Sociedade

Reinício das aulas foi a meio gás

Muitos professores não compareceram nas escolas na manhã desta segunda-feira. e o mesmo aconteceu com os alunos.

O Téla Nón registou fraca afluência dos alunos na retoma das aulas na maior escola do país, o liceu nacional. A diretora da escola recusou prestar qualquer declaração sobre a retoma das aulas. Os alunos ansiosos pelo reinício das actividades escolares falaram para os órgãos de comunicação social.

O aluno Jeciley Gaspar disse que não teve aulas. «O professor não veio». Já o outro colega Tiago Fernandes revelou que o calendário de hoje diz que deve ter 6 aulas. No entanto só teve a aulas nos dois primeiros tempos. Os professores das outras 4 disciplinas não compareceram.

 A falta de comunicação está na origem deste regresso a meio gás. Jennifer Conceição aluna do Liceu Nacional, considera que a decisão de reinício das aulas foi tomada em cima do joelho. «A maioria dos alunos não vê o telejornal, como é que poderiam saber do reinício das aulas?» interrogou a aluna para depois acrescentar que não teve aulas por ausência dos professores.

Na segunda maior escola do país, Patrice Lumumba, alguns professores começaram a dar aulas nas primeiras horas do dia, e com destaque para a revisão da matéria dada até antes de 1 de Março. Helder Fernandes é um dos professores que começou com a revisão da matéria.

«A afluência dos alunos foi de cerca de 50%. A outra metade não compareceu nas salas de aulas», pontuou o professor Helder Fernandes.

Professores e alunos em contra-relógio para recuperar o tempo perdido. A planificação das aulas e dos testes do segundo período do ano letivo deveria ter sido realizada no dia 2 de Março. 

Não aconteceu, porque a greve geral no setor da educação eclodiu no dia 1 de Março.

Segundo os professores a aposta está a ser feita na revisão da matéria dada, até que o ministério da educação defina um novo plano de aulas e de provas a serem submetidas aos alunos. 

Abel Veiga

2 Comments

2 Comments

  1. ANCA

    8 de Abril de 2024 at 14:59

    Daí a necessidade de modernização administrativa, marcação de faltas, não pagamento de salários.

    Temos que ser rigorosos, as pessoas pagam impostos, taxas, terminou a greve os professores devem regressar ao trabalho, os alunos de igual modo, as aulas.

    Produtividade para melhor salários

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  2. Anca I

    15 de Abril de 2024 at 15:10

    Será que a Anca ainda não descobriu que não existem Santos em S. Tomé? A maioria de nós sabe disto.
    Ou será que a onda ou o vento já levou a Anca ao buraco ou está a Anca perdida a procura do buraco dela?
    Anca, Caranguejo, Camarão é tudo mesma coisa.
    O camarão que dormi, a onda leva.
    Dito e certo.

    Santola Marisco

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top