Análise

Quousque tandem, São Tomé e Príncipe? (Até quando, São Tomé e Príncipe?)

É a interrogação, que Carlos Gomes, ex-ministro do trabalho e solidariedade, coloca à São Tomé e Príncipe. Antigo vice-presidente do PCD, que entrou em crise com o partido nas eleições presidenciais de 2011, Carlos Gomes natural da ilha do Príncipe, actualmente trabalha e reside na cidade de Neves no norte de São Tomé. 

Quousque tandem, São Tomé  e Príncipe?
(Até quando, São Tomé e Príncipe?)

Aproveitando o silencio noturno da cidade de Neves, onde atualmente resido, pus – me a pensar e a refletir sobre STP – o seu passado, o seu presente e o seu futuro. Nessas reflexões, de varias e longas horas, vi –me envolto numa series de questões e porquês que me deixaram triste e preocupado.
Deixaram –me triste e preocupado porque STP, pela sua pequenez, sua beleza, suas potencialidades, sua localização geoestratégica, suas gentes, por serem terras abençoadas pelos santos Tomé e António, devia ser um país, hodie, em desenvolvimento sustentável e sustentado e orientado para um progresso determinante.

Deixaram – me triste e preocupado porque alguns políticos, que se apelidam de santomenses, ainda não entenderam que ser politico não é se preocupar consigo e com os seus, mas sim preocupar – se com o bem comum, com o povo, com o país, com a nação. Deixaram –me triste e preocupado porque alguns partidos políticos, velejando à margem das ideologias politico – partidárias, estão a “matar” São Tomé e Príncipe.
Se analisarmos, com alguma profundidade, o lema de STP: UNIDADE – DISCIPLINA- TRABALHO, veremos que quem criou esse lema para o nosso país era um profeta ou uma profetisa ou talvez um (a) visionário (a). Parece – me haver nessa visão uma resposta para os problemas atuais (porque ainda não aplicamos esse lema) e ao mesmo tempo parece – me haver um segredo para a solução dos nossos problemas (se o aplicarmos).
Analisemos cada uma das palavras que compõem o nosso lema e tiremos as nossas ilaçoes:

1)      UNIDADE
É evidente que muitos de nós estamos suficientemente impressionados pela sabedoria de muitos adágios populares que têm sido transmitidos através das gerações.
“A união faz a força!”; “Unidos venceremos; divididos, perderemos!” Mas, talvez fiquemos mais impressionados pela conclusão dramática “os lunáticos nunca se unem”.
O segredo do poder  não é segredo. Consiste, simplesmente, em unir  – confundir na unidade do pensamento, os sentimentos e objetivos partilhados.
Quanto mais se unirem as pessoas, mais grupos se podem associar, mais nações podem colaborar – maior será o seu poder. Quanta, fraqueza há na desunião!
E, quanto perigo! Porque, quanto mais distantes estão as nossas posições, mais perto se encontram dos extremos. E, quando alcançarmos posições extremas, colocamo – nos favoravelmente para a maior e mais perigosa colisão do nosso percurso como pessoa, como politico, como país, como estado.
A nossa falta de união, vemos isso nos discursos de políticos, de deputados, de partidos políticos, nos prova que os lunáticos não se unem! E, como tal, estamos ainda longe de alcançarmos a unidade.

2)      DISCIPLINA
Uma nação  manter – se –á firme ou entrará em decadência, dependendo da resistência da base sobre a qual está construída.
Essa base, é a lei.

Quando as leis são feitas, revistas ou reinterpretadas para privilegiar alguns dos grupos, daí resultando um efeito adverso para outros grupos ou indivíduos, então o sistema regulador deste país está seriamente afetado e está sendo usado para fins impróprios. O perigo é muito evidente. As leis não são concebidas para servir as conveniências de uns ou outros – mas para fazer justiça.

Há uma considerável variação no grau de imparcialidade com que as nossas leis e regulamentos são aplicados.
A execução da lei, parece – me tornar – se, assim, numa prerrogativa pessoal do individuo ou da organização responsabilizada para fiscalizar a observância estrita e exata daquelas leis e regulamentos, na plenitude do seu significado e intenção.

Nenhuma nação poderá sobreviver se aceitar desafios tão diretos e hostis ao cumprimento das leis. Só a ameaça desses desafios deveria já incorrer numa tal ação disciplinar, que assegurasse imediatamente as procedentes penalidades, impeditivas da consumação do próprio ato.
A aplicação das leis, a todos os níveis, melhoraria consideravelmente se todos os cidadãos se convencessem que a violação de qualquer lei ou regulamento merece a procedente punição de forma severa, inequívoca e imparcial.

A própria sobrevivência desta nação, depende do respeito pela aplicação da lei e da ordem. Esta nação assenta na lei.
Trabalhemos, então, para que ela tenha uns alicerces firmes e seguros. Caso contrario, estamos ainda longe de alcançarmos a disciplina.

3)      TRABALHO
Li algures, algum tempo atrás, fazendo referencia ao tempo colonial, um ditado santomense que me deixou estupefacto: “ Se bô sá forro domini (dormir), se bô sá gabon (estrangeiro) bá mato bá tlabá!” (queiram desculpar – me pelos erros em crioulo forro).
Espero que este ditado não se aplique hoje sob pena de excluírmo – nos desse processo  de desenvolvimento e progresso do nosso país, que precisa de todos nós para sua elevação e para o salto qualitativo almejado.

Juntos trabalhemos para a disciplina e a ordem e para o bem do nosso povo e nosso país. Se fizermos isso, então descobrimos o segredo. E o segredo nos libertará e nos lançará rumo ao futuro que todos queremos.

Carlos A. Pires Gomes
Ex Professor de Filosofia na Ilha do Príncipe

    21 comentários

21 comentários

  1. Baga Tela

    22 de Junho de 2012 as 10:31

    STP está em como profundo. Se os nossos governantes não tomarem consciência de si mesmo e desmontar o sistema político existente naquele arquipélo, nada mudará naquelas ilhas maravilhosas. Se soubessem a qualidade do país que temos, não o estiriam a matar em proveito próprio.
    Os nossos governantes têm probreza de espírito. Eles estão a esquecer que o país que estão a destruir será onde viverão os seus filhos neto e por aí fora. Só pensam no hoje ou andam como burro.

    • Chateado

      22 de Junho de 2012 as 14:56

      Acha que os irracionais pensam no futuro dos filhos? Como outros animais, matam-se para os fazer. O futuro? É demasiado complicado para certas cabeças.

  2. Tony

    22 de Junho de 2012 as 10:44

    Gostei das suas refleções…, só lamento que só agora o senhor se tenha apercebido…, talvez porque se encontra de lada de cá, ou por outra, queira se desculpar dos erros e atropelos do passado, mais fazer o quê, não passamos de humanos mesmo.., mas, fico maravilhado porque ao menos demonstra uma preocupação para com o povo, e as suas justrações quotidianas…(digo).

  3. Gabão

    22 de Junho de 2012 as 12:04

    Gabão é para trabalhar porque é o trabalho que dignifica o homem.

  4. Nascimento Dias

    22 de Junho de 2012 as 12:11

    Meu Carro Profesor sei que as tuas ilustraçoes sao boas ate que faz mexer as montanhas ,mas por outro lado existem questoes que devem ser levantadas e discutidas no momento Certo .
    Sei que o senhor Tinha tempo suficiente para refletir sobre o assunto quem sabi hoje este mesmo assunto poderia dar fruto
    Uma vez que ja ocupaste grande cargo na vida politica ja foste ministro e quase que nao se vui nada por tua parte, por isso o mundo em que estamos e um mundo em mivimento por isso nao vale apena estar de fora a reclamar pelo leite deramado.

    Sabemos que a vossa elite quase nao se fez nada e hoje os elementos dos teu partido PCD sao considerados os mais ricos de STP e mas Preguiçosos os fazedores de Nada. onde e que vamos e onde e que estamos?
    Por acaso estamos em STP onde Ai se Faz Ai Tambem se Paga.

    E hoje os fazedores de nada e que andam ai a criticar e mas criticar o Governo.

    Mas se Cada um deles refletirem com eles mesmo afrente do seu espelho
    Mas tenho certeza se alguem lhes perguntar Senhor durante o tempo que estavas ai o que de melhor o senhor trouxe tenho certeza que o gago vai lhes pegar porque de facto nao fizerem nada e depois nao querem deixar outros fazerem.

    Viva Democracia
    Viva STP
    Viva Tela Non
    Viva Presidente de STP
    Viva Governo de STP.

  5. VOZ DO POVO

    22 de Junho de 2012 as 14:12

    A vida é mesmo assim quando Carlo Gomes estava no poader ele não fazia a reflexão, os politico quando está no poder tem um discurso e quando não está o descurso é outro é esse o lema do plitico.
    Trabalhou na região Autonoma do Príncipe a area de educação o que fizeste nada só enganando alunos com promeças falças, assinaram um protocolo com a Camara Municipal de Odevelas Centro Paroquial da Rmada e e Escola Proficional Gustave Eiffel nos dos pontos de protocolo dizia que Camara Municipal de Odivelas da abtação C.P.R dava alimentação e E.P.G.E dava alimentação e a Região Autonoma do Principe pagava a passagem para os alunos mais a informação que o Carlos Gomes passou a alunos é que arranjaram vagas para alunos em Portugal com uma seria de promeças que os pais dos alunos tem pagar as despezas para os alunos chegarem a Portugal para estudar e quando alunos chegarem em Portugal as despezas era com a Região Autonoma do Príncipe e quandos os alunos chegaram foi um balde de água fria.
    Hoje vc vem com tretas que vc esta a refletir a situaçãode S.T.P só agora que vc está a ver que S.T.P e Príncipe está mal então vc chegou a esta conclusão muito tarde demais.
    Já ocupaste grande cargos politico em S.T.P e o povo não viu nada que vc fez, a vida é mesmo assim quando vc tinha oportunidade de fazer alguma coisa não fez. Não diziste vai lutando quem sabe um dia vc vai consiguir fazer alguma coisa para S.T.P vai em frente Deus é pai e não é padrasto.

  6. PAPOITE

    22 de Junho de 2012 as 14:54

    Muito bem falado Nascimento Dias..!!

  7. Verónica

    22 de Junho de 2012 as 15:15

    Meu caro Carlos Gomes,
    Estás a prepara o espírito do teu amigo Patrice para te dar umlugar ou quê?
    Tu foste Vice-Presidente do PCD, Foste Ministro, o que fizeste? Zero
    Espero que sejas um retardado mental que na altura não pensaste em nada disso. Se fôr o caso, parabéns. Se não for, Faça como diz o ditado Santomense: Xi bô sá fôlô dumini, xi bô sã gabon, bá matu bá tlabá.
    Este ditado era que como deves saber, que em tempos idos os escravos não tinham descanço, quer chova quer faça sol os coitados tinham que ir para omato debaixo do chicote trabalhar, de contrário o colono fazia das suas. O fôrro (Fôlô), ste não. Mesmo hoje. Não quer dizer que eles não trabalham. Eu só tonga neto de fôrro e Angolano (gabon/gabão)e a minha tb tonga me contava essa peripécias todas, porque feliz ou infelimnte, não vive esta situação para saber como ela era. Mano ê ozé gabon ná bila sem maxi fá ê, ê bila xá de cota feble ê. De onde vem os grandes apoios?

  8. carlitos

    22 de Junho de 2012 as 15:22

    Esses politicos que quando estao no poder so pensam em si, nunca no pais…e quando perdem poder ficam filsofos…O que fizeste pra mudar o teu pais como alguem tendo poder de décisao?

    A verdadeiramudança de sao tomé nao esta na classe dirigente, porque para estes sao tomé ta bom como esta…nao na classe baixa porque esses desde que tenham onde dormir, comer fruta com molho de bica, nao têm tempo nem clarividencia pra mudar as coisas, a verdadeira mudança esta na classe média que pelos seus estudos podem ser alternativa a classe dirigente, e promover o debate de ideias,

  9. MÉ SOLO

    22 de Junho de 2012 as 15:59

    Normalmente quando estamos de lado de fora temos uma visão diferente ainda bem que assim é. De certeza que se este senhor estivesse no lugar onde já esteve(na governação, jamais faria esta reflexão. O mundo dá volta e é bom que assim é quando esteve na governação não ficou triste nem preocupado com o passado, presente e o futura de STP. Como professor de Filosofia, não se esperava outra coisa, os Filósofos, grande parte deles são como CAMALHÃO, adapta-se ao meio envolvente para confundir os outros.

    Quem não sabe que para um STP melhor, a UNIDADE,TRABALHO, TRABALHO E MUITO TRABALHO é indispensável?

  10. The Politics

    22 de Junho de 2012 as 16:40

    Refletindo? UMA OVA. Triste? UMA OVA.
    Eu sou de opinião, de que eu não partilho as mesmas ideas com uma pessoa, não tenho a mesma forma der ser com essa pessoa, não podemos andar juntos e ser amigos.
    Com isso quero dizer que se o Sr. Carlos sentia todo este sentimento, porquê fez parte do Governo Corrupto?. Enquanto os partidos politicos não mudarem enquanto as suas ações não me chama para formar parte porque eu não partilho com eles as formas de pensar. Porque todos os partidos politicos e seu membros só querem resolver seus problemas pessoais e mais nada, por isso o pais S.Tomé e Principe nunca estará no caminho do desenvolvimento. A MUDANÇA TEM DE COMEÇAR PELA POPULAÇÃO. DEIXEM DE VOTAR NOS CORRUPTOS. FAÇAM UMA REVOLUÇÃO CONTRA OS CORRUPTOS. TEM SUCEDIDO NO EGIPTO, NA SIRIA, ETC. JÁ HORA PARA QUE OS SANTOMENSES DIGAM BASTA!!!.

  11. h silva

    23 de Junho de 2012 as 10:12

    Sr Carlos Gomes,apesar de muitos ai nao te conhecerem um pouco quero ai dizer que sempre vi qualidades e boa vontade em ti para ajudar esse povo.Alias o trabalho que se tem desenvolvido no Principe tem muito teus dedinhos.
    Alguns falam do tempo em que foste ministro!Mas qual a pasta que ocupaste?Nao sabem que para pessoas como tu esses malandros de STP,mandam para ministerio de trabalho ou agricoltura!lol..Mesmo assim lembro me de teres dado muito pelo ministerio…So que isso ja faz parte da nossa culturo!!!Foi ministro e ladrao e nao merece respeito.
    Tu deverias e ter ficado em cabo verde e darias mais a STP quem sabe.
    Gostei e faco fe na tua opiniao,,se pais tivesse unido,e se nao pensassem que so gabao tem que trabalhar,esse pais seria de todos santomenses,e nao de um numero restrito de aldraboes.
    Carlos sera poucos elemento da populcao que darao-te razao,porque es filho de Cabo Verde como muitos outros.Sempre foi a forma de muitos analizarem as cenas politicas de STP.es um grande desse Pais e continuacao que num a razao vem de cima.From london

  12. Anca

    24 de Junho de 2012 as 16:42

    Boas refleções

    Pois que de bons pensamento, se construi uma sociedade, unida, igualitária, e fraterna, logo livre, nas acções e pensamentos altruístas.

    Li uma notícia no jornal online” O Público”, algo que me chocou, e que choca no mundo em que vivemos hoje, da qual quero partilhar convosco, caros cidadãos.

    Atentem a notícia;

    “Israel expulsa imigrantes negros num crescendo de linguagem racista”

    “A expulsão de imigrantes sudaneses ilegais, descritos por políticos como “um cancro”, chocou Erika Davis, uma negra americana convertida ao judaísmo.” “”Será que os judeus se esqueceram do seu passado?””

    “No mesmo dia em que os primeiros 120 imigrantes ilegais eram repatriados de Israel para Juba, capital do Sudão do Sul, Erika Davis – uma “orgulhosa judia, negra e lésbica” de Brooklyn (Nova Iorque) – questionava se estes africanos teriam o mesmo destino “se fossem brancos”.”

    “Mais do que a expulsão, iniciada faz hoje uma semana, o que mais escandalizou Erika, membro de uma organização não-governamental nos Estados Unidos, foi alguns responsáveis políticos israelitas, incluindo o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, terem insultado os imigrantes como “um cancro no nosso corpo”, “uma praga nacional”, “uma ameaça, por serem muçulmanos – a doença mais terrível que há no mundo”, “um vírus que pode explodir a qualquer momento”.”

    “Das cerca de 60 mil pessoas que pediram asilo em Israel, menos de 1000 são oriundas do Sudão do Sul, país recém-nascido após a divisão do Sudão entre o Norte, árabe-muçulmano, e o Sul, cristão e animista, referem grupos de apoio como a Hotline for Migrant Workers.” “A maioria dos que atravessaram a península egípcia do Sinai em busca de segurança – homens, mulheres e crianças – provêm da Eritreia ou de zonas do Sudão como o Darfur, onde as suas vidas correm perigo se voltarem às suas casas.”

    “Depois de vários dos indesejados terem sido vítimas de ataques em Telavive – casas queimadas, espancamentos e outras agressões – uma sondagem conduzida pelo Israel Democracy Institute indicou que 53% dos israelitas se identificam com as declarações dos seus políticos.” “Após a primeira deportação, o ministro do Interior, Eli Yshai – filho de judeus mizrahi (originários do Médio Oriente, do Magrebe ao Irão) que emigraram da Tunísia -, anunciou que as detenções de ilegais, 300 até agora, “são apenas o começo”.”

    “”Será que em 60 anos de existência, o moderno Israel se esqueceu da sua História de perseguição, de guetos, campos de extermínio e refugiados?”, revolta-se Erika Davis, autora do blogue black, gay and jewish, falando com o PÚBLICO, por telefone.” “”É chocante! Estamos sempre a repetir que não devemos esquecer-nos, mas parece que agora Israel vive em estado de amnésia total.””

    “Filha de dois protestantes, mãe baptista e pai metodista, educada durante 12 anos numa escola católica, Erika Davis converteu-se ao judaísmo há um ano, numa sinagoga da congregação da Reforma (mais progressista do que a Ortodoxa).” “Antes, ironiza, foi uma “hippie pagã, uma aspirante a budista e uma ateia desleixada”.” “Começou a distanciar-se do cristianismo quando tinha 21 anos (hoje tem 32), porque os seus pastores, ao contrário do seu rabi, lhe respondiam que “ia para o inferno se duvidasse que Deus criou o mundo em sete dias” ou questionasse outros dogmas.”

    “”A religião judaica não é racista”, frisa Erika. “As pessoas é que estragam tudo.” “Sempre houve judeus negros, com diferentes tradições, línguas e culturas – e isso é uma das belezas do judaísmo.” “Não é maravilhoso que os judeus etíopes tivessem preservado a sua fé até hoje?” “A realidade é que, em Israel e na América – sobretudo aqui devido à nossa história de segregação racial e escravatura -, prevalece a imagem do judeu branco e askhenazi [de origem europeia].” “Pele branca é igual a privilégio branco.””

    “”Se eu perguntar aos meus amigos negros judeus, de nascimento ou convertidos, se os judeus são racistas, todos responderão que sim”, lamentou Erika.” “”Citarão o modo como os árabes são tratados em Israel e a situação dos imigrantes sudaneses ilegais.” “Lembrar-se-ão de palavras odiosas que ouviram numa sinagoga ou na única yeshiva [escola talmúdica] para negros.” “A mim já me aconteceu estar num colégio para crianças judias, de 10-11 anos, e ser confundida com uma ama, porque os miúdos não são ensinados a reconhecer a diversidade no judaísmo.””

    “Metáforas genocidas”

    “Ser olhada “com suspeição, apenas por causa da cor da pele” não abala a fé de Erika Davis.” “”Há muita hipocrisia também no cristianismo e essa foi uma das razões por que me aproximei do judaísmo, de onde emanaram as religiões monoteístas.” “Gosto da minha nova espiritualidade.” “Não foi um retrocesso deixar de aceitar Jesus como um Messias.” “Afinal, ele era um judeu, e morreu como judeu.” “Não acredito em utopias; em salvadores do mundo.” “Os judeus não são um povo perfeito – isso não existe!”A associação Jewish Federations of North America (que representa 157 federações e 400 redes comunitárias nos EUA, angariando anualmente 3000 milhões de dólares para serviços sociais e educativos) nomeou, este ano, Erika Davis como Jewish Community Hero. Valorizou, assim, os seus esforços para “tratar os estranhos como seres humanos, porque também os judeus no Egipto foram estranhos em terra estrangeira.””

    “A blogger planeia elaborar um currículo para escolas judaicas nos EUA.” “Quer que os alunos que partilham a sua religião aprendam que há hebreus brancos e negros.”” “No entanto, concede, se já “será complicado” apresentar esta proposta na América, “é praticamente impossível” levá-la para Israel.” “Neste país, a hostilidade para com os imigrantes africanos tem motivações “mais políticas do que religiosas”, e estas têm sido encorajadas por antigos imigrantes, judeus da extinta União Soviética.”

    “Num artigo no diário hebraico Ha’aretz, o judeu americano-israelita Roi Ben-Yehuda, investigador em Resolução de Conflitos na Universidade de Columbia (EUA), lembra, a propósito das declarações xenófobas sobre os imigrantes africanos, que “todos os genocídios foram precedidos do uso instrumental da linguagem para desumanizar e demonizar uma determinada população – o Holocausto, o pior dos casos, mas também o Ruanda e o Camboja, no tempo dos khmer vermelhos.””

    “”Definir alguém como doença, acima de tudo doença terminal, é torná-lo não-humano, repugnante e perigoso: algo que é mutante e se alimenta de nós”, criticou o autor do blogue roiword.wordpress.com, citando um excerto do ensaio Illness as Metaphor, de Susan Sontag, escrito em 1977, após lhe ter sido diagnosticado um tumor: “Descrever um fenómeno como cancro é um incitamento à violência.” “O uso do cancro no discurso político encoraja o fatalismo e justifica medidas “severas”, assim como reforça a noção que a doença é necessariamente fatal.” “Embora as metáforas de doença nunca sejam inocentes, a metáfora do cancro é a pior de todas, porque implicitamente genocida.””

    In Público, 24.06.2012

    Tudo isto para nos alertar, que nas costas dos outros, devemos ver a nossa.

    Reparem;

    Quando nossos cidadãos, pensam em emigrar, a procura de melhor condições de vida, no estrangeiro,”Europa, Africa, America, Ásia”, será que, alguns ficam nos mesmos condicionalismo, que estes da notícia em epígrafe? Claro que sim.

    Tudo isto porque a terra que nos viu nascer, ou melhor os responsáveis, pela gestão do País(território/população), nos empuram para esta situação, tanto internamente como externamente.

    Noutra palavra;

    Pensam somente neles, sem antes pensar, no desenvolvimento e progresso do territórrio/população, bem como no bem da comunidade, que os viu nascer, que é composta por várias faixas étarias da populaçaõ, crianças, jovens, adultos e idosos, para quais devia, haver medidas e planos.

    Um ato cobarde, egoísta, opressor, rebelde, malvado, invejoso, que destroí a cultura, a cidadania, o bem social, o sentido de Estado.

    Para referir, a reflexão acima;

    Destroi aquela que deveria ser nossa unidade, disciplina, e trabalho, para o bem de todos, do território e da população.

    Quando aqueles que formam acham-se mais do que outros que somente tem formação Técnico Profissional, sem considerar, antes a pessoa humana.

    Quando aqueles de exercem cargos de responsabilidade, e envaidecem, sem ter humildade, responsabilidade, sentido de estado, empobrecendo o país(território/população), com suas acções(pensamento/comportamento), corrupção, roubo, desconsideração pela vida e pessoa humana, ser igual a si próprio, que nasce da mesma maneira e deve ter o mesmo respeito social direitos e deveres.

    Pois é mais que altura de refletir-mos tais estado de comportamento, rumo a modernização e desenvolvimento social, dos nossos cidadãos, alias nossos iguais.

    Pois o que da cor ao orgão pele, é somente uma substância, que protege a mesma, denominada melanina.

    Respeitemos nossos iguais

    Pautemo-nos pelo desnvolvimento social humano, sustentável economica e finaceiramente.

    Pratiquemo o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e P´rincipe

    Unidade; Disciplina; e muito Trabalho árduo, para invertemos todos juntos as condições sociais, culturais, desportiva, política, economica, ambiental, financeira, do nosso país(território/população).

    Bem haja

    • Anca

      24 de Junho de 2012 as 16:51

      Temos todos, o Presidente a República, o Governo Central, o Governo Regional, as Autarquias Locais, os Partidos Políticos, com e sem assento na assembleia, a Comucação Social, os cidadãos, a sociedade civil organizada, a responsabilidade de fazer progredir e desenvolver o país(território/população), mediante a unidade, disciplina, e muito trabalho árduo, uma tarefa de todos, para benefícios de todos.

      Bem haja

      Pratiquemos o bem

      Pois o bem

      Fica-nos bem

      Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  13. Argenezio Antonio Vaz

    25 de Junho de 2012 as 5:56

    Francamente, um ex Ministro, um ex vice presidente do PCD, um ex professor de filosofia. Tudo EX.
    O problema é termos politicos sem formação sem gosto pela terra. O culpado são os partidos que fazem entrar nas suas fileiras todo aquele que levanta as mãos. Um indeviduo que chega a vice presicdente de PCD e hoje? Andou por la a fazer o quê? Esse fulano é o quê afinal?

  14. STP@

    25 de Junho de 2012 as 10:20

    Caros são-tomenses, penso eu que alguma vez já terão questionados,tal como eu:-Porque que ainda estamos assim,na cauda do mundo e nunca mais de lá saímos? São 37 anos da Independência mas,quase tudo ainda está por fazer e muitas que foram destruidas.
    Mas alguém sabe dizer-me em que País estamos?!!!

    Como se admite num país com tantos recursos minerais,terra fértil,clima tropical,e com uma população calorosa e trabalhadora,com tantos apoios financeiros e técnicos recebidos dos parceiros internacionais,OGN’s etc.
    Assunto:-
    Um paciente dirigiu-se ao hospital central de S.Tomé e príncipe,para fazer uma Radiografia de carácter urgente,alegadamente terão lhe tido que não era possível fazer exames destes, porque o médico técnico em radiologia não se encontrava no País.-Sinceramente se isso for um facto,só pode ser mesmo em S.tomé.

    Mas uma coisa é certa,o pior que s.tomé,só mesmo o hospital central,onde a qualidade para uma intervenção médica é = a 0(Zero).O hospital central está doente no estado de coma.Também não só hospital central como quase todas as instituições .Como é o caso das alfandegas,onde o contentor de ajuda doado pelos emigrantes stp, para o hospital central, teve que ficar retido nos portos por falta de pagamento de um valor incalculável para sua expedição.os emigrantes STP não têm como enviar os seu pertences,devido a elevada taxa praticada naquele sector.

    Solução: Mudança de Leis, atitudes,ideias,pensamentos.,saneamento hospitalar de raiz,demonstrar profissionalismo e bom senso desde P.R até o cargo mais humilde deste País,para o bem estar de todos os são-tomenses.
    Um Bem haja !!

  15. bbb

    25 de Junho de 2012 as 11:18

    Carlos Gomes, devias é ter vergonha de escrever um artigo deste tipo. Devias é refletir porque é que apoaiaste o Evaristo de Casrvalho na 2º volta das eleições presidenciais do ano passado? Já desseste ao povo quanto recebeste da mão de Patrice Trovoada para apoiar Evaristo de Carvalho. Tu és um amoral e sem princio. Nem pareces ser um homem que esteve no seminário para ser padre. Também diz-se de que as pessoas que passam pelos seminários são pessoas ruins, é ver o exemplo do Olinto Daio o actual ministro de educação. É pessoal ruim,sem qualidade e sem principio.

  16. Diácono

    25 de Junho de 2012 as 14:33

    Senhor bbb!!!
    Cuidado com o que dizes. As pessoas que passam pelo seminário nao sao ruins.Se achas que alguns sao ruins, isto nao quer dizer que todos são. Ok?

  17. miguel m

    25 de Junho de 2012 as 16:16

    Carlos Gomes, não tens vergonha! o senhor é atualmente o diretor comercial da Rosema, eu sei que ha um saco azul na rosema, sai muita cerveja sem rer faturada e isso é fuga ao fisco. o senhor é um pau mandado dos irmãos monteiro, ta metido em bandidagens. é melhor tar calado, se ta a procura de taxo não é dessa forma, é melhor tar calado.

  18. O Analista e Censurador

    25 de Junho de 2012 as 20:51

    Esse parapiér que sr. Carlos Gomes diz de reflexão, é sinal que a vida deu passos para trás. Ele arrumou-se em cameleão e o resultado é esse (FRUSTRAÇÃO).
    Aqui se faz aqui se paga.

  19. angela

    16 de Fevereiro de 2013 as 16:46

    Queridos irmaos, Sao Tomenses esta e a hora de pedirmos descernimento ao Criador do ceu e da terra. Sera que o poovo Saotomense conhece as suas identidade? Queridos irmaos, a maioria do povo negro existente no planeta terra e designado como povo Hebrew. O povo escohlido pelo,YAHU o qual o sistema religioso nos eninou a chamar de deus que esta causando essas contendas existentes entre irmaos. Todavia querido irmao Carlos Gomes, a resposta para as suas questoes encontram-se nas escrituras sagradas. Examine-a e medite no livro do Deuteronomio capitulo 28. Juntamente envio-lhe este site Hebreuisraelita.wordpress.com e espero que possa ajuda-lo na descoberta do tal segredo para a libertacao e o sucesso do povo de Sao Tome e Principe. Joao capitulo 8:32.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo