAPPA realizou nos dias 5 e 6 de agosto uma formação para estes profissionais. Na sessão teórica, que foi ministrada no Centro de Recursos da Rede da Sociedade Civil para Segurança Alimentar e Nutricional (RESCSAN)sita em Mesquita sede de ADAPPA, os formandos aprenderam sobre agroecologia e agricultura biológica. Já na sessão prática, os formandos visitaram um centro de produção de composto em Mesquita, bem como uma plantação de hortícolas e frutícolas 100% Bio, na comunidade de Amparo II.

Neste local aprenderam técnicas para a produção de bio insumos, para a produção de bioinsecticida e assistiram a uma demonstração de colocação de feromona para o controlo de pragas.

Por meio deste projeto, o PAM visa desenvolver as cadeias de valor agrícola e fomentar a utilização de técnicas e conhecimentos inovadores que contribuem para segurança alimentar e nutrição das crianças em idade escolar.

FONTE : Programa Alimentar Mundial (PAM) em São Tomé e Príncipe 

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo