Opinião

Introdução ao Ensaio sobre a Cegueira Humana Pensamentos Póstumos.

“Que cem flores desabrochem, que mil escolas contendam ”[1]-Foi com este discurso um tao pouco metafórico que começou a reforma para o surgimento  de uma das economias  mais “sensacionais «da historia; falo da economia-Chinesa. E necessário que comecemos a acreditar mais no poder do Homem São-Tomense  no sentido de impulsionar um crescimento económico e como se não basta-se o melhoramento da vida dos cidadãos.

E inaceitável a pobreza  da maioria das pessoas num pais tao pequeno como o nosso, não se consegue encontrar argumentos convincentes para este “flagelo»; o aumento da pobreza e assustador  e arrepiante , e o mais frustrante e que ninguém faz nada no sentido de inverter esta calamidade. Eis a  razão que faz com que o “Chum” sonhe em ser motoqueiro e “Ney” quer   ser o guia turístico; a falta de incentivos por parte do estado tem estado a matar o espírito ambicioso de boa parte de jovens  fazendo-os cada vez mais apostarem nos planos B( Roubo, vandalismo,  alcoolismo, consumo «de droga, Prostituição-etc.)

Imagino um dia a tomada de posse de um Governo apostado na politica de crescimento económico   ,transparência e ,combate a corrupção. Imagino um  Governo decidido em reformar o sistema judiciário, reformar os tribunais ,implementar uma auditoria rigorosa na Administração Publica.

Para a maioria de nos São-Tomenses, seria impossível a existência de um Governo com esta “ousadia», assim como para os Gregos da antiguidade seria impossível imaginar um governo baseado nos princípios ditatórias ;mas devo dizer-vos  de que não e impossível, existem países com este modelo de governação; e verdade que a governação perfeita não existe, em qualquer estado por mais transparente que seja por  mais democrático que se autodenomine ,existem casos de abusos de poder, desvios de fins públicos, julgamento por simpatia  e outros tipos de atrocidades democrática ; entretanto existe uma diferença, ela reside no facto  de que   na maioria das vazes nestes países os malfeitores são pegos e julgados em conformidade  a  constituição, o que já não acontece em  São-tomé e Príncipe  aonde, pessoas escondem por detrais da imunidade parlamentar para fugirem os deveres da consciência e abusarem  desta mesma imunidade .

–Só não consigo visualizar o rosto deste governo- e bem provável que não passe de uma utopia ,um sonho ,um desejo inalcançável, pois uma boa reforma neste pais daria “ banze” ate por demais.

Mamadou Trindade .


[1] Discurso proferido em 1956  por Mao tse tung

    11 comentários

11 comentários

  1. Kapuita

    7 de Julho de 2013 as 8:28

    Jovem a tua reflexao e boa,somente neste pais os graudos so querem saber deles e pequenos e que padecem.Sou da opniao de que a reforma deveria ser geral ate em coisas pequenas porque assim este pais nao arranca mais.

  2. Zé Critico

    7 de Julho de 2013 as 22:07

    O que esta por detrás todos os problemas de de S.Tomé e Principe é a dependência da nossa economia da ajuda externa e a form como gerimos o dinheiro que amealhamos. O nosso pais não produz nada. Cerca de 90% do orçamento é feito com base em “hipotéticas” ajudas externas.Para resolver esta questão o que deveriamos fazer(mas sei que nenhum governo vai ter os tom….s para fazer)é estabelecer um tecto máximo para o salário em todos os sectores de atividade, começando pelo estatal.Eu diria que nenhum santomense deveria ganhar mais do que 500 euros mensais.É inadmissível que num pais que viva de esmolas existam pessoas a ganhar salários que que se vê. Só para citar alguns exemplos: nas finanças os bosses chegam a ganhar 3000 euros mensais, nas alfandegas a mesma ordem de valores, no tribunal de contas outros 3000 euros mensais, estes procuradores da republica e companhia uns 2000 euro mensais. Isto sem falar deste deputados que passam a vida a dormir no parlamento para chegar no fim do mês com os suas centenas de euros. Estes valores contrastam com os salários miseráveis dos médicos, professores e a maioria dos santomenses e só servem para sugar o orçamento de estado. Quando se analisa a produção destes cidadão é zero

  3. Zé Critico

    7 de Julho de 2013 as 22:11

    E também não concordo com esta nossa mentalidade que o governo deve fazer tudo. Isto é herança do tempo do partido único. Agora nós temos o poder de fazer com que o governo faça o que achamos correcto. Mas passamos a vida a lamentar tratando este políticos como seres “fora de comum”.

  4. Caué a Pagué sa gi Non

    7 de Julho de 2013 as 22:50

    Muito pouco crente no seu país, muito influente negativamente para a viragem que se quer e que se urge!
    Para escrever estas tralhas, meu caro, não escreva!

    • Mamadou Trindade

      8 de Julho de 2013 as 9:18

      Estas completamente equivocado meu caro”Caué a Pagué sa gi Non- acredito e esforco para dar meu contributo para o crescimento do meu pais,so nao vejo o interesse e a coesao neste sentido-so estamos cada vez mais a ser guiados por mal intencionados que nao temem en nos levar ao abismo, este e o nosso maoir problema.

  5. zeme Almeida

    8 de Julho de 2013 as 7:20

    Meu caro com este tipo de governacao,nao vamos a lado nenhum,só tenho a pena daqueles que nao tenhem outra solucao e sao obrigados a conviver com este sabores amargos dos nossos governantes,que só pensa em si,seus familiares e amigos.

  6. PAPAGAIO

    8 de Julho de 2013 as 8:18

    Enquanto existir o espírito de camaradagem em STP é imposivel sonhar numa politica de crescimento economico.

  7. Edi

    8 de Julho de 2013 as 18:16

    Meu caro Mamadou Trindade,
    Fico sempre extremamente lisonjeado em ver exposições de ideais que possam nos alicerçar diante dessa depravação social, cultural e educacional, não obstante meu caro, é importante que nos conscientizemos de que ideias são importantes mas quando não aplicadas aos casos concretos é como se nunca tivessem existidas.
    Por isso mesmo, partilhemos ideias como essas com os demais e criemos mecanismos que possam proporcionar a aplicação delas no nosso dia a dia, de forma que possamos lutar em busca da vivência numa sociedade mais justa, tendo ideias boas e manifestando-as no nosso agir em prol do bem comum

  8. ressortissant

    8 de Julho de 2013 as 20:01

    hahahah essa e engracada o sonho de ney

  9. Santomé Plodôsu

    9 de Julho de 2013 as 16:14

    Já alguém havia dito e bem,que isto aqui não é uma democracia, mas sim, “demonocracia”.
    É tudo uma questão de tempo, leve o tempo que levar. Foi sempre assim em toda a parte. A ambição humana fala mais alto e não nos deixa sequer fazer comparações e tirar conclusões.
    É tudo uma questão de tempo, leve o tempo que levar.

  10. Barão de Água Izé

    9 de Julho de 2013 as 18:49

    Estando o ensino em STP enviesado, onde se valorizam todas as formas de futuras profissões (informática, multimédia, advogacia, etc…), não dando relevo e importância a aquelas que criam “coisas” materiais, como na agricultura, pesca, pequenas indústrias alimentares ou outras, como pode o nosso País sair da pobreza? Onde estão os cursos técnico-profissionais que dignificam na sociedade os alunos que a eles acedem? Hoje todos querem ter mãos limpas e tocar na terra, nas máquinas ou no peixe é para os outros.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo